"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

Conferência de Mulheres da Assembleia de Deus em Buriti-MA

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

Charles Crispim na Balada Fight - Edição Tatto

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

2

POLÍCIA CIVIL DECRETA GREVE E APROFUNDA CRISE NA SEGURANÇA

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


A Polícia Civil do Maranhão decidiu na noite desta segunda-feira (28), em assembleia, decretar uma greve por tempo indeterminado a partir de amanhã. Será a quarta categoria de profissionais da segurança pública a parar no Estado.
Após a assembleia, os policiais seguiram em passeata, pelas ruas de São Luís, até a Assembleia Legislativa do Estado, onde policiais militares e bombeiros estão acampados.
PMs, delegados da Polícia Civil e bombeiros estão em greve desde a semana passada.
O policiamento das ruas da capital do Estado e das principais cidades do interior está sendo reforçado por homens da Força Nacional de Segurança e por soldados do Exército.
Os policiais civis reivindicam a abertura das negociações com o governo do Estado para um novo plano de cargos e salários para a categoria. De acordo com os policiais civis, em abril foi acordado com o governo a criação de uma comissão para discutir o assunto.
Os policiais civis estão solidários às reivindicações dos policiais militares e bombeiros, que pedem reajuste de 30%.
Segundo lideranças do movimento, metade dos policiais civis vão manter as atividades a partir de amanhã para atender casos urgentes e flagrantes.
Metade dos delegados da Polícia Civil também estão trabalhando. Eles reivindicam do governo o envio de uma proposta de emenda constitucional para a Assembleia Legislativa reconhecendo o cargo como sendo carreira jurídica.
O governo do Estado disse que está em estudo uma proposta de plano de carreira e realinhamento salarial para todo o funcionalismo, entre eles os policias civis e militares e os bombeiros. A proposta reivindicada pelos delegados, segundo a assessoria de comunicação do governo, já foi enviada à Assembleia.

sábado, 26 de novembro de 2011

104

MOVIMENTO POPULAR LIBERTADOR DE BURITI (MPLB) EMPOLGA BURITIENSES E ASSUSTA ADVERSÁRIOS.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


O Movimento Popular Libertador de Buriti (MPLB), composto pelos partidos PT do B (70), PPS (23), PTC (36) e PMN (33), todos de oposição a atual gestão, realizou no dia 19 de novembro, na Câmara Municipal, convenção partidária na qual esses partidos signatários selaram acordo em torno do prefeitável José Marques Viana, o ZUCA, como alternativa qualificada e viável para enfrentar os grandes desafios de Buriti.
 Num ambiente lotado por militantes do movimento popular, por simpatizantes, curiosos e eleitores que vieram de vários povoados para prestigiar e declarar apoio ao Zuca, as falas foram iniciadas pelos representantes partidários e pelos adeptos do Movimento que contam com o respaldo e respeito da sociedade buritiense. Do lado de fora foi posto um carro de som devido a lotação da Câmara que não comportava todas as pessoas presentes no evento.
Em seu discurso, o pré-candidato a vereador Zé Francisco revelou o caos da insegurança que prevalece em buriti, lembrando a barbaridade que ocorreu com o vigilante do Posto de saúde, e solicitou o apoio do deputado federal Lourival Mendes e do deputado estadual Rogério Cafeteira no apoio ao candidato Zuca para que, juntos, marchem nesse Movimento Popular Libertador para “mudar a história de Buriti”.
Em seu longo e enfático discurso o deputado federal (PT do B) Lourival Mendes destacou que o Movimento Popular Libertador de Buriti (MPLB) representa um fato histórico que vai virar “uma página na vida política do município de Buriti”. Lourival Mendes afirmou ainda que o Zuca “tem capacidade para ser prefeito” e que é “ a vontade do povo que move cada um de nós”.
O deputado, mesmo sem nunca ter feito política em Buriti, como ele mesmo disse “nunca nem tinha ouvido falar no Zuca”, obteve 796 votos de pessoas que confiaram no prefeitável Zuca, com apenas 7 dias de campanha.
O advogado e historiador Reginaldo Veríssimo falou que o “momento vivenciado” nesse dia é “histórico” e “legítimo, porque tem a cara do povo, o cheiro do povo e é ele que está fazendo esta caminhada”.  O advogado já foi candidato a vice-prefeito na chapa de Zuca, na aliança de 2004, entre PPS e PT, momento, inclusive, frisado pelo próprio prefeitável Zuca, como sendo a origem desse movimento popular.
Reginaldo Veríssimo afirmou ainda que “uma caminhada só se faz com luta”. Trata-se, na verdade, de um recado claro para os presentes de que não basta convencer-se de que é chegada a hora, mas que lutar é sempre necessário quando se quer conquistar algo.
O presidente da AMIB (ressalte-se: não falou em nome da instituição), Aidil Filho, destacou que o Movimento Popular representava uma “mentalidade nova”, a chamada “Terceira Via”, e que não adiantava “trocar seis por meia dúzia” e que “não concorda com o que está acontecendo em Buriti”, onde é constatável por qualquer buritiense que “o gestor não trabalha na prefeitura e sim na casa dele”, tratando a coisa pública como “propriedade privada”.
A Assistente Social Vilzamar Borges falou que o conhecimento é a ferramenta necessária para diferenciar “o correto do não correto” e que a missão do Zuca é árdua, mas que ele pode contar com as “habilidades e conhecimentos” dela.
Romualdo Veras, presidente municipal do PPS e pré-candidato a vereador, ressaltou que a participação no Movimento Popular Libertador é a certeza de que "nós, buritienses, possamos ter um espaço de liberdade, onde todos possam expressar seus direitos".
O petista Aliandro Borges, redator-chefe do Correio Buritiense, afirmou que Buriti “vive uma realidade sofrível e triste” e que “ninguém pode mais fazer oposição democrática”. Em Buriti, “ninguém pode mais criticar um secretário de saúde por uma péssima gestão, ninguém pode mais criticar um secretário de educação por deixar as escolas em péssimas condições, nem criticar um secretário de meio ambiente que entrega todo nosso pequizeiro a grupos que destroem a vegetação nativa”.
Aliandro Borges evidenciou ainda que a votação conseguida pelo o Zuca aos seus deputados foi o “reconhecimento do povo de que é chegada a hora da mudança”.  Só que “uma mudança para o diferente e não para o mesmo”.
O vice - presidente do PPS, Alex Borges, conclamou os ouvintes a fazerem uma reflexão e reforçou a fala do petista Aliandro Borges, ao dizer que “quem fala a verdade é taxado de polêmico” e que “se polêmico é falar a verdade, então ele é polêmico” e afirmou ainda que tem o direito de questionar como são aplicados os recursos que vem para Buriti, porque é cidadão buritiense e contribuinte.  Ele afirmou também que o “paradigma de que não se pode questionar a aplicação dos recursos tem que ser quebrado”.
O militante e sindicalista Alex Mota denunciou que há vários poços furados nos povoados em Buriti, mas que muitos não funcionam. E que o Zuca já vem dando sua contribuição para o povo de Buriti através de projetos.
Vitor, presidente municipal do PT do B, disse que já andou muitos povoados de Buriti e alfinetou a Frente Democrática Buritiense (FDB), ao afirmar que estava “representando um grupo unido” e de “gente trabalhadora”. Ele deixou implícito que, como se desconfia, em algum momento, a tal Frente pode implodir e demonstrar toda sua fragilidade consensual.
As principais ausências ficaram por conta do deputados estaduais Rogério Cafeteira e Joaquim Nagib Haickel e do presidente estadual do PPS, conterrâneo de Buriti, Dr Raimundo Marques.
O Correio Buritiense selecionou as principais falas, veja abaixo:

ZUCA MARQUES, prefeitável:
“Sejam todos bem vindos à Terceira Via”
“Vocês me conhecem, em 2004... [emocionado, chora] deixei o Banco do Estado do Maranhão para vir para Buriti com um objetivo [chora novamente]: ajudar o meu povo.”
“Essa via [MPLB] já vem desde 2004, 2008. É uma longa história nossa de luta que queremos chegar ao governo de Buriti, á direção do nosso município para fazer um trabalho para nosso povo”.
“Sempre ouço de algumas pessoas: ‘ah, o Zuca não tem grupo’. Posso não tem grupo de políticos que já passaram por mandato, mas tenho o grupo maior que é o povo”.
 “Mesmo sem ter mandato, nós estamos indo buscar [recursos], porque tem dinheiro suficiente para beneficiar através de projetos. Nós trabalhamos com os projetos.”
“Não trabalhamos com o poder econômico para enganar vocês. Nós estamos fazendo benefício que vai ficar para o resto da vida”.
“Aqui é uma caminhada árdua, mas quero dizer a vocês que estou firme, que não estou correndo atrás de dinheiro”.
“Já dei exemplo em Buriti em 2004 e dei exemplo em 2008, que fui candidato sem dinheiro e tive amigos que votaram em mim”.
“Sou o único político que foi candidato a prefeito e nunca arredou os pés daqui. Estou aqui desde 2004”.
“Nas outras vias têm deputados que o povo não sabe nem quem é, porque ficam se escondendo para que o povo não procure”.
“Está aberto para os outros partidos para virem para nossa Terceira Via”.
Assista aqui ao vídeo completo da fala do prefeitável Zuca.
video

Deputado LOURIVAL MENDES:
“A vida nos ensina que nem todo fato social é um fato histórico, mas todo fato histórico é um fato social”.
“Quero deixar consignado que nessa manhã um fato histórico está virando uma página na vida política do município de Buriti. Porque nasce hoje o sentimento formalizado, consolidado pelos partidos elencados, uma chama da esperança de mudança”.
“Nasci aqui hoje a Terceira Via”
“A terceira via é que vai mudar a história política e os rumos do destino de Buriti”.
“Em muitos municípios brasileiros os programas chegam para ser implantados, mas eles implantam 50 %. O restante, deixam para aplanar, para funcionar, para realizar, para inaugurar no ano da eleição”.
“O que eu vi hoje nessa manhã foi só sonho. As pessoas sonhando em, mudar a realidade, em mudar essa situação”.
“Zuca o que vai te dá a eleição é tua perseverança. O que é a perseverança? É a busca incessante do seu sonho. É a vontade contida no coração de cada um de nós”.
“Zuca não corre atrás do dinheiro. Eu aprendi uma coisa na vida: o homem que corre e anda atrás do dinheiro tende a fracassar”.
“Eu não conhecia o Zuca. Aliás, eu nunca tinha ouvido falar no Zuca. Eu nunca fiz política em Buriti, vocês sabem disso. Conheci o Zuca faltando uma semana para eleição”.
“Quando abriram as urnas eu tive, literalmente, 796 votos dentro de Buriti de Inácia Vaz, sem nunca ter vindo aqui”.
“Aqui estou para agradecer cada um dos votos que os senhores me deram, que o Zuca me deu”.
“Eu tive o voto de qualidade, aquele voto do coração, que não foi trazido pelo dinheiro”.
“Esse homem [o Zuca] tem a capacidade para ser prefeito”.
“Nós vamos ter uma prefeitura com a participação popular, com a participação dos partidos integrados nessa campanha”.
“No nosso coração não habita o rancor, o ódio, a perseguição. Porque o mal se volta contra você. Você persegue a pessoa, mas vai voltar”.
“Quem planta vento, colhe tempestade”.
“Zuca, eu estou querendo te dizer que não vou te abandonar, nem ao povo de Buriti”.

ALEX BORGES, vice-presidente do PPS:
“Todo e qualquer movimento as pessoas procuram assistir, ouvir e depois comentar, porque é natural do ser humano. Só que em Buriti é diferente: quem fala a verdade é taxado de polêmico”.
“Se falar a verdade em Buriti é ser polêmico, então, eu sou polêmico, o companheiro Ricardo [da Zeneide] é polêmico, o redator-chefe do Correio Buritiense é polêmico”.
“Eu tenho o direito de falar sim, senhor, [sobre os recursos da saúde], porque essas verbas têm impostos que eu pago”.
“Como é práxis de gestores, que não administram recursos como devem, sempre se sentirem incomodados!”.
“O governo federal está investindo na saúde. Por sinal, nos últimos anos tem investido valores relevantes na área da educação. O problema está na Gestão. Então, como é que nós não podemos falar a verdade?”
“Hoje estamos nesse movimento libertador. Há 15, 20 anos atrás só havia dois movimentos: ou você era A ou era B. Conseguimos quebrar esse paradigma”.
“Hoje nós temos [mais] opção”.
“De prefeitos nós estamos cheios. Precisamos de administradores”.
“Hoje em Buriti vocês podem fazer uma análise de todos que já passaram e daqueles que se julgam pré-candidatos: o melhor pré-candidato para administrar Buriti chama-se Zuca Marques”.
“Olha a mentalidade [de alguns na última eleição]: ‘eu não vou votar no Zuca porque sei que ele não vai ganhar’. Você imagina só a cabeça desse cidadão. Quer dizer, então, que nós vamos continuar votando nos corruptos?”.
“Nós não estamos aqui para atingir a integridade moral de ninguém. Nós estamos aqui, sim, porque esse direito nós temos”.
“Está criada a Frente Democrática, a gente respeita. Cada um defende a sua ideologia. Hoje estamos aqui para defender a nossa. A Conservadora [refere-se ao grupo político da atual gestão] está aí para manter a dela. Agora nós é que vamos fazer a diferença”.
“Companheiro Zuca, independente de qual rumo o PPS poderá tomar, digo que Alex Borges, Ricardo Alves, Aliandro Borges e Allysson Borges, estarão com você”.
“Como toda gestão, a partir de dezembro tudo vai ser maravilha. De março até abril serão inaugurações, todo mundo é bonzinho, não haverá mais retaliações, porque muito político ruim, político ruim, e mau caráter, acha que a gente tem memória curta. Estão enganados. Nós estamos aqui no Movimento Libertador para fazer a diferença”.
“Sou pré-candidato [a vereador] para quebrar muitos paradigmas que ainda não foram quebrados. Porque chega!”.
“Quem é legitimado para fazer a fiscalização dos nossos recursos são os vereadores. E aqui peço para fazer uma reflexão: nos últimos 20 anos de legislatura da Câmara Municipal, vejam as ações daqueles que já passaram e quais avanços nós tivemos”.
“Atualmente, sinceramente, é decepcionante: vocês não imaginem a briga, a correria que se é feita um dia antes da eleição para presidente da Câmara Municipal. Ninguém dorme. Cada um quer dá uma oferta maior”.
“Quem saiu da prefeitura e o atual vai querer manipular, lógico, Por quê? Porque tem as tais prestações de contas, que é feita só mesmo para dizer ‘tá aprovado’, pronto, acabou. Porque para ler que é bom mesmo ninguém ler”.
“Nós não seremos aqui hipócritas para dizer que vamos resolver os problemas de Buriti com uma varinha mágica. Ninguém está dizendo isso aqui. O compromisso que estamos firmando é que os recursos públicos serão distribuídos de forma transparente e democrática”.
“Se não for um bom administrador [o Zuca], a gente tira, o que não pode é virá herança [de família]”.
ROMUALDO VERAS, presidente municipal do PPS:
“Nós viemos aqui para participar desse processo democrático, com o objetivo de que nós buritienses possamos ter um espaço de liberdade onde todos possam expressar seus direitos”.
“Sou pré-candidato a vereador de Buriti não por interesses financeiros, mas sim por ver um Buriti melhor, um Buriti de desenvolvimento, um Buriti onde você posa andar de cabeça erguida”.
“Aqui em Buriti se vê as coisas jogadas como se fossem particularidades do gestor de Buriti”.
“Chega de botar pessoas que não tem interesse de desenvolver nosso município. Já estamos cansados disso”.
“Esse grupo tem um objetivo: é trazer a melhora para Buriti, na área do esporte, da saúde, educação e assim por diante.”
ALIANDRO BORGES, redator-chefe do Correio Buritiense:
“Esse Movimento não nasceu de gabinete, foi um movimento criado, gestado, com a participação de todos os povoados de Buriti, daqueles que não foram cooptados [pelo poder econômico estabelecido], daqueles que estão preocupados com a atual situação em que Buriti se encontra”.
[Em Buriti] ninguém pode mais fazer oposição democrática; ninguém pode mais criticar um secretário de saúde por uma péssima gestão, ninguém pode mais criticar um secretário de educação por deixar as escolas em péssimas condições, nem criticar um secretário de meio ambiente que entrega todo nosso pequizeiro a grupos que destroem a vegetação nativa”.
“Amigos meus estão sendo impedidos de falar comigo, simplesmente porque trabalham como aliado do atual gestor”.
“Lamentavelmente, em Buriti falar a verdade está proibido”.
“Se você fala a verdade, você é ameaçado, você é perseguido”.
“Fizeram uma homenagem ao meu Pai [Zé Borges] e o mais impressionante de tudo é que o filho dele, eu, Aliandro Borges, fui expulso do estádio. Simplesmente porque ousei falar a verdade”.
“Fui retaliado de forma covarde, no evento em que o homenageado era o meu próprio pai”.
“Não me envergonho em momento algum por ter sido expulso pelo prefeito Neném Mourão. Sai de cabeça erguida, porque meu passado é limpo, meu presente é limpo, minhas ações são limpas e não tenho nada a esconder”.
“Esse movimento, que tem o companheiro Zuca à frente, atende aos interesses da coletividade, aos interesses dos populares buritienses”.
“Essa votação que ele conseguiu aos seus deputados é o reconhecimento de que é chegada a hora de fazer uma mudança. É uma mudança para o diferente e não para o mesmo”.
“A gente quer a política do trabalho, a política de valorização do cidadão buritiense.. Essa é a política que estamos nos propondo”.
“Tenho muita fé em Deus e nos buritienses de que no final vai prevalecer a sensatez, no final vai prevalecer a vontade de mudar, no final nós vamos olhar e dizer: a gente não quer mais a política de antes, a política de ditadores, a gente não quer mais a política de perseguidores. A gente quer a política da democracia, a gente quer a democracia e a verdadeira democracia é com o companheiro Zuca”.
Assista aqui ao vídeo completo da fala do redator-chefe.
video

Dra. VILZAMAR, assistente social:
“À medida que nós amadurecemos vamos ganhando conhecimento e vai vendo que é correto e não correto, por isso o dever de compartilhar com o Zuca essa tarefa árdua”.
“Zuca, você pode contar comigo. Não tenho dinheiro, mas tenho conhecimento e habilidades suficientes para somar com você nessa jornada.”

AIDIL FILHO, Presidente da AMIB:
“O fato de eu ter me ausentado da minha cidade não fez com que eu perdesse o amor, pelo contrário, acho que a distância, todo mundo aqui já experimentou o sentimento da saudade, sabe como é sofrido a gente ficar lá fora, por conta da falta de oportunidade. Mas a gente sofre da saudade e tem amor pela terra da gente”.
“O que mais me entristece é vir a Buriti e cada vez que venho eu vejo a cidade pior”.
“Veja a questão da água. Muitos de nós aqui somos da zona rural e não temos o privilégio de ter água encanada e aqui na sede de Buriti nós já tivemos água encanada para beber, tomar banho forte de chuveiro. Hoje, por exemplo, as pessoas estão voltando a resgatar aquele poço que todo mundo tinha no fundo do seu quintal, porque a questão da água aqui é muito séria”.
“Todo mundo aqui tá sentido hoje um sentimento de não concordar com status das coisas que estão aí”.
“Querem ouvi propostas de uma terceira via”.
“Trocar seis por meia dúzia para gente não serve. Nós temos de trocar é de conceito, de valores, pessoas que pensam diferentes”.
“Na democracia, o poder é nosso, do povo, do eleitor”.
“Pessoas que são colocadas [na prefeitura e na Câmara] pela gente se apoiam nos cargos como se fossem deles”.
“Nós temos visto aqui gestores que não trabalha o dia dele na prefeitura, é na casa dele”.
“O cara é prefeito, gestor público, e você não fala com ele na prefeitura, é na casa dele”.
“Há uma inversão de valores aí, o poder que é do povo, o cara exerce como se fosse uma propriedade privada”.
“O pessoal que tá aqui, que faz parte desse grupo [do Zuca], realmente faz parte de uma mentalidade nova.”
“Eu posso falar que o pré-candidato Zuca tem esses pré-requisitos. Por que falo isso? Porque nós trabalhamos na mesma empresa, juntos, no Banco do Estado do Maranhão. Eu era gestor lá, o Zuca também era gerente de várias agências do Banco e por onde ele passou ele deixou uma marca de bom trabalho.”
“Eu sai do banco porque passei no concurso público ele saiu porque abraçou essa causa daqui da cidade. Mas o tempo que ele passou lá era um exemplo de gestor”.
“o Zuca é uma pessoa extremamente competente e falo com conhecimento de causa”.
“Que você saia vencedor [dessa luta árdua] e que realmente faça uma grande administração”.

REGINALDO VERÍSSIMO, advogado e historiador:
“Este Movimento é histórico”.
“Uma caminhada só se faz com luta”.
“O jogo democrático impõe que nos reunamos, impõe que demonstremos que rumo seguir, para onde devemos caminhar”.
“Vamos seguir com o povo, na luta, fazendo isso que o companheiro Zuca vem fazendo há algum tempo”.
“Companheiro Zuca sempre foi um homem reto, camarada que sempre cuidou dos seus negócios, que procura cumprir seus compromissos”.
“Dividimos uma república de estudantes em Teresina, na década de 80”.
“Nos últimos 7 anos, o companheiro Zuca não arredou os pés daqui”
“O Zuca largou o seu emprego para se dedicar de corpo e alma ás causas do povo buritienses”.
“Essa reunião [Convenção] é uma marcação de espaço”
“Ele caminha nesse rumo que, como eu, você, todos nós ainda temos a capacidade de nos indignarmos. Estamos aqui indignados”.
“Nós nos indignamos porque a gente observa que os serviços públicos não são prestados a contento para as pessoas mais humildes que os procuram”.
“Queria lembrar aos senhores que algumas pessoas insistem em repetir que aqui a situação está boa. Temos isso, aquilo, o prefeito fez isso, fez aquilo e tudo mais. A administração municipal hoje pouco tem feito, não se mexeu.”
“A administração municipal tem sorte. Muita sorte porque pegou o bonde deum pacote de medidas do governo federal [ do presidente LULA]”.
“A administração municipal pegou carona, por quê? Por causa da incompetência, por causa da falta de técnicos para preparar os convênios para buscar os recursos. Porque os recursos têm em todas as áreas”.
“Para testar essa administração me respondam uma pergunta: o governo municipal oferece algum serviço básico como saúde? Como esgotamento sanitário? Coleta de lixo; fornecimento de água; emprego e renda para sua população?”
“Cadê o programa de habitação urbana e rural? Não tem nenhuma casa feita aqui em Buriti. Não tem nenhuma feita pelo Minha Casa Minha Vida.”
“O prefeito não se importa de melhorar a situação de moradia das pessoas, tanto da zona urbana quanto da rural.”
“Precisamos continuar essa luta, precisamos dividir isso com os outros amigos, nossos familiares, trabalhadores, comerciantes e demais profissionais que hoje estão aqui e que compõe esse município para que sigam o companheiro Zuca porque ele não vai decepcionar”.

Vejam imagens da Convenção



Aidil Filho, presidente da AMIB.

Alex Borges,sindicalista e vice-presidente do PPS municipal

Alex Mota, sindicalista.

Aliandro Borges, professor e redator-chefe do Correio Buritiense

Deputado Federal Lourival Mendes

Reginaldo Veríssimo, advogado

Romualdo Veras, presidente municipal do PPS

Vilzamar Borges, assistente social.

Vítor, presidente municipal do PT do B.

ZUCA, prefeitável pelo PT  do B



sexta-feira, 25 de novembro de 2011

0

Franklin Martins: governo Lula comeu pão que o diabo amassou na imprensa

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


*Extraído do Diário do Grande ABC
O ex-ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social Franklin Martins afirmou hoje que "é visceralmente" contra a censura nos meios de comunicação e argumentou que o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva garantiu a mais absoluta liberdade de imprensa no Brasil. Ao falar do governo Lula, Franklin fez duras críticas à imprensa, destacando que "o governo do ex-presidente (Lula) comeu o pão que o diabo amassou na mão de boa parte da imprensa", sem, contudo, entrar em detalhes.
 O ex-ministro, que também participou do Seminário por um Novo Marco Regulatório para as Comunicações, promovido pela direção nacional petista, na capital paulista, avaliou que as atuais normas do setor de comunicações estão ultrapassadas e considerou que sem um novo marco regulatório, a área das comunicações eletrônicas continuará a viver em uma espécie de "faroeste caboclo". O ex-ministro, autor do anteprojeto de um novo modelo de regulação dos meios de comunicação, considerou que existe hoje um "vale tudo" no qual não são seguidas as diretrizes previstas na Constituição federal. "Eu costumo brincar que é um cipoal de gambiarras do ponto de vista jurídico".
 Franklin ressaltou também que o atual modelo de regulação cria um ambiente de incertezas no setor e criticou a análise de que a regulação da mídia pode trazer perigo à liberdade de imprensa. "Não há nada ameaçando a liberdade de imprensa no Brasil", afirmou. Ele avaliou ainda que esse discurso faz parte uma tática de interditar um debate público e transparente em torno do assunto. E defendeu que a imprensa possa ser criticada quando cometer equívocos. No seu entender, há hoje no País uma crise muito séria de credibilidade nos meios de comunicação.
 Para o ex-ministro, a blogosfera funciona hoje como uma espécie de grilo falante da imprensa brasileira. E defendeu ainda que um novo marco regulatório para as comunicações inclua, entre outros pontos, a garantia de liberdade de imprensa, o respeito ao direito de resposta, o impedimento da formação de monopólios e a liberdade na internet.

sábado, 19 de novembro de 2011

0
Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Morre, aos 88 anos, o buritiense Raimundo Marques da Silva

Carteiro Caneco, ao lado de sua filha Maria as Graças
Morreu no final da tarde de ontem (18), aos 88 anos, o buritiense Raimundo Marques da Silva, popularmente Caneco, em decorrência de um AVC (acidente vascular cerebral).
Seu caneco era bastante conhecido, principalmente da época em que trabalhava ativamente como servidor federal dos Correios de Buriti, no período, que as correspondências ainda eram entregues também, a cavalo, para Duque Bacelar e Coelho Neto.
Seu Caneco partiu e deixou duas filhas, Maria das Graças Silva Borges (60) e Maria dos Milagres Nunes Silva, a esposa Maria Neuza Nunes da Silva, 07 netos e 11 bisnetos.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

4
Compartilhe:

Print Friendly and PDF


LULA, O HOMEM DO POVO, RASPA A CABEÇA E BARBA
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que realiza tratamento contra um câncer, raspou o cabelo e a barba, marca registrada do político na tarde desta quarta-feira (16). A decisão prevê antecipar a queda causada pela quimioterapia usada em seu tratamento. Dona Marisa Letícia cortou o cabelo e fez a barba do ex-presidente.





quarta-feira, 16 de novembro de 2011

2

AUXILIAR DE ENFERMAGEM SUSPEITA DE INJETAR LEITE NA VEIA DE BEBÊ É INDICIADA

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


A auxiliar de enfermagem suspeita de injetar leite na veia de um bebê foi indiciada por homicídio culposo, ou seja, quando não há intenção de matar, nesta quarta-feira, 16, em São Paulo.
Ela foi indiciada após prestar depoimento no 51º DP, no Butantã, zona oeste da cidade. A mulher chegou na delegacia acompanhada de seu advogado por volta das 14h30 e não quis falar com a imprensa.
O recém-nascido morreu depois de receber leite via intravenosa no Hospital Municipal Maternidade Professor Mario Degni, no Rio Pequeno, zona oeste, no último dia 7. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) disse que a auxiliar de enfermagem envolvida no caso foi demitida da unidade. A pasta instaurou inquérito administrativo para apurar todos os procedimentos adotados. O Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren) afirmou que também irá apurar o caso.
* Extraído de www.estadão.com

terça-feira, 15 de novembro de 2011

0

MOVIMENTO ANTICORRPÇÃO VOLTA HOJE ÀS RUAS

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Os dez grupos distintos que, no período de 7 de setembro e 12 de outubro, foram responsáveis pelas marchas anticorrupção que pipocaram nas ruas de várias cidades brasileiras, se uniram, através do facebook, e preparam uma pauta de reivindicações e propostas, um “Manifesto Nacional”, para encaminhar ao Congresso Nacional.
A primeira ação conjunta que ocorre hoje (15), data da proclamação da República, será a realização de um novo protesto em pelo menos 35 cidades do Brasil (infelizmente Buriti ainda não está inserida nessa agenda, mas o Correio entende que é necessário e urgente que os cidadãos buritiense acordem para essa luta anticorrupção).
Entre as principais propostas, já sugeridas no facebook, estão: (1) transformar corrupção em crime hediondo, (2) destinação de 10% do PIB para educação e (3) o fim do foro privilegiado para os políticos.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

5

SECRETÁRIA DE MEIO AMBIENTE DE DUQUE BACELAR CAUSA CONSTRANGIMENTO A AMBIENTALISTAS DOS MORROS GARAPENSES

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Ambientalistas morro-garapenses
Ocorreu de 24 a 28 de outubro em São Luís, o XIII Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas (ENCOB), maior evento no país para discutir a gestão das águas. No encontro estavam presentes diversos ambientalistas de Buriti, Coelho Neto, Afonso Cunha e Duque Bacelar, municípios formadores da APA dos Morros Garapenses, uma área de proteção ambiental (APA) criada, em 2008, por decreto do ex-governador Jackson Lago. Os ambientalistas morro-garapenses foram auxiliados pelo vice-presidente do CONAMG (Conselho da APA dos Morros Garapenses), Francisco Carlos Machado.
Paralelo ao ENCOB, se realizava também, em São Luís, o Fórum Nacional da Sociedade Civil de Comitê de Bacias (FONASC), que, a pedido da coordenadora do evento no Maranhão, Teresa Cristina, contou com a presença de alguns ambientalistas dos Morros Garapenses, indicados pelo próprio Francisco Carlos.
Junto aos ambientalistas dos Morros Garapenses se encontrava a Secretária de Meio Ambiente de Duque Bacelar, Sra. Maria das Graças, a Gracinha, que, vindo de ônibus com os ambientalistas, fora muito bem recebida por Francisco Carlos, morador e anfitrião do evento em São Luís.
Francisco Carlos deu assistência plena ao grupo garapense, que incluía a secretária de Meio Ambiente de Duque, preocupando-se com o trajeto desde a rodoviária, passando pela estadia em hotel até alimentação dos convidados para o XIII ENCOB. Apesar da secretária está intrigada com Francisco Carlos por razões políticas, chegando, inclusive, a ser testemunha acusatória contra o mesmo e a ABAMA (Associação Bacelarense de Proteção ao Meio Ambiente) num Processo de crimes ambiental, ele não deixou de dá as boas vindas a ela. Chama atenção o fato de a secretária ter sido até beneficiada com hospedagem, transporte e alimentação, benefícios reservados inicialmente apenas aos ambientalistas da APA, durante os seis dias de realização do ENCOB e FONASC.
Aconteceu que no último dia do evento, a pedido de Francisco Carlos, todos os ambientalistas da APA juntaram-se para uma fotografia de recordação. Todos, menos a Secretária de Meio Ambiente de Duque Bacelar, que recusou bruscamente ser fotografada com o grupo, rejeitando, paradoxalmente, os ambientalistas que lhe auxiliaram nos seis dias de evento. Depois, para justificar a negação da foto, um ato nada elegante como pessoa pública, passou afirmar que jamais tiraria uma foto junta com o Francisco Carlos, o que causou mais repugnação contra sua atitude por parte dos ambientalistas garapenses. 
Na foto abaixo, em que come fartamente, parece não haver
constrangimentos para secretária,primeira à esquerda,
aparecer ao lado do anfitrião,
já na foto oficial acima...

O biólogo e professor Pedro Oliveira, de Coelho Neto, afirmou “ser realmente muito deselegante a atitude da Secretária Gracinha em relação ao Sr. Francisco Carlos, visto que o mesmo foi sempre cavalheiro, não somente com ela, mas com todos ali. E o papelão de renegar uma foto com as pessoas não é atitude de alguém com cargo público”.
A conselheira da APA dos Morros Garapenses, Gercides Freire, junto com o professor Jardel Viana de Duque Bacelar, se sentiram envergonhados com a ação da Secretária de seu município, que, no dia anterior, já havia manifestado ingratidão e agressividade com a coordenadora do FONASC, Tereza Cristina, numa atitude bastante leviana e descontrolada.
Por sua vez, o vice-presidente do CONAMG, Francisco Carlos Machado, disse ter ficado “triste com as atitudes nada republicana e ambiental da secretária de sua cidade natal”, tanto no renegar da fotografia com os conterrâneos, como na agressão a Tereza Cristina, visto que todos estavam ali para fazer um pacto em favor das nascentes, lagos e rios, não somente da APA dos Morros Garapenses, mas do Maranhão e do Brasil, e ela como pessoa pública deveria ser a primeira em dá exemplos de cidadania e civilidade.   
Como é possível que uma secretária de meio ambiente protagonize cenas assombrosas de deselegâncias, com explosões de indelicadezas e ignorância republicana? Ela, na verdade, ao longo dos seis dias do ENCOB e FONASC, cuidou de mostrar que ignora também os limites da sensatez, do decoro e do ridículo. Está, de fato, plenamente, imbuída de características da atual gestão de Duque Bacelar.
Após deleitar-se na boa recepção do anfitrião, o desdenha, alegando não poder ser vista ao lado de Francisco Carlos, que tem um histórico de lutas ambientais que superam, de longe, qualquer traço ambiental mambembe, inventado às pressas, para garantir à senhora Gracinha a secretaria de meio ambiente.
Espera-se que o prefeito Flávio Furtado tenha discernimento, sendo enérgico, inclusive, em repudiar, publicamente, os chiliques de sua secretária, sob pena de ser visto como conivente com leviandades, ao abrigar, sob sua tutela, secretários intelectualmente e politicamente despreparados para o cargo.
← Anterior Proxima → Página inicial

Usuários on-line


usuários online