"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...

POLÍCIA PRENDE HOMEM DE 50 ANOS SOB SUSPEITA DE FABRICAR ARMAS DE FOGO EM BURITI - MA


Na manhã desta sexta-feira 23/8, por volta de 11h40min a Equipe do GSA (Grupo de Serviços Avançados) do 16° Batalhão e a Polícia Civil deslocaram até a Rua das Flores, no Centro da cidade de Buriti-MA, para verificar denúncia anônima sobre uma possível fabricação de armas de fogo na residência do senhor TOMÁS CONCEIÇÃO DOS SANTOS, 50 anos de idade.
Quando a equipe de Policiais chegou ao local, encontrou o autor consertando uma espingarda em sua oficina, ele, imediatamente, recebeu voz de prisão e os policiais realizaram uma busca minuciosa no local, onde foram encontrados armas de fogo e o material utilizado para a fabricação de novas armas.   
O Conduzido, as armas de fogo e os objetos apreendidos foram apresentados na Delegacia de Buriti/MA, para as providências cabíveis.

 ARMAS E OBJETO APREENDIDOS:
- 09 armas de fogo bate bucha
- 01 revólver calibre 22
- 08 coronhas de espingarda
- 17 canos para espingardas
- 02 estojos cal 22
- A quantia de R$ 105,40 (cento e cinco reais e quarenta centavos).


CONVITE: Com raízes buritienses, escritor Joaquim Aguiar relança dois livros nesta sexta-feira 23/8 em Buriti – MA


Joaquim Pedro Linhares de Aguiar, escritor com raízes buritienses, convida aos leitores de Buriti para o relançamento dos seus primeiros livros já publicados:  “Buriti – Nosso Berço, Nossa História” e “Caminhos do Fenômeno”.
Joaquim Aguiar, como é conhecido, além de escritor, é historiador e pesquisador diletante. Há 8 anos já se dedica a escrever e já prepara outros livros a serem publicados. “Tenho oito trabalhos escritos e estes dois são meus primeiros livros sendo relançados. São resgates temáticos através da Pesquisa Oral. Livros com ótima qualidade de impressão e acabamentos. O evento terá apoio da AMIB”, disse ele ao Correio Buritiense.
O relançamento será na próxima sexta-feira 23/8 na sede cultural da AMIB, em Buriti, a partir das 19h. Não perca!

POLÍCIA MILITAR EFETUA PRISÕES POR PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO EM BURITI E CIDADES VIZINHAS NO ÚLTIMO SÁBADO (17)


A cada dia mais empenhados em seu papel de guardião da sociedade e a última barreira entre o crime e os direitos básicos do cidadão, policias militares de serviço efetuaram várias prisões por porte ilegal de arma de fogo em cidades da área do 16° Batalhão no último sábado 17/8. Veja os casos abaixo.
Em Buriti-MA, no povoado Quebra-Coco, MA- 034, por volta das 16h30, a guarnição de serviço em Palestina, apoiada pela guarnição de Brejo/MA, fez abordagem a dois veículos suspeitos com várias marcas de tiro, pois havia denúncia de existência de armas de fogo nos veículos. Após abordagem e busca minuciosa, foi encontrado um revólver Taurus calibre 38, n° HC25781 e cinco munições em posse de RAILSON SILVA CARVALHO (19 anos), este recebeu voz de prisão e foi conduzido para a Delegacia de Chapadinha/MA junto com a arma, para providencias cabíveis.
Em Chapadinha, por volta das 11h25min, a guarnição da Força Tática de serviço foi informada, via rádio, que JOÃO PAULO DE MENDONÇA, 35 anos (conduzido), teria ameaçado o Sgt Pm da reserva Raimundo Nonato Cardoso (vítima), com uma arma de fogo. A guarnição fez diligencia, encontrando o autor em seu estabelecimento comercial na Av. Ataliba Vieira de Almeida, bairro Campo Velho, e, após abordagem pessoal, foi encontrado na sua cintura um revolver Taurus calibre 38, n° 2047633, contendo seis munições intactas, então foi dado voz de prisão e conduzido para a Delegacia, para providencias cabíveis.
Ainda no mesmo sábado 17/8, por volta das 17h, em Chapadinha/MA, a guarnição da Força Tática após denúncia, prendeu na rua da Pedreira no bairro Campo Velho, o indivíduo VALDECY DOS SANTOS DA CONCEIÇÃO, 19 anos, de posse de uma arma de fogo, tipo garrucha de fabricação caseira, e o conduziu juntamente com a arma para a Delegacia para providencias cabíveis.
Em Água Doce (MA), foram também dois casos de apreensões.
Por volta das 12h30min, a guarnição de serviço, após denúncia, via célula, de que no povoado São Francisco daquele município havia um indivíduo de nome JOHN LENNON DO NASCIMENTO CARNEIRO, 32 anos, que usava tornozeleira eletrônica, estava na sua casa com várias pessoas suspeitas de roubos na região. A guarnição de serviço se deslocou para a localidade com o apoio da guarnição de Pirangi e, ao chegar no local, flagraram John Lennon com vários materiais hospitalares e quatro espingardas bate bucha de fabricação caseira, e os demais ao avistarem as viaturas policiais fugiram no matagal. Jonh Lennon foi preso e conduzido para a Delegacia de Barreirinha/MA, juntamente com as armas e o material apreendido, para providencias cabíveis.
MATERIAL APREENDIDO:
01 Vaso sanitário
02 Pias completas
01 maca
02 cestos de lixo
Peças de servi alimentos
02 torneiras inox
03 tesouras hospitalar. 
Já por volta das 17 horas, a guarnição de serviço em Pirangi, retornando da cidade de Água Doce/MA, chegando na rotatória do Povoado Cana Brava, avistou dois indivíduos em atitude suspeita numa motocicleta, estes quando perceberam a viatura, fizeram o retorno e, empreendendo fuga, de posse de arma de fogo, a garupa apontou e disparou na direção dos policiais e adentraram em uma vereda, deixando as armas e duas espingardas de fabricação caseira do tipo bate bucha. Eles conseguiram fugir e as armas foram recolhidas e apresentadas na Delegacia da cidade de Araioses/MA.

Coluna Sim, é o Benedito - EDUCAÇÃO AMBIENTAL NOS CURRÍCULOS ESCOLARES


O desafio da conscientização
EDUCAÇÃO AMBIENTAL NOS CURRÍCULOS ESCOLARES
*Por Benedito Ferreira Marques
Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.
Esse é o preceito fundamental em torno do qual giram todas as questões ambientais: desmatamento desenfreado de biomas, finitude das águas, falta de saneamento básico, lixões nos centros urbanos, dizimação da fauna, utilização de agrotóxicos na agricultura intensiva em escala ascendente, emissão de gases, aquecimento global e mudanças climáticas, segurança alimentar, enfim, a vida humana.
Em meio às discussões que se travam publicamente,  acerca  do desmatamento da floresta amazônica, depois da divulgação de dados pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), publicamente contestados pela maior autoridade do País; no momento em que a ONU divulga dados que dão conta de que, no Brasil, 70% da água está sendo consumida na atividade agropecuária; e no momento em que a Alemanha e a Noruega suspendem as ajudas que vinham financiando projetos voltados para a proteção da Amazônia, e o governo brasileiro age com soberba,  a dizer que o “Brasil não precisa disso”, impõe-se, urgentemente, um esforço da sociedade, inclusive com  mobilizações populares de rua, para a mais rápida conscientização de todos, de acordo com o comando constitucional encimado, à guisa de ementa. Não se trata de uma questão político-partidária ou de antagonismos ideológicos.  Cuida-se de uma causa comum a todos nós, cidadãos.
De minha parte – enquanto cidadão e pretenso formador de opinião -, reflito sobre a ideia de serem introduzidos nos currículos escolares de todos os níveis – do ensino fundamental ao superior -, conteúdos teóricos e práticos direcionados para a educação ambiental. A premissa dessa ideia reside no mandamento da Lei Maior, de acordo com o qual a solução dos problemas ambientais não é somente da responsabilidade do Poder Público, mas de toda a coletividade.
  Desse modo, se a responsabilidade é bipartida entre o Poder Público e a Sociedade, a conscientização deve ser compartilhada com os dois lados, isto é, tanto para os agentes públicos, como para a população em geral, a partir da idade em que se inicia o processo de compreensão. Afinal, a problemática ambiental não se limita ao desmatamento da Amazônia; também afeta outros biomas (Mata Atlântica, Cerrados, Caatingas etc). E mais que isso, a questão do “meio ambiente ecologicamente equilibrado” compreende a preservação da água, - que é finita -; o saneamento básico e disseminação de agrotóxicos nas lavouras extensivas. São fatores que potencializam os problemas climáticos do planeta Terra e, consequentemente, produzem efeitos que atingem a todos os seres vivos.
Discutir apenas o desmatamento de florestas é tangenciar as demais questões relacionadas com a água, com o saneamento, com a solução para os lixões nos municípios, com o controle da aplicação de agrotóxicos nas atividades agrícolas, com a preservação das terras indígenas, com a busca de alternativas energéticas sustentáveis, entre outros, devem ser debatidos em todas as salas de aulas e estendidos em seminários, simpósios e encontros de que participem professores, estudantes e agentes públicos, enfim, a sociedade. Urge uma conscientização ambiental massiva que começa e não termina, porque os problemas se repetem e se multiplicam na medida do aumento da população mundial. Muitas vezes o problema está bem perto de nós e não nos apercebemos. Só para exemplificar, muitos de nós não sabemos, sequer, para onde estão indo os lixões em nossa cidade. O Brasil tem quase 3 mil lixões em 1.600 cidades, e o prazo preconizado na Política Nacional de Resíduos Sólidos já se venceu faz anos. Levantamentos oficiais indicam que são gastos R$ 3 bilhões de reais por ano com a saúde de pessoas que ficaram doentes por causa de contaminação provocada pelos lixões. OS lixões produzidos em cada cidade são apenas uma faceta do problema ambiental, para o qual há Prefeitos que sequer têm planejamento nesse sentido. E a sociedade se acomoda, esperando que somente o Poder Público seja obrigado a resolver, com o discurso requentado de que “tem direito, porque paga impostos”. Isso é falta de informações; isso é falta de educação ambiental.
  Nesta Coluna já verberei contra o desmatamento de nossas chapadas, que foram substituídas pelos campos de soja, prenunciando desertos futuros, se já não bastasse o desmonte da agricultura familiar tradicional. Em outra oportunidade, também já comentei sobre a questão das águas em nossos córregos e riachos, que tendem a secar, por falta de conservação e manutenção das matas ciliares. Também já fiz uma narrativa censurando o emprego abusivo de agrotóxicos na sojicultura. Quero dizer, estou fazendo a minha parte, tal como um beija-flor que tenta apagar o incêndio com gotículas de água carregadas no bico. Diga-se que seja uma lenda, mas não se rejeite o sentido de educação ambiental, no rumo da conscientização necessária e oportuna. Em breve a “Família Ferreira Marques” (Barro Branco = Buriti-MA) estará iniciando o replantio de árvores frutíferas próprias de nossas chapadas devastadas, numa pequena área, como exemplo de preservação florestal.  Esse é o caminho.
Toda essa problemática transcende às discussões de modelos de governança, de orientações ideológicas marcadas pelo dogmatismo, e até mesmo de doutrinação religiosa. Há um problema a ser solucionado que afeta a humanidade, e somente esta pode buscar a solução. A educação ambiental coloca-se como parte dessa solução, porque conscientiza, porque sensibiliza, porque divide responsabilidades, porque faz o homem compreender que é ele o problema.
  Houvesse educação ambiental nos currículos escolares, não teríamos essas discussões estéreis que se banalizam em si mesmas, com trocas de farpas entre autoridades e cientistas a respeito de dados concernentes à devastação da floresta amazônica. Se a mídia se encarrega de repercutir entreveros dessa natureza, provoca dúvidas e incertezas na sociedade, que se divide entre o bem e o mal. Em lugar dessas rusgas apaixonadas e inúteis, dever-se-ia abraçar a causa ambiental com a participação construtiva de todos – agentes públicos e sociedade como protagonistas –, com espíritos desarmados, sem estímulos chistosamente apregoados pelo próprio Presidente da República (“Eu sou o capitão moto-serra”). Não é assim que se resolvem os problemas.
A proposta que me animo a defender é a introdução de disciplinas com conteúdos teóricos e práticas em campo sobre o meio ambiente em todos os níveis de ensino. E isso pode ser implementado, desde já, quando se fala em mudanças nos sistemas de ensino básico. A hora é de ações concretas. Distribuam-se cartilhas, façam-se atividades de campo; mostrem-se as realidades locais e se comparem com outras realidades, restaurem-se florestas desmatadas com árvores do mesmo bioma. Promovam-se competições saudáveis com os estudantes, destinadas a conscientizá-los cada vez mais.
  Essa é a proposta.

SOBRE O AUTOR

BENEDITO FERREIRA MARQUES nasceu no dia 11 de novembro de 1939, no povoado Barro Branco, no município de Buriti/MA. Começou seus estudos em escola pública e, com dedicação, foi galgando os degraus que o levariam à universidade. Possui graduação em Direito pela Universidade Federal do Maranhão (1964), especialista em Direito Civil, Direito Agrário e Direito Comercial; mestre em Direito Agrário pela Universidade Federal de Goiás (1988); e doutor em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco (2004). Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Comercial, atuando principalmente nos seguintes temas: direito agrário, reforma agrária, função social, contratos agrários e princípios constitucionais.NA Universidade Federal de Goiás, foi Vice-reitor, Coordenador do Curso de Mestrado em Direito Agrário e Diretor da Faculdade de Direito. Na Carreira de magistério, foi professor de Português no Ensino Médio; no Ensino Superior foi professor de Direito Civil, Direito Agrário e Direito Comercial, sendo que, de 1976 a 1984, foi professor de Direito Civil na PUC de Goiás. Acompanhou pesquisas, participou de inúmeras bancas examinadoras de mestrado, autor de muitos artigos, textos em jornais, trabalhos publicados em anais de congressos, além de já ter publicado 12 livros, entre eles “A Guerra da Balaiada, à luz do direito”, “Marcas do Passado”, “Direito Agrário para Concursos”; e “Cambica de Buriti”; entre outros.

Coluna um Olhar Literário de Buriti: OLHO

 Olho
*Por Matheus Cardoso

O recém-nascido chora ao entrar no palco desse teatro-vida
E inquieta-se ao abrir das pálpebras-cortinas:
E parece ser esse não entender que dá na vista
Que manterá até a morte esse brilho teatral na retina;

Entre tantas imagens caóticas
Que têm com o erro relação de insistência,
É motivo e alvo da ilusão de ótica,
O menino bobo que tanto crê na aparência;

E quando ele esbarra forte no de alguém desconhecido
E a arte se faz sem precisar de artista.
Desses momentos em que a própria poesia se ilude:
"Foi amor à primeira vista";

A humanidade dá importância máxima pra visão
E essa escuridão vai de norte a sul
- Talvez não seja à toa que o centro do ânus
Seja chamado de "olho do cu"

Ponto em que todo maconheiro se assemelha
- Tela de pintura da erva que só usa tinta vermelha;

E coroa de rei em terra de cego,
Solidão visual ganhando título nobre.
E quem é que tem tanto ego
Pra achar-se da nobreza sob esse manto de ignorância que nos cobre?

Há que admitir-se a sensação de estarmos sempre sem norte.
Fecha-se o olho do defunto como esse movimento fosse a sua sorte
Ninguém pode ter errado tanto que mereça continuar
Vendo isso tudo mesmo depois da morte;

Objeto de estudo da semiótica da alma
- Ser a janela pela qual ela se mostra
É nele que o estudioso observa toda palavra que a boca não fala,
Que até no plano espiritual é de expressão que a gente gosta;

E porque é preciso ter por onde transbordar
O que não cabe nesse coração-criatura,
Ele é válvula de escape
De tudo aquilo que o peito não segura.


SOBRE O AUTOR:


Matheus Cardoso nasceu em 05 de fevereiro de 1995, na beira do rio Parnaíba. Maranhense de um lado, piauiense de outro. Segundo a astrologia, aquário. Segundo seu querer, rio. Estudou Letras - Português na Universidade Estadual do Piauí. Corre atrás da paciência carregando a ansiedade nas costas. Professor-Poeta em construção, resistência, movimento e alegria. Ativista cultural que garante que vai mudar o mundo - ou, pelo menos, dar nele uma sacudida boa.

VAZA-JATO: Mensagens apontam que Procuradores buscavam dados sigilosos de forma informal junto a auditor-fiscal que hoje é chefe do Coaf, levado por Moro ao Governo


Consultas "informais" foram feitas até para saber se seguranças de Lula compraram geladeira e fogão para o sítio de Atibaia.
Além de (1) incentivar secretamente investigações de ministros do Supremo Tribunal Federal, (2) colaborar de forma proibida com então juiz Sergio Moro, (3) usar partido político e grupos da sociedade civil como lobistas para emplacar suas pautas políticas, (4) tramar o vazamento de uma delação para interferir na política de outro país e se encontrar secretamente com banqueiros em pleno ano eleitoral, os procuradores da operação Lava Jato também usaram o Telegram para obter informalmente dados sigilosos da Receita Federal – ou seja, sem nenhum controle da Justiça.
O coordenador da força-tarefa, Deltan Dallagnol, e seus colegas em Curitiba recorreram em diversas ocasiões a um informante graduado dentro da Receita para levantar o sigilo fiscal de cidadãos sem que a Justiça tivesse autorizado a quebra. As investigações clandestinas são reveladas neste domingo 18/8 pelo Intercept em parceria com a Folha de S. Paulo, graças ao arquivo da Vaza Jato.
Para obter os dados sigilosos, os procuradores recorreram ao auditor fiscal Roberto Leonel, que chefiava a área de inteligência da Receita em Curitiba, onde trabalhava. Leonel é hoje presidente do Coaf e foi levado ao governo de Jair Bolsonaro por Sergio Moro.
A relação entre Leonel e a força-tarefa era tão próxima que eles pediram para o auditor informações sigilosas de contribuintes até mesmo para verificar hipóteses sem indícios mínimos. A Lava Jato, como o Intercept mostrou em parceria com o El País, já se movimentou contra seus inimigos declarados motivada apenas por boatos.
 *Do The Intercept

MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA URBANA DE BURITI: Deputado Fábio Macedo destina emenda no valor de R$ 425 mil para calçamento de bloquetes na cidade


O prefeito Naldo Batista (PCdoB), em visita ao Deputado Estadual Fábio Macedo, conseguiu uma emenda para calçamentos no valor de R$ 425 mil reais. A vinda da emenda representa uma conquista muito boa para a cidade de Buriti, ratificando o compromisso de Fábio Macêdo com a cidade que foi determinante para obtenção do seu novo mandato parlamentar.
A emenda, no valor de R$ 425 mil reais, para obras de calçamento e infraestrutura na cidade de Buriti. No total, serão implantados uma estimativa de 2 mil metros de calçamento de bloquetes na Avenida Benedito Gonçalves Machado e suas adjacências. A previsão de início das obras é para o mais rápido possível.
O parlamentar pedetista já havia prometido esta emenda em sua visita à cidade de Buriti no mês de julho durante o período de festejos.
Como diz o próprio Deputado Fábio Macedo "Nosso mandato é para melhor e servir ao povo, levando benefícios e desenvolvimento para os municípios maranhenses. Com muita alegria, destinamos essa emenda para Buriti, que vai garantir o calçamento adequado da avenida. O que vai trazer melhoria na qualidade de vida da população”.
É muito forte a parceria do Prefeito Naldo Batista com o Deputado Estadual Fábio Macedo e juntos estão melhorando a vida da população buritiense.
Buriti - Novo Tempo, Nova História!

Confira a tabela de grupos do Campeonato Municipal de Futebol 2019 de Buriti-MA


As disputas vão começar no sábado 24/8.
No próximo sábado 24/8, no estádio Machadão, terá início os jogos do principal evento esportivo de Buriti, o Campeonato Municipal de Futebol, que este ano fará uma justa homenagem ao saudoso Raimundo Ferreira Viana ou Raimundo Flora. 
A Secretária de Esporte divulgou na última semana a tabela de grupos contendo os nomes dos principais times de futebol buritiense que participarão esta edição 2019 do Campeonato.  
VEJA ABAIXO A TABELA

Para melhoraria da limpeza pública, Prefeitura de Buriti (MA) implanta novos pontos de coleta de lixo pela cidade


*Com informações da Secom

A Prefeitura Municipal de Buriti, através da Secretaria de Obras e Urbanismo, implanta pela cidade vários pontos de coleta de lixo e pede a população para que não joguem lixo espalhados pelas calçadas e sim dentro do ponto de coleta para que sejam recolhidos pela limpeza pública.

Manter uma cidade limpa e organizada são metas do governo do prefeito Naldo Batista, e por isso a secretaria pede o apoio de todos os buritienses para o cumprimento desta meta.
Buriti - Novo Tempo, Nova História!

Secretária de Educação de Buriti, Rosinalva Cardoso, participa do 17º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação no Estado da Bahia



*Com informações Secom
A educação é sem dúvida a grande diferença de uma nação e por que motivo o município de Buriti não podia deixar de participar desse importante evento para discutir assuntos relacionados principalmente ao (FUNDEB) e outros temas como BNCC e qualidade da educação.
O evento foi realizado em Mata de São João (BA), no período de 13 a 16 de agosto de 2019. Ao longo dos quatro dias de programação, o evento pretende mobilizar cerca de 1.500 dirigentes, técnicos de secretarias e educadores para discutir assuntos como o novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) como mecanismo de financiamento para a garantia da qualidade da educação, a apresentação das ações intersetoriais na promoção da qualidade da educação, o processo de implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) nos municípios, além de políticas e programas para garantir o direito à educação e minicursos do Conviva Educação e a Busca Ativa Escolar.
 Organizada em conferências, mesas-redondas, minicursos e oficinas, a 17ª edição do Fórum Nacional também proporcionará visitas dos participantes às salas de atendimento governamental (FNDE, Inep, SEB, Semesp, Sealf, Capes), a estandes do Conviva Educação e de parceiros institucionais da Undime (Ação Educativa, Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Fundação Itaú Social, Fundação Lemann, Fundação Santillana, Fundação Telefônica-Vivo, Instituto Natura, Unicef e Uncme) e a estandes de empresas credenciadas.
Realizado em um período de intensas discussões no que diz respeito ao financiamento da Educação, mais especificamente ao Fundeb, cujo prazo de vigência se encerra em 2020, o 17º Fórum Nacional da Undime foi um momento determinante na formação de gestores e educadores, pois tradicionalmente consiste em um espaço democrático de debate sobre os cenários postos para a educação.
 É com educação que se transforma um povo, e por isso precisamos estar por dentro das mudanças que estão por vir que afetam diretamente a educação do Brasil.
Buriti - Novo Tempo, Nova História!

POLÍCIA MILITAR DO 16° BATALHÃO APREENDE MAIS 12 MOTOCICLETAS ROUBADAS EM BURITI E CIDADES VIZINHAS NESTA SEMANA


  A Policia Militar através do 16° Batalhão, vem atuando e realizando de forma incansável diversas ações e operações visando a prevenção e combate à criminalidade em Chapadinha (MA) e região proporcionando mais segurança ao cidadão.
 Só nesta semana, entre os dias 09 e 15/08, policiais militares de serviço fizeram várias conduções de infratores e apreensões de motocicletas com registro de roubo ou furto e entregues nas Delegacias de Polícia das cidades de Buriti, Chapadinha, Belágua, Mata Roma, Palestina/Brejo, Paulino Neves, São Benedito do Rio Preto, Tutoia e Urbano Santos, onde os infratores foram entregues juntamente com os veículos apreendidos para procedimentos cabíveis.

MOTOCICLETA APREENDIDA EM BURITI/MA

Motocicleta Honda CG 150 FAN ESI preta, chassi n° 9c2kc1670dr436436, veículo apreendido pela guarnição de serviço com registro de roubo/furto.

MOTOCICLETA APREENDIDA EM CHAPADINHA/MA.

Motocicleta Honda Biz 100 KS – 2012/2013 preta placa JKA-0422 Tianguá/CE, veículo apreendido pela Equipe Águia após ter sido roubada no posto Vemasa. 


Motocicleta Honda Pop 110I - 2016 vermelha, placa PSP-0760 Chapadinha/MA, veículo encontrado abandonada proximo a Associação Cangaia, a qual foi roubada no dia anterior.


Motocicleta Honda CG 125 Titan KS - 2000 Vermelha, placa LVM 0757 Teresina/PI, veículo apreendido pela Equipe Águia com registro de roubo/furto.

MOTOCICLETA APREENDIDA EM BELÁGUA/MA

Motocicleta Honda CG 150 FAN ESDI - 2013/2014 vermelha, placa OJL-8383 São Luis/MA, veículo apreendido em barreira (blitz) pela guarnição de serviço com registro de roubo/furto.

MOTOCICLETA APREENDIDA EM MATA ROMA

Motocicleta Honda pop 100 - 2008 vermelha placa, NHN-4930 Afonso Cunha/MA, veículo apreendido pela guarnição de serviço com registro de roubo/furto.

MOTOCICLETA APREENDIDA EM PALESTINA (BREJO/MA)

Motocicleta Honda CG 125  FAN KS - 2012 roxa, Placa: NXL-1021 Timon/MA, veículo apreendido pela guarnição de serviço com registro de roubo/furto.

MOTOCICLETA APREENDIDA EM PAULINO NEVES/MA

Motocicleta Honda NXR 160 BROS ESDD - 2016 branca, PLACA: PIG 9358 Paranaíba/PI, veículo apreendido pela guarnição de serviço com registro de roubo/furto.

MOTOCICLETA APREENDIDA EM SÃO BENEDITO DO RIO PRETO/MA

Motocicleta Honda CG 150 Titan ES - 2005/2006 vermelha placa HQA-4776 Chapadinha - MA, veículo apreendido em barreira (blitz) pela guarnição de serviço com registro de roubo/furto.

MOTOCICLETA APREENDIDA EM TUTOIA/MA

Motocicleta Honda CG 125 Titan KS 2004 preta, LVV-6953 Teresina/PI, veículo apreendido em barreira (blitz) pela guarnição de serviço com registro de roubo/furto.

MOTOCICLETA APREENDIDA EM URBANO SANTOS/MA

 Motocicleta Honda 150 Titan preta com chassi adulterado, veículo apreendido pela guarnição de serviço. 


Motocicleta Honda Bros 125 branca, Chassi: 9c2kd0337r004108re, apreendida pela guarnição de serviço com chassi adulterado.

ENTENDA QUAIS REGRAS ESTÃO VALENDO SOBRE OS DECRETOS DE ARMAS DE BOLSONARO


Nesta quinta-feira, Exército definiu lista de armas permitidas e de uso restrito.
Em sete meses de governo, as propostas do governo Bolsonaro sobre as regras de compra, posse e porte de armas sofreram idas e vindas. Já foram editados sete decretos pelo Executivo, enquanto projetos de revogação no legislativo e ações no Judiciário tentam derrubar as medidas. Há ainda um projeto de lei enviado pelo presidente para a Câmara que amplia as categorias que teriam direito ao porte de armas e permite a inclusão de novas, futuramente, por decreto.
Neste momento, estão em vigor três decretos de Bolsonaro, que tratam apenas da posse de armas. As regras em vigor asseguram que qualquer pessoa apresente declaração de efetiva necessidade para comprar uma arma. E não precisa provar se há mesmo essa necessidade, basta declarar por escrito. A autoridade policial terá que tomar a afirmação como de boa fé e conceder autorização para posse da arma. Além da posse na área urbana, o texto que está valendo define que produtores rurais podem circular com a arma em toda a extensão da propriedade.
Dois dos decretos apresentam a definição do que é uma arma de uso permitido e aguardavam uma definição do Comando do Exército sobre a lista de armas permitidas e as de uso restrito. Nesta quinta-feira, o Exército publicou uma portaria com as armas que poderão ser adquiridas para a posse após os decretos mais recentes do Executivo.
Segundo a tabela publicada no D.O., são de uso permitido:
. 40 Smith &Wesson;
. 45 Automatic; 
. 45 Colt; 
.45 Glock pistola automática; 
. 45 Winchester Magnum, 357 Magnum.
Essas armas, até a edição dos decretos do governo Bolsonaro, eram consideradas de uso restrito.
Já na lista de armas de uso restrito apenas para profissionais da área de segurança estão, entre outras, fuzis dos seguintes calibres 5.56x45 mm; 7.62x51 mm; 12.7x99 mm.
Pelo texto atual, colecionadores podem ter até cinco armas de cada modelo. Para os caçadores, o limite é de 15 e para atiradores, 30 armas. Esse limite se aplica às armas de uso permitido pelo Exército.
O decreto que está em vigor excluiu a permissão para porte que era concedida a mais de 20 categorias da primeira proposta do presidente. Não há mais direito assegurado para políticos eleitos; advogados; guardas de trânsito; caminhoneiros; e jornalistas entre outras categorias.
Após edições e revogações de decretos e de Bolsonaro ter seus próprios atos contestados no Congresso, o presidente enviou um projeto de lei para a Câmara. O projeto dá ao presidente o poder de editar novos decretos sobre o tema, amplia as categorias que teriam direito ao porte de armas e permite a inclusão de novas, futuramente, por decreto.
A importação de armamento está permitida mesmo quando há similar fabricado no país. Até a edição dos decretos de Bolsonaro, a compra de armas no exterior era proibida quando havia similar no Brasil.
FONTE: O Globo

Seguidores