"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

COMPRE JÁ

COMPRE JÁ

Confraternização da Amib

Confraternização da Amib

domingo, 29 de setembro de 2013

0

AMIB Promoverá Reencontro de Amigos e Conterrâneos em São Luís-MA

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


O Núcleo ludovicense da AMIB fará encontro no próximo dia 26 de outubro no Colégio São Judas Tadeu, bairro Turu, em São Luís. O objetivo do chá promovido é o reencontro entre os amigos e conterrâneos de Buriti para o levantamento de recursos para a Biblioteca Bernadete Cunha, do Centro Cultural da AMIB, que fica em Buriti, na Avenida Condoca Machado.

O reencontro acontecerá a partir da 17h e o convite está sendo vendido a R$10,00. A participação dos buritienses que residem na capital é importantíssima para o momento de confraternização e para ajudar a ampliar as ações educativas desenvolvidas pela AMIB.

sábado, 28 de setembro de 2013

0

MAIS DETALHES DO PROTESTO DE QUILOMBOLAS NA CIDADE DE BREJO-MA

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


A sexta-feira (27/09/2013), na cidade de Brejo, ficou marcada pelo protesto dos líderes do Território Quilombola Saco das Almas. O evento contou com presença de representantes dos povoados Faveira, Almas, Forninho, Criolis, Carobinha e Alto Bonito.
A mobilização foi feita pela Rede Fórum da Cidadania, Núcleo de Brejo, sob a coordenação de Alex Sousa Reinaldo e locução de André Viana.
As principais reivindicações defendidas pelos manifestantes são: água potável, iluminação pública, alimentação escolar de qualidade, atendimento médico – PSF, transparência na aplicação dos recursos e segurança.
Nem a ameaça de blitz, espalhada pela cidade, como tentativa de intimidação impediu que os lavradores se deslocassem para a sede do município. A concentração aconteceu no pátio da Catedral de onde o grupo se dirigiu pelo centro da cidade. Houve uma parada na frente da Prefeitura e uma concentração na Câmara de Vereadores. Lá, os quilombolas foram recebidos pelos vereadores João Leriano, Zé Carlos e Cláudia Sousa. Os três proferiram a favor dos manifestantes. Os demais legisladores não compareceram ao seu local de trabalho e por isso não houve sessão.
A passeata foi conduzida para o Planalto Santo Antônio para reclamar melhorias na saúde. Houve pronunciamentos em frente ao auditório do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, local em que acontecia a Conferência Municipal de Saúde. E teve encerramento na sede do Ministério Público.
Raimundo Nonato Pereira, 28 anos, dirigente da Comunidade Católica da Vila das Almas, demonstrou seu entusiasmo: “conseguimos através do Ministério Público tirar nossas crianças da noite pra estudar de dia e conseguimos melhorar o ensino médio, mas precisamos de água enquanto tem dois poços que não funciona e queremos iluminação pública, já que pagamos a taxa.”
Segundo Sebastião, 58 anos, Presidente da Associação da Faveira, falta estrada, iluminação pública, uma ponte, PSF (somente uma enfermeira vai lá, uma vez por mês) e tem dois poços que não funcionam porque a obra não foi concluída. “E queremos acompanhar a obra da estrada que o INCRA vai fazer. Ela precisa atender os interesses da comunidade”, declara o quilombola.
Valdemar de Araújo, 44 anos, líder da Comunidade Católica de Criolis, denuncia: “a água do poço público não serve para consumo humano, falta estrada, tem criança estudando à noite, o PSF não funciona, falta iluminação pública e os kits sanitários estão caindo”.
Rubem Ismael, 30 anos, Secretário da Associação Comunitária dos Agricultores de Alto Bonito, declara: “lutamos pela desapropriação da terra, poço com água potável e posto de saúde.”.

Chico do Zé Pedro, 60 anos, Presidente da Associação Comunitária dos Lavradores Quilombolas do Saco das Almas também esteve no evento e compartilha da pauta de reivindicações dos companheiros.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

0

População De Brejo Vai Às Ruas Para Manifestar Contra A Péssima Administração Do Prefeito Dr. Omar

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


ACORDA BURITI
*Com informações do Blog do Foguinho.
Indignados com a situação de descaso em que se encontram, população da cidade de Brejo (57,4Km de Buriti) realizou manifestação durante toda a manhã desta sexta-feira (27). Os manifestantes chegaram a invadir a Câmara Municipal de vereadores.
A população de Brejo não aguenta mais sofrimento e desrespeito como vem sendo conduzido à gestão do Prefeito Dr. Omar, que estar para entrar em colapso total.
É matadouro abandonado, ruas esburacadas, falta de água, poços artesianos desativados, hospital abandonado, gasto com mais de 1 milhão de reais em aluguel de veículos e locadora suspeita, direitos salariais dos professores e muito mais.
O Prefeito Dr. Omar ainda não acordou para realidade, onde está recebendo crítica em todo o Estado do Maranhão, tudo por motivos de uma administração que não tem respeito pelo povo e uma Câmara de vereadores que se calam para não mostrar a realidade, onde postam fotos distribuindo cestas básicas do Governo Federal para dizer que fazem alguma coisa.
A população está sofrendo e funcionários já não aguentam mais sofrimento, com isso, todos se reuniram no centro da cidade com faixas, bandeiras e carros de som, onde se deslocaram até a Câmara Municipal pedir  ao prefeito e aos vereadores que façam seu papel e trabalhem.


quinta-feira, 26 de setembro de 2013

0

DADOS DO DIEESE APONTAM QUE DESEMPREGO NO BRASIL CAI PELA 4ª VEZ SEGUIDA E RENDA DO TRABALHADOR SOBE

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


*Repórter da Agência Brasil
A taxa de desemprego teve leve queda no trimestre encerrado em agosto, passando de 10,9% para 10,6% da população economicamente ativa, segundo levantamento feito em sete regiões metropolitanas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Fundação Seade).
No período junho-agosto foram abertas 83 mil vagas, 0,5% a mais do que o registrado na pesquisa de emprego e desemprego feita pelas duas instituições no trimestre encerrado em julho.
As maiores chances de contratação apareceram no segmento de comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas, que ampliou o quadro de pessoal em 1,3%, com 49 mil novos postos de trabalho. O segundo maior empregador foi a indústria de transformação, com 15 mil vagas, 0,5% acima do apurado na pesquisa passada.
Nos serviços, as ofertas de emprego mantiveram-se estáveis, com variação de 0,3% e 39 mil vagas. No setor de construção houve corte de 2 mil empregos, o que representa uma queda de 0,1% sobre o resultado de julho.
Das sete regiões metropolitanas pesquisadas, duas se destacaram: a de Salvador, onde o nível de ocupação cresceu 2,1%, e os 39 municípios da região metropolitana de São Paulo, onde a oferta de novos postos aumentou 0,6%.
Na região metropolitana de Belo Horizonte, houve expansão de 0,1% na geração de vagas com a taxa de desemprego passando de 7,1% para 6,9%, e na de Fortaleza, elevação de 0,3% no número de postos e taxa de desemprego recuando de 8,4% para 7,9%.
Na região de Porto Alegre, houve eliminação de 1% dos postos, mas a taxa de desemprego manteve-se estável em 6,5% ante 6,7%. Esse mesmo movimento foi verificado no Distrito Federal, onde a taxa de ocupação manteve-se estável e a de desemprego apresentou leve alta, de 12,1% para 12,3%.
Comparado a agosto do ano passado, o nível de ocupação cresceu 0,5% com um saldo positivo entre contratações e corte de pessoal de 105 mil vagas no mercado de trabalho. O total de desempregados recuou em 106 mil.

Nas regiões metropolitanas pesquisadas, houve alta de 1,2% no rendimento médio real dos ocupados e de 0,6% entre os assalariados. Os valores médios foram de R$ 1.632 e R$ 1.677. A elevação foi verificada em cinco das sete áreas. 
0

Farmacêutico Poderá Prescrever Remédio Que Não Exige Receita Médica

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Conselho Federal de Medicina (CFM) diz que vai recorrer

*Por Repórter da Agência Brasil

O Conselho Federal de Farmácia (CFF) publicou resolução ontem (25) que permite ao profissional prescrever medicamentos que não necessitam de receita médica, como analgésicos e antitérmicos. De acordo com o conselho, a regulamentação será publicada hoje (26). O farmacêutico poderá dar uma receita ao paciente orientando-o sobre qual remédio deve usar, a partir dos sintomas relatados, como febre, dor de cabeça e cólica. O Conselho Federal de Medicina (CFM) anunciou que vai questionar a medida na Justiça.
"Prescrever, conforme legislação específica, no âmbito de sua competência profissional", diz a resolução publicada hoje. Segundo Walter Jorge João, presidente do CFF, a medida é um avanço para a população, que em vez de ir comprar o medicamento sem nenhuma orientação vai contar com a ajuda de um profissional, que também será responsabilizado pelas consequências de uma prescrição inadequada.
A resolução publicada hoje reforça o papel do farmacêutico nos cuidados à saúde do paciente, determinando que é função desse profissional participar de discussões de casos clínicos “de forma integrada com os demais membros da equipe de saúde” e analisar a prescrição de medicamentos nos aspectos legais e técnicos. A regulamentação, que será divulgada hoje, prevê ainda que o farmacêutico poderá renovar a receita médica para pacientes da rede pública em situações específicas, como aqueles com doenças crônicas que precisam de medicação de uso contínuo. Esse dispositivo dependerá de regras e normas definidas pelo Ministério da Saúde.
Em nota, o CFM alega que os farmacêuticos não têm a autorização legal para receitar remédios. Na avaliação dos médicos, apesar de aparentemente simples, uma dor de cabeça pode ser o sintoma de um problema mais grave, como um acidente vascular cerebral, e, portanto, é mais seguro que o paciente seja atendido por um médico.
Sobre renovação de receita médica, o CFM defende que o procedimento deve ocorrer somente após uma conversa entre médico e paciente, quando o médico saberá se o remédio, indicado em um momento anterior, pode ser interrompido, ter a dosagem alterada ou seguir com a prescrição inicial.
Para alguns conselheiros do CFM, a resolução do CFF incentivará a automedicação, pois leva o doente a não procurar o médico, resolvendo os sintomas no balcão da farmácia, sem procurar saber as causas.
A entidade médica citou, na nota, pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisa e Pós-Graduação no Mercado Farmacêutico mostra que 61% dos entrevistados discordaram da possibilidade de farmacêuticos receitarem remédios e 58% não confiam em prescrições feitas por farmacêuticos.
O levantamento, feito de 5 a 10 de agosto deste ano, entrevistou 2.560 pessoas, 53% mulheres e 47% homens, maiores de 18 anos, em Aracaju, Brasília, Belo Horizonte, Campo Grande, Curitiba, Florianópolis, Goiânia, João Pessoa, Maceió, Manaus, Porto Alegre, Salvador, São Paulo, no Recife e Rio de Janeiro.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

65

BURITI INFELIZ: EM MENOS DE DUAS SEMANAS APÓS UM ROUBO, CORREIOS SOFREU SEU NONO ASSALTO HOJE (24).

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Agência agora é nonacampeã em assaltos e funcionários já estão apavorados
 A agência dos correios de Buriti foi novamente assaltada na tarde desta terça-feira. O roubo aconteceu em menos de duas semanas do último assalto sofrido pela agência no dia 11 de setembro. (clique aqui e relembre). Este já é o nono assalto ao todo.
Por volta das 14h45min, dois criminosos, um deles portando um revolver calibre 38 niquelado, anunciaram o assalto e obrigaram os funcionários a fazerem a abertura do cofre que continha o dinheiro dos Correios, que tem funciona como agência do Banco Postal. Para sair com todo o dinheiro retirado, os bandidos levaram uma motocicleta de um dos clientes que estavam na agência e que também ficou confinado junto com os funcionários enquanto eles fugiam. Toda a ação ocorreu sem que a Polícia soubesse de nada.
Impaciente com o confinamento em que estava submetido, o cliente dono da moto usada na fuga, então, resolve sair e percebe que os ladrões levaram sua moto e liga para polícia militar que inicia a caçada.
Em conversa com o Correio Buritiense (CB), o comandante da PM de Buriti, Sargento Florismar, afirmou que a moto foi localizada na ladeira do Tubi, e a partir de lá os criminosos teriam fugido numa Hilux prata, placa JIC 8264, de Brasília-DF.
Testemunhas ainda afirmaram que os dois assaltantes estiveram em palestina cerca de 11h30min desta manhã e almoçaram em Buriti-MA no restaurante Tia Novinha.
A polícia solicitou reforço da Força Tática (FT), mas ainda assim os criminosos conseguiram escapar.
Todos os DPM das cidades vizinhas já estão de alerta para abordagem e captura do veículo suspeito.
A onda de assalto ao Correio de Buriti-MA tem gerado muito medo nos funcionários que já temem por suas vidas. Em conversas reservadas, eles já falam em não querer mais trabalhar nessa instituição porque eles têm família e temem o pior.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

3

SEDEL E A PREFEITURA DE BURITI-MA REALIZARÃO ATIVIDADES ESPORTIVAS NO ÂMBITO DO PROJETO MARANHÃO FELIZ

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


*Com informações da SEDEL
As práticas desportivas se tornaram importantes na vida das pessoas tanto na conquista do bem-estar e saúde como também na socialização do indivíduo. Neste sentido, o esporte e o lazer são peças fundamentais para a sociedade. Por esse motivo, a Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel) iniciou desde 2011 o projeto Maranhão Feliz, iniciativa que tem o objetivo de oferecer à comunidade maranhense opções de lazer, de cultura, de entretenimento e de capacitação.
Neste ano, a Sedel promoverá nos próximos dias 26, 27 e 28 de setembro, em parceria com a Prefeitura de Buriti – MA, mais uma edição do projeto Maranhão Feliz.
O projeto é destinado a crianças, jovens, adultos, idosos e pessoas com deficiência física, e visa proporcionar a todos a prática de diversas atividades esportivas, lazer, artísticas e culturais. Algumas das atividades realizadas durante o evento em Buriti-MA serão: Travinha, Basquete, Voleibol, Peteca, Capoeira, Tênis de Mesa, Dama, Dominó, Xadrez, Jogo de Botões, Pega-Varetas, Queimado, Espiribol, Pula-Pula, Distribuição Picolés e atividades recreativas para crianças.
As atividades do projeto Maranhão Feliz é uma parceria da Sedel e a prefeitura de Buriti-MA, via secretaria municipal de esporte, que realizará um conjunto de atividades recreativas dentro da temática “Esporte Recreativo e Lazer Nas Comunidades Maranhenses”.


domingo, 22 de setembro de 2013

6

REVOLTA EM ANAPURUS: Moradores Indignados queimam pneus e interditam a Rua Newton Bello !!

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


*Com informações do Diário de Anapurus

Acorda Buriti!!

Moradores indignados com a falta de compromisso da Prefeita Tina queimaram pneus e interditaram a Rua Newton Bello, no centro de Anapurus (44,8Km de Buriti-MA). De acordo com o blog Diário de Anapurus, que teve acesso a documentos, a obra Asfáltica da Rua Newton Bello no município teria sido concluída em junho de 2012 pela empresa Premier Construções , incorporações , locações e serviços LTDA de Mata Roma , empresa que tem como sócio majoritário  Sr.  Javé  Ferreira da Costa lima, que já trabalha naquela cidade com perfuração e entrega de contas da CAEMA.
O fato instigante nesse contrato suspeito de superfaturamento é que na prestação de contas do município de Anapurus,  o projeto para asfaltar a Rua Newton Bello foi de exorbitantes R$ 315.789,30 (área total: 10.434m²); com trechos também das ruas José Sarney (880m²) e Maria Pires Leite (1.100m²).
As famílias afirmaram que estão doentes de doenças respiratórias e que algumas chegaram a ser internadas. Comprometendo a vida de crianças, idosos e a comunidade em geral.
Veja abaixo trechos do contrato







sábado, 21 de setembro de 2013

0

OPINIÃO - ESPAÇO ABERTO:Show do Mensalão É Pura Distração

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Elites políticas e mídia comandam o espetáculo como se a questão tratasse da Justiça na sociedade, mas o que fazem é tão somente fomentar a ilusão imprescindível ao funcionamento do sistema.
*Por Hamilton Octavio de Souza em www.cartamaior.com.br
O Supremo Tribunal Federal e o mensalão estão na boca do povo. São mais comentados do que as traições conjugais da novela das 9 e do que as tragédias reais verificadas no Brasil, entre as quais a de filhos que matam os pais e as de pais que matam os filhos. Afinal, o mensalão empolga a opinião pública porque – entre tantos outros casos de corrupção descobertos nos últimos vinte anos – contém ingredientes para todos os gostos: tem políticos, publicitários e banqueiros envolvidos, tem dinheiro público, tem compra e venda de apoio e tem a direita que descobriu que pode futricar o PT porque seu alto comando fez as mesmas coisas que a direita faz desde a proclamação da República.
Com tais ingredientes está aí um enredo espetacular para a grande imprensa conservadora, eterna manipuladora, que é a oportunidade de posar em praça pública como sendo o destemido cavalheiro defensor da verdade e da Justiça, paladino da moralização política e da punição exemplar dos criminosos de todas as espécies. Da mesma forma, o STF, que desde sempre não passa de um repositório de reacionários de vários calibres, descobriu que poderia construir uma imagem simpática do Poder Judiciário, menos elitista e menos classista, mais ao gosto do povo, se levasse para o seu palco o inusitado show, e, ao mesmo tempo, dar boa lição aos que ousaram reproduzir, em nome da esquerda, práticas consagradas pela direita.
É claro que o espetáculo mobiliza as massas, acirra as paixões, entra nos meandros típicos das mais candentes telenovelas, quando todos se sentem atraídos para opinar sobre os mais sórdidos detalhes, onde se embala o pseudoconhecimento técnico, a teia ardilosa de mil conspirações, os trejeitos desempenhados pelos atores, alguns mais convincentes e outros simples canastrãos, todos a bailar num circo dominado por figurinos caros, planejada formalidade cenográfica e linguajar ultrajante para delírio das torcidas do Corinthians e do Flamengo. Nós, o povo, adoramos os rituais dos ricos e famosos, assim como histórias da aristocracia.
Longe do foro privilegiado do mensalão e das câmeras de TV, todos os dias milhares de brasileiros são condenados pelo país afora, pelos mais variados crimes, por juízes de primeira instância, tribunais regionais e estaduais e por tribunais superiores. São crimes de toda ordem: contra o patrimônio (roubos, furtos, estelionatos etc), contra as pessoas (homicídios, lesões corporais, estupros etc), contra os costumes (drogas, pornografia, jogo do bicho etc). A grande maioria dos casos tem processo sumário, sem qualquer trabalho esmerado de apuração, sem defesa regiamente remunerada, sem maiores apelações, sem embargos infringentes. O Brasil tem mais de 500 mil pessoas encarceradas, é o terceiro maior contingente do mundo, sem contar os condenados a prestação de serviços sociais e os que cumprem pena em regime aberto.
Diferentemente do que acontece no processo do mensalão, quando todo o show está voltado para mostrar ao mundo o meticuloso, denso, profundo e cuidadoso funcionamento da Justiça no Brasil, no rame-rame do cidadão comum o que se vê é um grande aparato classista e partidário, elitista e indolente, a fazer às vezes de Judiciário para demarcar de forma bem clara na sociedade os que devem ser criminalizados e punidos e os que devem ser protegidos pelo sistema. Na prática, a questão da Justiça não tem a menor importância numa sociedade marcadamente discriminatória. E já que a Justiça não trata do dia-a-dia do povo brasileiro, já que só os pobres são rigidamente castigados, o show do STF precisa colocar no imaginário da sociedade a ilusão de que a Justiça reina igualmente para todos sem distinção de condição social, classe, raça, cor ou credo.
Quantos empresários estão presos e condenados pelos crimes de sonegação fiscal, evasão de divisas e lavagem de dinheiro? Quantos banqueiros cumprem penas por crimes de agiotagem e extorsão de seus clientes? Por que o judiciário é extremamente lento nos julgamentos de desvios de dinheiro público e formação de cartéis nas concorrências do Estado? Por que as lavanderias do Banco Opportunity e da Camargo Corrêa dormem em berço esplêndido? Por que os casos do mensalão do PSDB e do mensalão do DEM até hoje não chegaram aos tribunais? Por que as fortunas surrupiadas pelo Maluf e pelo juiz Nicolau, entre tantas outras roubalheiras, não foram devolvidas aos cofres públicos?
O julgamento do STF, que bate recordes de ibope desde meados de 2012, cumpre uma função alimentadora do sistema dominante, fortalece a crença de que a equidade de todos perante a lei é algo real, concreto, e que toda punição, quando acontece, é porque passou por uma malha fina cheia de critérios para defender a sociedade com o máximo de sobriedade e serenidade. Mesmo a torcida pela obediência integral aos direitos, a possibilidade da impunidade e a eterna desconfiança – baseada na sabedoria popular – de que tudo vai mesmo terminar em pizza, tudo concorre para o logro, para a triste fantasia de uma Justiça que não existe na vida real e de um sistema que não visa, em nenhuma hipótese, a generalização das mesmas condições para todos.
Se alguém imagina que o mesmo tratamento dado aos réus do mensalão será estendido aos milhares de cidadãos comuns acusados e pegos por algum crime, pode tirar o cavalo da chuva. Se nem mesmo o STF tem qualquer pretensão de fazer Justiça aos réus de foro privilegiado, mas tão somente sedimentar na população a clara sensação de que a Justiça pode alcançar a todos, indistintamente, é evidente que o que se faz rotineiramente pelo país afora é pegar os desprotegidos em geral para reforçar o papel assustador e punitivo do Estado sobre aqueles que precisam ser controlados e sufocados para que não se rebelem contra a desigualdade do sistema.
Seja qual for o resultado do julgamento do mensalão, com prisão ou sem prisão, não altera em nada a correlação da luta de classes no país, não muda nem pra melhor nem pra pior as condições de vida da maioria do povo, não estabelece nenhum novo referencial na ética pública, no jogo político-eleitoral, na atuação partidária ou na relação entre os poderes da República; não vai tornar o STF melhor do que aquilo que sempre foi ou em algo minimamente confiável para a grande maioria do povo; também não vai tornar o PT depurado daqueles que se embrenharam nos equívocos políticos de conduzir um partido nascido dos trabalhadores para a vala comum da ordem burguesa. O acerto de contas é entre os grupos dirigentes, tanto é que juízes e réus se revezam nos papéis de mocinhos e bandidos – para a diversão das torcidas.
O show vale enquanto show, pois tem lá as suas emoções e esmeradas performances. A mídia conservadora deita e rola com o espetáculo. Mas é recomendável que não confundamos um enredo de ficção com a dura realidade que embala a vida da grande maioria. Para falar em Justiça, no Brasil, é preciso primeiro indagar quando, onde e para quem?

*Hamilton Octavio de Souza é jornalista e professor.


sábado, 14 de setembro de 2013

17

ESCOLA MAJOR JOÃO COSTA MANTÉM TRADIÇÃO DE DESFILE CULTURAL E HOMENAGEA GRANDES PERSONALIDADES BURITIENSES

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Num lindo desfile cultural de 7 de setembro a Unidade Integrada Major João Costa, escola do bairro bacuri, fez uma grande homenagem a personalidades buritienses que fizeram e continuam fazendo história por Buriti-MA.
Com o lema “Construindo o Conhecimento” e sem contar com a presença de militares e nem autoridades dos três poderes, exceto o secretário de cultura Teo, o desfile iniciou às 7h30, a partir da própria escola, percorrendo a rua santa Helena, com retorno na rodoviária, até à Praça do estádio municipal, onde no palanque estavam presentes alguns homenageados no desfile.
Os pelotões retratavam os momentos importantes da história do Brasil e de Buriti.
No final da apresentação houve agradecimentos a todos os professores, administrativos e auxiliares dos três turnos da Escola Major que contribuíram para realização deste evento, aos alunos e pais, ao prefeito Rafael Mesquita, aos vereadores, aos representantes de secretarias presentes, aos integrantes da banda de música, à coordenadora geral Prof.ª Esterlane Menezes, à coordenadora do programa Mais Educação, prof.ª Anete Pereira, à diretora adjunta, prof.ª Rogelma Chaves,  e ao diretor geral, prof. Iran Cardoso.
 Confira abaixo toda a sequencia do desfile:
1)   Estandarte da escola com o lema “Construindo o Conhecimento”

2)   Destaque da Baliza da escola, exibindo sua performance.

3)   Pelotão das Bandeiras – trazendo com destaque principal a Bandeira Nacional, seguida pela bandeira da escola, do município de Buriti e a do Estado do Maranhão.




4)   Homenagem a D. Pedro I, com o Grito do Ipiranga.

5)   Globo terrestre – simbolizando que o futuro do planeta Terra está em nossas mãos

6)   Pelotão fardado 1º ao 5º ano feminino



7)   Pelotão da Literatura Infantil, a leitura como uma ferramenta de transformação social.



8)   Pelotão fardado 1º ao 5º ano masculino
9)   Pelotão fardado 1º ao 5º ano



10)                  Pelotão dos buritienses homenageados: professoras Ana Arina de Melo Silva, Maria do Carmo Rocha “Dona Biá”, Candinha (esposa do sr. Deusaniro), Sofia das Chagas, Maria Pereira, Francisca Freitas, Remédio Gonçallo “Dona Remédios”, Antônia Serejo “Dona Antônia do seu Gerson”, Maria José Badica “Dona Mazé”, Batu; Dr. Milton Nava, Dr. Alan Novaes; senhora Eulália (grande parteira dos filhos de Buriti), Iolanda Farias, Manoel Moreira Lima e Faquinha.





11)                  Pelotão In Memorian – representando ilustres buritienses que muito contribuíram com a história e a cultura do município: Maria das Dores “Prof.ª Dores”, José Borges (professor, poeta e desportista), Carmem Costa, Neves Matias ( uma das primeiras professoras da escola Major), Bernadete Cunha, Deusimar Freire, Bernarda Barbosa, Berenice Faria (grande profissional da educação), padre José Costa, Aidil Sousa, Alvin Costa (grande político de nossa terra), Raimundo Freitas, Bernardo Almeida.











12)                  Baliza da Banda Marcial Major João Costa.
13)                  Execução da banda marcial
14)                  Execução dos Hinos Nacional e Municipal pela banda marcial



15)                  Pelotão fardado 6º ao 9º ano masculino


16)                  Pelotão fardado 6º ao 9º ano feminino



17)                  Pelotão fardado 6º ao 9º ano – educação de jovens e adultos (EJA)




18)                  Pelotão da educação de jovens e adultos (EJA) com o tema “Nossa História, Nossa Cultura”





19)                  Pelotão do esporte com o lema “Esporte é Saúde”, com destaque para o garoto com a bola de ouro representando o rei Pelé.


20)                  Alunas e troféus – grandes conquistas do nosso futebol
21)                  Alunas uniformizadas representando os atletas buritienses e bacurienses



22)                  Pelotão fardado 6º ao 9º ano

23)         Pelotão do Programa Mais Educação – destaque os monitores do Programa da Escola Major João Costa.

VEJA MAIS FOTOS ABAIXO E TAMBÉM NO FACEBOOK DO CORREIO BURITIENSE https://www.facebook.com/correio.buritiense











← Anterior Proxima → Página inicial

Usuários on-line


usuários online