!-- PLUGIN BARRA DE COOKIES -->
ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...
Mostrando postagens com marcador PT. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador PT. Mostrar todas as postagens
Morreu nesta quarta-feira 18/8, aos 86 anos, no Maranhão, o líder camponês Manuel da Conceição, preso, mutilado, torturado e exilado pela ditadura.

Conceição foi também fundador do PT e da CUT.

Presidente do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR) divulgou nota sobre o falecimento do ativista:

"A classe trabalhadora do campo e da cidade perdeu um de seus maiores heróis: Manuel da Conceição, líder camponês histórico, preso, mutilado, torturado e exilado pela ditadura, fundador do PT e da CUT, faleceu hoje aos 86 anos de idade, no Maranhão, onde iniciou sua luta nos anos 1960.

Nascido em 1935 na região de Coroatá, Manoel da Conceição e sua família sofreram na pele a exploração e a injustiça do latifúndio, que os expulsou mais de uma vez das terras que cultivavam. Em 1960, depois de frequentar um curso do Movimento de Educação de Base, o MEB do educador Paulo Freire, organizou com outros companheiros dezenas de escolas para alfabetizar camponeses na região de Pindaré-Mirim.

Em 1963, fundou e foi eleito presidente do primeiro sindicato de Trabalhadores Rurais do Maranhão, invadido pelos militares no golpe do 1964, quando foram presos cerca de 200 filiados. Apesar da repressão, Manoel manteve o sindicato atuante até que, em 1968, num dia em que um médico da capital atendia pessoas na sede, a Polícia Militar invadiu o sindicato e Manoel da Conceição foi baleado no pé.

Preso sem qualquer tratamento por uma semana, Manoel perdeu a perna direita gangrenada. Levado por companheiros para São Paulo, implantou uma prótese mecânica e participou da organização de comitês de fábrica e da oposição sindical. Visitou a China e voltou a Pindaré em 1970. Foi preso novamente, em 1972, e transferido para o Rio, onde foi torturado no quartel da Polícia do Exército na Tijuca e no Centro de Informações da Marinha, sofrendo graves sequelas.

Acolhido pelo então presidente da CNBB, dom Aloisio Lorscheider, retornou a São Paulo, sob a proteção de dom Paulo Arns e do pastor James Wright, mas foi novamente preso e torturado no DOI-Codi de São Paulo em 1975. Foi necessária a intervenção direta do papa Paulo VI junto a Ernesto Geisel para que Manoel da Conceição fosse exilado em Genebra, na Suíça, onde participou da resistência à ditadura brasileira.

Manoel foi um dos primeiros exilados a retornar com a Anistia em 1979. Participou da criação e da primeira direção nacional do Partido dos Trabalhadores em 1981 e, também, da criação da CUT em 1983. Foi o primeiro presidente do PT em Pernambuco e, depois de retornar ao Maranhão, teve 111 mil votos na disputa pelo Senado em 1986.

Manoel da Conceição nunca deixou de lutar pela democracia e pelos direitos dos trabalhadores no Maranhão e no Brasil. Nos últimos anos, lutou pela criação da Reserva Extrativista do Ciríaco e da Rede Frutos do Cerrado. Estimulou a organização dos pequenos produtores e de cooperativas de agricultura saudável, sendo um dos criadores da União Nacional de Cooperativas da Agricultura Familiar de Economia Solidária.

O Partido dos Trabalhadores presta sua homenagem a um companheiro que foi líder e testemunha, sempre no campo da luta, do processo histórico de resistência e transformação política e social do Brasil. Sua vida e seu exemplo nos dão força para seguir em frente, sem perder jamais a esperança num tempo de justiça, quando todos poderão colher os frutos do que Manoel plantou ao longo da vida.

Manoel da Conceição, presente no coração dos trabalhadores do campo e da cidade!".

O ex-presidente Lula também se manifestou: "Manoel da Conceição foi um militante histórico do Partido dos Trabalhadores. Um dos primeiros signatários do nosso partido. Combatente da ditadura, teve um papel fundamental na luta pela democracia do nosso país. Mas foi, além de tudo, um grande amigo. Chego hoje ao Maranhão com grande pesar por não poder encontra-lo, mas com a certeza de que seguiremos honrando sua luta e seu legado em defesa do Brasil que sonhamos construir juntos".

 (BRASIL 247)

O professor da rede pública estadual, Wilson Chagas, teve a iniciativa de criar uma espécie de abaixo-assinado para colher assinaturas no sentido de lançar a candidatura do secretário estadual de Educação, Felipe Camarão, candidato ao Governo do Maranhão.

Wilson apresentou uma justificativa para a sua iniciativa. O professor entende que o bom trabalho de Felipe Camarão na Educação do Maranhão poderia ser ainda melhor, caso o gestor fosse o novo governador estadual.

Veja abaixo e CLIQUE AQUI para ver o documento.

 A Educação é o universo maior que possibilita as transformações sociais a partir do Conhecimento. Somos educadores e educadoras. Lutamos pela educação de nossas crianças, adolescentes e jovens. Trabalhamos por um futuro melhor para o Maranhão, para o Brasil. 

Temos visto, nos últimos anos, muitos avanços na educação do nosso Estado: programa Escola Digna – com a construção, reforma e revitalização de inúmeros aparelhos educacionais em todos os rincões do Maranhão; Pacto pela Alfabetização; ações formativas; sistema de avaliação; valorização profissional. E quanto à educação em tempos de pandemia, viu-se um investimento em formação para os profissionais quanto à utilização dos recursos tecnológicos e para facilitar o acesso dos estudantes aos conteúdos educacionais nas mais diversas plataformas – inclusive com a distribuição de chips.

Ficamos muito felizes em saber que o Maranhão foi o Estado que mais priorizou a vacinação dos profissionais da educação. 

Educação é identidade. E não se faz educação sem arte, cultura popular e sem esporte educacional – bandeiras defendidas e praticadas durante toda a gestão e valorizadas dentro e fora da escola.

Queremos que tudo isso continue e seja melhorado ainda mais. Por isso, pedimos ao secretário de Educação, Felipe Camarão, que se apresente como nosso líder para todo o Estado, conduzindo o nosso povo adiante e Avante.

E que lance a sua pré-candidatura ao Governo do Maranhão.

 Felipe Camarão jamais disputou nenhuma eleição, apesar de inúmeros pedidos, mas em 2022 deverá mesmo encarar as urnas pela primeira vez. Neste momento, como confirmou no Ponto Final da Rádio Mirante, Camarão deve disputar uma vaga na Câmara Federal.

No entanto, Felipe Camarão, que deixou o DEM e pediu sua filiação junto ao PT, tem também seu nome cotado como candidato a vice-governador na chapa do atual vice Carlos Brandão.


(Blog Jorge Aragão)

O sociólogo Paulo Romão, pré-candidato ao Senado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), enviou correspondência aos institutos de pesquisa em atuação no Maranhão exigindo mais respeito ao real quadro de pretensões políticas do estado para as eleições de 2022. A iniciativa veio a reboque das pesquisas divulgadas na última semana em que não figura o nome de Romão como postulante da vaga para senador pelo estado.

O sociólogo afirmou que o “apagamento” da candidatura do PT nas pesquisas lhe causou estranheza, já que a blogosfera maranhense deu a devida visibilidade à disponibilização de seu nome na disputa em dezembro. “Este expediente que solenemente ignora nossa pretensão é desrespeitoso por demais e é negador do real debate político proposto”, avalia o petista.

Ele chega a questionar figuras postas nas pesquisas e que sequer anunciaram interesse em entrar na disputa por uma cadeira no senado. “Não me parece democrático e transparente simplesmente ignorar que nossa pretensão de disputar o senado federal está em curso e em discussão junto ao partido a que pertenço”, pontua Romão.

Confira íntegra da nota:

Candidatura

Há vinte anos no partido de Lula, Paulo Romão é o atual secretário estadual LGBT do PT no Maranhão e anunciou publicamente sua intenção de concorrer ao senado na vaga aberta pelo fim do mandato de Roberto Rocha no dia 6 de dezembro.

Na ocasião, em carta aberta aos dirigentes do partido e à sociedade, Paulo Romão citou sua vontade de debater outras perspectivas de desenvolvimento para o Maranhão. Agora, ele reitera a posição de não desistir diante da dificuldade, exigindo a inclusão de seu nome nas próximas pesquisas.

“Acredito que o exercício contínuo da democracia exige de cada um de nós o máximo respeito ao pluralismo de ideias e posições. É nosso direito como cidadão e é direito de todo o povo maranhense ter opções a escolher”, encerra.

 Após 20 anos de Partido dos Trabalhadores, sociólogo Paulo Romão anuncia que quer disputar vaga do Senado pela legenda

 O sociólogo e atual secretário estadual LGBT do PT no Maranhão, Paulo Romão, anunciou neste domingo (06) disposição para encarar a batalha como candidato ao Senado em 2022 pelo Partido dos Trabalhadores, de olho na vaga que será aberta em 2023 com o encerramento do mandato do atual senador Roberto Rocha (PSDB).

Aos 35 anos na data de hoje(6), Paulo Romão mostra disposição por vaga do Senado em 2022. 

Com apenas 35 anos de idade, Romão se fia em sua longa experiência dentro do PT para credenciar-se à disputa dentro do partido. E sabendo que esse tipo de decisão não funciona de maneira simples no maior partido do Brasil em número de filiados, a argumentação do sociólogo para este plano precisa ser bem acima do comum.

E quando enxergamos o postulante tal qual ele é: jovem, negro, gay, com longa caminhada na direção estadual do partido, passamos a concordar que esta seria uma opção que responde aos novos anseios da sociedade, que agora se preocupa com pautas identitárias na hora de escolher seus representantes.

Mas um dos grandes trunfos que Paulo Romão carrega é a possibilidade de oxigenar o plantel do PT no Maranhão, inaugurando uma renovação geracional na legenda, que poderá apresentar novos nomes, novos rostos e ideais de esquerda que se mostrem – e sejam realmente – renovados.

Segue a carta-manifesto escrita pelo pré-candidato ao Senado em 2022 encaminhada às direções estadual e nacional do PT, onde é antecipada a sua disposição na disputa:

 

O PT como alternativa para o Senado Federal no Maranhão

 

Caro Presidente Lula

Cara Presidenta Dilma

Cara Presidenta Gleisi Hoffman

Caro Presidente Augusto Lobato

Caro Presidente Honorato Fernandes

 

Eu tenho quase a idade do PT. Na verdade, neste 6 de dezembro de 2020 eu completo 35 anos de vida e 20 deles dedicados ao PT, seja como militante, seja honrosamente como dirigente do glorioso Partido dos Trabalhadores.

Conheci o PT no ano 2000, durante uma caminhada no bairro São Raimundo, da então candidata a prefeita de São Luís pelo PT, a inspiradora Deputada Estadual Helena Heluy, em quem votei pela primeira vez na vida.

Muitos não entendem nossa forma de construir um partido de esquerda, voltado para as massas e de orientação socialista com ampla democracia e participação interna nas decisões dos rumos do partido e que, hoje, é presidido nacionalmente por uma mulher.

Tivemos a ousadia de implementar o Processo de Eleição Direta – o nosso PED – para que nossa existência partidária seja possível. O resultado disso é que nossa democracia interna passou por mudanças estruturais – apesar das intermináveis disputas internas que o PT/MA conhece tão bem – transformamos a legenda renovando suas direções pela base, atualizando nosso programa partidário e nossa estratégia partidária para disputar e ganhar a sociedade e fundamentalmente, OXIGENANDO GERACIONALMENTE O PT.

Eu entrei na direção partidária pela cota de juventude e de negro. Me tornei dirigente municipal e estadual do PT e seguramente dei minha contribuição nestes longos anos como Secretário Estadual da Juventude do PT; como Secretário de Formação Política do PT de São Luís, como Secretário Estadual de Assuntos Institucionais do PT e atualmente Secretário Estadual LGBT do PT/MA. Disputei a presidência estadual do partido e já caminhei muito, estreitei bons laços sociais e políticos dentro e fora do PT.

Fui, com muita honra, Assessor Parlamentar, Secretário Adjunto de Juventude no primeiro mandato do governador Flávio Dino, Coordenador Estadual do SINE/MA. Graças ao PT eu pude ocupar essas e outras funções na administração pública que muito me honraram e pude implementar o modo petista de governar e dialogar com a sociedade.

Em que pese as distorções enormes que maculam o PED, tem sido através dele que hoje somos um partido paritário de gênero, temos cotas para representações de negros e índios, cotas para a juventude nas direções do partido em todos os níveis e muito mais conscientes do nosso papel histórico, conscientes de nossos erros e acertos nestes 40 anos e como mudamos a cara da sociedade brasileira nos governos Lula e Dilma.

A razão pela qual me dirijo a todos e todas que militam e constroem o partido como eu, reconhecendo a importância do PT na minha trajetória política até aqui é muito simples: é hora de sair do labirinto que nos obriga, a cada eleição no Maranhão, a aderir a outros projetos políticos partidários por ausência de debate interno entre nós que nos leve para outros horizontes políticos. O PT do Maranhão precisa disputar a sociedade maranhense. Estes anos todos, fomos capturados, mas não precisa ser assim para sempre.

Muitos vão aplaudir minha ousadia, outros vão se espantar com a minha loucura, mas aos 35 anos eu já posso ser muitas outras coisas na vida e decidi que quero ser Senador da República pelo PT.

Isso porque também quero debater outras perspectivas de desenvolvimento para o Maranhão. Acredito que posso contribuir mais com o meu estado. Tenho ideias que podem servir ao povo do Maranhão.

Quero que o PT me oportunize a disputar o eleitorado maranhense para ser o senador que efetivamente represente nossa maranhensidade. Quero ter a oportunidade de apresentá-la para o debate público na sociedade e nas instâncias de nosso partido.

Eu estou comunicando ao meu partido, à nossa militância e aos meus amigos e familiares a minha disposição de disputar o senado federal em 2022 pelo partido que luto e construo. Vou buscar a viabilidade interna e externa desta pretensão e desde já peço todo apoio e suporte político necessário.

O PT tem voto no Maranhão. Eu estou me propondo a dialogar com o povo maranhense e defender a renovação da cadeira no Senado Federal para um jovem negro, de origem periférica e sem parentes e sobrenomes importantes na política, vindo do interior, como tantos e tantas maranhenses, em busca de melhores condições de vida aqui na capital.  Daqui pra frente só o impossível me interessa.

 

Atenciosamente,

Paulo Romão Meireles Neto

Sociólogo

Petista

São Luís, 06 de dezembro de 2020”.

O CORREIO BURITIENSE realiza entrevistas, ao vivo, pelo facebook com os candidatos a prefeito de Buriti-MA.  O entrevistado da terça-feira 10/11  foi o candidato do PT Edivan do Belém.

ASSISTA ABAIXO A ÍNTEGRA DA LIVE COM O CANDIDATO:

A agroecologia é um modelo de produção agrícola baseado no respeito à natureza, na solidariedade e na reforma agrária. Entre os comprometidos com o modelo de produção sustentável de alimentos estão Manuela d’Ávila, Benedita da Silva e Guilherme Boulos

O candidato a prefeito de Buriti -MA EDIVAN DO BELÉM (PT-13), assinou na manhã deste domingo 1º a Carta-Compromisso com a agroecologia um documento referente 36 propostas elaboradas pela Articulação Nacional de Agroecologia (ANA). Essas propostas podem ser adaptadas às prioridades de cada município. O evento ocorreu no Comitê de campanha e contou com a presença de apoiadores e militantes da candidatura do PT no município.




O compromisso com a agroecologia foi firmado agora por exatas 303 candidaturas a prefeituras e câmaras de vereadores em todo o país. Entre os que se comprometem a trabalhar para a ampliação do modelo de produção sustentável de alimentos em pequenas propriedades e sem o uso de agrotóxicos há nomes menos conhecidos e também de destaque na disputa em diversas capitais. É o caso de Manuela d’Ávila (PCdoB), em Porto Alegre (RS), Benedita da Silva (PT), no Rio de Janeiro (RJ) e Guilherme Boulos (Psol), em São Paulo (SP).

Em seu discurso, Edivan do Belém destacou a importância de se ter alimentos para todos, produzidos de forma saudável.  “Agroecologia é a ciência que estuda a vida em equilíbrio com meio ambiente, mas é um sistema de produção de alimentos saudáveis, baratos e acessível para humanidade.”, disse ele.

Veja trechos do discurso de Edivan (PT):



Emocionado, Deusanirinho Jr., membro do Movimento Renova Buriti – MRB e o maior articulador pela candidatura petista, descreveu o processo de escolha do candidato Edivan e reafirmou sua confiança e esperança no brilho da estrela do PT e do Belém.  

Veja a íntegra da sua fala abaixo:


Leandro Raposo, também membro do MRB, se disse encantado com a riqueza cultural e diversidade no ato. “Me sinto privilegiado em participar desse grupo”.

Veja a íntegra da sua fala abaixo:

 A candidata a vice na chapa Vilmar Veras foi breve e disse que com força, fé e coragem o grupo chega lá. Veja sua fala abaixo:


         O ato contou ainda com momentos culturais de apresentação de poesia e de músicas. Confira nos vídeos abaixo:


       De acordo com a articulação, os estados com mais adesões até o momento são Rio de Janeiro, com 50 candidaturas: Rio Grande do Norte e Ceará, com 36; e Minas Gerais, com 33 cartas assinadas. As regiões Sudeste e Nordeste são as que concentram a maior parte das candidaturas que já se engajaram na campanha. Reúnem mais de 200 do total de 302 adesões formalizadas nos 15 primeiros dias da campanha. Há também um número considerável de assinaturas nos estados de Santa Catarina, Maranhão e Espírito Santo.

 

AGROECOLOGIA NOS MUNICÍPIOS

Para subsidiar a criação e aprimoramento de políticas públicas de produção de alimentos e segurança alimentar no âmbito municipal, a ANA realizou uma pesquisa inédita. O resultado foi a identificação de mais de 700 políticas públicas municipais voltadas ao setor em todo o país em 520 municípios de todos os estados. São ações, programas e leis que inspiram novos gestores e legisladores a investir na produção sustentável de alimentos.

Realizado entre agosto e outubro passado, o levantamento identificou iniciativas que vão desde o apoio à comercialização, programas de compras públicas até a educação em agroecologia.

A ANA também apresentou documento específico para compromisso das candidaturas com o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). A carta-compromisso para formalizar adesão está disponível no site da organização.


MAIS IMAGENS DO ATO DE ASSINATURA DA CARTA COMPROMISSO











































Odonto Company Buriti - Rua da Bandeira, nº 25, salas 10 e 11, Centro.

BIOLAB - Rua Antônio Pereira Mourão, em frente ao HTB(Clínica)

PAINEL DO LEITOR - COMENTÁRIOS RECENTES