"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...

PANDEMIA DO CORONAVÍRUS: Boletim epidemiológico deste domingo 31/5 confirma 6ª morte em Buriti por Covid-19


A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) confirmou a 6ª morte em Buriti (MA) pela COVID-19, doença do novo coronavírus. No informativo epidemiológico, divulgado neste domingo 31/5, há 108 casos confirmados, com 23 pacientes já recuperados e 79 pessoas com a doença ainda ativa. A vítima era do sexo masculino, 62 anos de idade, tinha diabetes e hipertensão como comorbidades.


De acordo com a Semus, as notificações ao sistema de saúde totalizam 211, com 99 (noventa e nove) descartados e outros 04 (quatro) casos suspeitos que estão sendo investigados, além dos 108 já confirmados.
A Secretaria de Saúde informa que está monitorando pacientes que estão apresentando quadro de infecção respiratória e que as medidas necessárias para promoção da saúde estão sendo tomadas. 

GUARDA MUNICIPAL ABORDA SUSPEITO E APREENDE UM QUILO DE DROGAS EM BURITI


Na manhã deste domingo 31/5, a Guarda Civil Municipal - GCM de Buriti apreendeu cerca de um quilo de drogas, similar a crack, durante uma abordagem na rodovia MA-034, trecho Buriti-Duque, próximo ao Motel Harém, no final da Rua da Bandeira.
De acordo com informações da GCM, a guarnição em serviço da Guarda Municipal realizava patrulhamento na região quando avistou um indivíduo numa moto titan vermelha em atitude suspeita, muito nervoso, que vinha  da cidade de Coelho Neto para Buriti-MA. No momento que os Guardas fariam a revista pessoal o indivíduo  saiu em correndo em fuga, tirando algo de dentro da cueca e arremessando próximo do motel Harém.
Os GCM’s conseguiram capturar e imobilizar o suspeito, conduzindo-o, juntamente com a droga apreendida e a motocicleta, para Delegacia de Polícia Civil – DPC da cidade para aplicação das medidas legais cabíveis.

Na DPC, os agentes da Guarda informaram ainda que o conduzido chegou a oferecer propina (dinheiro) para ser liberado no momento da apreensão.  Profissionais de caráter e honra, os GCM´s rechaçaram qualquer vantagem ilícita e fizeram cumprir a Lei.
GUARDA CIVIL MUNICIPAL DE BURITI
SERVIR E PROTEGER!

NOTA DE PESAR pelo falecimento do senhor Francisco Ribeiro dos Santos (Chico Boião)

É com profundo pesar que o CORREIO BURITIENSE registra o falecimento do buritiense FRANCISCO RIBEIRO DOS SANTOS, 62 anos de idade, na manhã deste domingo 31/5, na UPA de Chapadinha, a 75 km de Buriti (MA). 
 Na última sexta-feira 29/5, Chico do Boião, como era conhecido, deu entrada no Hospital do Trabalhador Buritiense – HTB, popular Clínica, em Buriti/MA, com um quadro grave de diabetes, sem conseguir andar e perdendo os sentidos. Ele também sofria de hipertensão. Após teste rápido para covid-19 foi confirmada a infecção com o novo coronavírus. Familiares denunciaram nas redes sociais que teria havia má qualidade do atendimento na unidade de saúde e decidiram, ontem (30), retirar o paciente e levar para UPA de Chapadinha (MA), onde ele foi regulado e aguardava um leito para o HRC – Hospital Regional naquele município.(Leia Aqui) Em nota a Secretaria de Saúde de Buriti negou que qualquer negligência (Veja Aqui).
Senhor Chico Boião, residente da Rua da Torre, Centro, era lavrador aposentado. Prestou serviços para prefeitura nas gestões dos ex-prefeitos Alan Novaes, Neném Mourão (seu irmão) e Rafael Mesquita.
Ele partiu deixando a esposa Marli Marques dos Santos, 07 filhos (Francimarly, Maninha, Kinha, Samila, Ricardo, Dieyson e o finado Rodrigo), 09 netos e 02 bisnetos.
Não haverá velório e o sepultamento será no cemitério do Alto da Moderação, assim que o corpo chegar em Buriti, com previsão para 17h.
Neste momento doloroso, o Redator-chefe deste CORREIO, em nome de toda Família Borges, externa o sentimento de tristeza e presta solidariedade à família do senhor Chico Boião. Rogamos a Deus que no aconchego de seus braços receba este ente querido, e que no calor de seu imenso coração conforte a todos os familiares e amigos por esta grande perda.

*Edição em 31/5, às 19h52, para correção do nome do falecido

Secretaria de Saúde registra 5ª morte por Covid-19 em Buriti e, com quatro novos casos hoje (30), total de confirmados vai a 108


No boletim epidemiológico divulgado neste sábado 30/5, a Secretaria Municipal de Saúde confirmou a quinta morte por Covid-19 em Buriti/MA. A vítima era do sexo feminino, residente na Rua da Bandeira, e apresentava comorbidades. Além disso, com mais quatro casos de moradores com novo coronavírus registrados hoje (30), o total de confirmados subiu para 108 no município, sendo que 80 estão ativos com a doença, 23 recuperados e os 5 foram os pacientes mortos.
O informativo epidemiológico da Semus traz ainda que as notificações ao sistema de saúde somam agora 211, com 99 (noventa e nove) descartados e 4 (quatro) casos suspeitos sendo investigado, além dos 108 confirmados. 
A Vigilância Epidemiológica monitora e rastreia todos os casos e também contatos próximos dos pacientes confirmados, a fim de evitar a disseminação da doença.

EM NOTA DE ESCLARECIMENTO, Secretaria Municipal de Saúde de Buriti (MA) diz que medidas foram adotadas para os cuidados do paciente e que “em momento nenhum os profissionais se recusaram de realizar o manejo”

O Secretário de Saúde de Buriti, Raí Pablo, após conhecimento do teor da reportagem deste CORREIO, enviou nota de esclarecimento sobre a situação mostrada na postagem. Confira abaixo a íntegra da nota:
“A secretaria de saúde, depois de ouvido os plantonistas, esclarece que todas as medidas foram adotadas para os cuidados do paciente e em momento nenhum os profissionais se recusaram de realizar o manejo. Inclusive as medicações e insumos hospitalares estão disponíveis conforme relatado na matéria. O medicamento supra citado na receita não é medicamento hospitalar, mas dá farmácia básica podendo ser adquirido no CSOF.
Neste momento de pandemia todos devemos nos ajudar e ajudar nossos conterrâneos, mas esclarecemos que nosso pacto de saúde estabelece a região de Caxias como referência de saúde e pela influência dos acompanhantes dos familiares seriam levados a regional de saúde de Chapadinha que não compreende nossa referência e assim não seria aceitado pela referência esse tipo de transferência. Os familiares insistiram em levar em carro dos acompanhantes e assinaram o termo de responsabilidade de retirada do paciente, mas que mesmo nessas condições de não referência conforme relatado pelos familiares foi dado suporte de insumos e oxigênio.
A Secretaria de saúde está aberta para mais esclarecimentos que venham a ser solicitados."



ABSURDO TOTAL NA SAÚDE PÚBLICA DE BURITI! Familiares denunciam descaso no atendimento a paciente em estado grave no HTB - Clínica

Faltou assistência correta, não havia medicamento, nem transporte adequado para encaminhá-lo para UPA de Chapadinha.
Os filhos de um paciente que deu entrada na tarde de ontem (29), às 15h, no Hospital do Trabalhador Buritiense – HTB, popular Clínica, em Buriti (MA), denunciaram nas redes sociais a má qualidade do atendimento oferecido na unidade de saúde. Eles criticaram a gestão do município e apontam abandono, falta de assistência e de atenção, que eles classificam como desumanidade e pedem uma investigação das autoridades sobre as condições de funcionamento daquela Clínica.
FRANCISCO RIBEIRO DOS SANTOS, 62 anos, conhecido como Chico Boião, sofre com diabetes e começou a passar em casa, sem conseguir andar e perdendo os sentidos. A família contatou com a equipe de saúde que orientou a ida para o Posto de Saúde, lá o médico encaminhou o paciente imediatamente para internação no HTB.  Levado à Clínica, o drama dos filhos continuou, pois, testado positivo para Covid-19, segundo os parentes, os profissionais de lá teriam se recusado a pegá-lo do carro para levar ao leito. Pelo relato, apenas uma enfermeira, não identificada no áudio, teria sido humana no atendimento, enquanto outros teriam se negado. Foi medicado para estabilizar a glicemia. Receitado com albendazol, os parentes tiveram de adquirir por fora da unidade de saúde, pois, segundo informaram, foram orientados a comprar, não havia o medicamente prescrito pelo médico.
Prescrição médica do albendazol para paciente.
Na manhã deste sábado 30/5, através de ajuda de amigos da família, os filhos conseguiram uma vaga no hospital de Chapadinha, porém, de acordo com o relato ao CORREIO, eles foram orientados a conseguirem um carro particular para levar o paciente para Chapadinha, e não a ambulância. Eles forneceram o oxigênio para paciente e luvas para motorista.
Veja no vídeo abaixo o momento conturbado da retirada do paciente do leito para o carro particular que o levaria para UPA de Chapadinha:
Ele agora está na UPA de Chapadinha, em estado grave, aguardando leito no HRC - Hospital Regional.
O OUTRO LADO
O redator-chefe deste CORREIO entrou em contato com o secretário de municipal de saúde, Raí Pablo, para esclarecimentos. Ele informou que vai aguardar a postagem e que está aguardando o relato da coordenação de enfermagem sobre o ocorrido.

GOVERNO FEDERAL SANCIONA COM VETOS PROJETO DE SOCORRO FINANCEIRO A ESTADOS E MUNICÍPIOS

A primeira parcela dos R$ 23 bilhões das prefeituras deve cair em junho nos cofres municipais. Buriti vai receber cerca de R$ 2,4 milhões em quatro parcelas.
 Bolsonaro acolheu os quatro vetos sugeridos pela equipe econômica do governo. Veja quais os trechos vetados e as justificativas apresentadas pelo governo:
 AUMENTO A SERVIDORES: abertura de exceção para que servidores da saúde e segurança pública pudessem ter os salários reajustados. Com o veto, não haverá reajustes para nenhuma categoria do serviço público até o final do ano que vem. Segundo o governo, a manutenção do dispositivo retiraria quase 2/3 do impacto esperado para a restrição de crescimento de despesa com o pessoal;
 CONCURSOS PÚBLICOS: vetada suspensão dos prazos de validade de concursos públicos homologados até 20 de março. Segundo o governo, o dispositivo fere o pacto federativo e a autonomia dos entes da federação;
 GARANTIAS E CONTRAGARANTIAS: trecho proibia a União de executar garantias e contragarantias em caso de inadimplência em 2020. De acordo com o governo, se a proibição permanecesse, haveria o risco de o Brasil se tornar inadimplente perante o mercado doméstico e internacional;
 PREVIDÊNCIA: trecho previa a suspensão das parcelas relativas aos pagamentos dos financiamentos de dívidas dos Municípios com a Previdência. Governo afirma que o parágrafo é inconstitucional, porque o prazo suspenderia o limite de 60 meses.
 O projeto foi aprovado pelo Congresso Nacional para ajudar estados e municípios a enfrentarem os efeitos causados pela perda de arrecadação durante a pandemia do coronavírus e reforçar ações de assistência social.
A proposta foi aprovada em 6 de maio, e sancionada cerca de três semanas depois. O texto enviado pelo Poder Legislativo prevê que a União vai transferir diretamente a estados e municípios R$ 60 bilhões, divididos em quatro parcelas mensais.
O repasse direto, em quatro parcelas, será dividido da seguinte forma:
·        R$ 50 bilhões em compensação pela queda de arrecadação (R$ 30 bilhões para estados e DF; R$ 20 bilhões para municípios);
·        R$ 10 bilhões para ações de saúde e assistência social (R$ 7 bilhões para estados e DF; R$ 3 bilhões para municípios).
 REPASSE DOS R$ 23 BILHÕES DOS MUNICÍPIOS
O repasse de uma parte dos R$ 23 bilhões da União para Municípios contornarem os efeitos do novo coronavírus pode ocorrer nos próximos 15 dias. O Projeto de Lei Complementar (PLP) 39/2020. Segundo a equipe do Ministério da Economia, para o repasse do recurso, será necessária a publicação de Medida Provisória (MP) para liberar crédito extraordinário e viabilizar transferência, além de ajustes e procedimentos entre o Tesouro Nacional e o Banco do Brasil.
Além do montante, a ser creditado na conta do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), estão suspensos, até dezembro, pagamentos de dívidas previdenciárias com o Regime Geral de Previdência Social (RGPS) e da contribuição patronal dos Regimes Próprios (RPPS). Essa suspensão será regulamentada pelo Ministério da Economia, e, para a contribuição patronal, o prefeito deverá aprovar Lei municipal.
Entenda como ficam os R$ 23 bilhões aos Municípios:
- R$ 3 bilhões para ações de saúde e assistência social, distribuídos por critério populacional. Valor pode ser utilizado na contratação e no pagamento de pessoal ligado ao Sistema Único de Saúde (SUS) e ao Sistema Único de Assistência Social (Suas);
- R$ 20 bilhões para uso definido pela gestão local. Primeiro, serão divididos os R$ 30 bilhões aos Estados considerando arrecadação do ICMS, população, cota no Fundo de Participação dos Estados (FPE) e contrapartida paga pela União por isenções fiscais de exportação. A partir dessa divisão, serão distribuídos os R$ 20 bi entre os Municípios de cada Estado por critério populacional.

Pela última planilha de estimativa divulgada pela CNM, o cofre da Prefeitura Municipal de Buriti (MA) deve receber, em quatro parcelas, o total de R$ 2.424.553,42 (dois milhões, quatrocentos e vinte e quatro mil, quinhentos e cinquenta e três reais, e quarenta e dois centavos).
 ABAIXO, PLANILHA COMPLETA DOS MUNICÍPIOS MARANHENSES 




NOVAS REGRAS SANITÁRIAS OBRIGATÓRIAS PARA O COMÉRCIO NO MARANHÃO COMEÇAM FUNCIONAR A PARTIR DE SEGUNDA, 1º DE JUNHO


Portaria publicada nesta sexta-feira 29/5 pela Casa Civil do Governo do Maranhão especificou os segmentos e atividades econômicas na lista dos estabelecimentos autorizados a funcionar no Estado a partir de 1º de junho. A medida faz parte da retomada gradual da economia, impactada pela pandemia de coronavírus. 
Além disso, a portaria traz regras sanitárias gerais e específicas. Ou seja, os estabelecimentos comerciais, as indústrias e as empresas que estiverem autorizadas a funcionar no Maranhão terão de seguir dois tipos de medidas sanitárias para evitar a disseminação do coronavírus: as gerais e as específicas. 
As regras gerais valem para todos, independentemente do tipo de atividade. As específicas valem para cada segmento, de acordo com o tipo de atividade que exercem.
O QUE PODE FUNCIONAR
Entre as atividades que podem funcionar a partir de 1º de junho, estão clínicas médicas; dentistas; hotéis e pousadas; transporte coletivo; óticas; autoescolas; construção civil; salões de beleza; comércio de móveis e variedades para o lar; supermercados e mercados; e serviços de informática e venda de celulares. 
Também podem funcionar delivery e drive-thru de restaurante, bar e lanchonete; imobiliárias e escritórios; pequenas empresas exclusivamente familiares; postos de combustível e entrega e retirada de lavanderia; lojas de tecido, oficinas e loja de material de construção; bancos e coleta de lixo. 
O QUE NÃO PODE FUNCIONAR
Entre os segmentos que continuam vetados, estão academias, shopping centers, cinemas, teatros, bares e casas noturnas; restaurantes, bares e lanchonetes (com exceção de delivery e drive thru). 
Também permanecem suspensas as visitas a pacientes suspeitos ou confirmados com coronavírus.
DEPOIS DO DIA 15
A depender da evolução da pandemia, a partir do dia 15 de junho poderão funcionar demais lojas de ruas (como sapatarias e lojas de roupas) e lojas em shopping centers, com exceção de praças de alimentação, cinemas, áreas infantis, restaurantes e a realização de eventos. 
A partir do dia 22, também dependendo da evolução da doença, poderão funcionar academias. A partir do dia 29, bares, restaurantes e praças de alimentação em shoppings.
REGRAS SANITÁRIAS GERAIS
As medidas sanitárias gerais a partir de 1º de junho incluem aquelas que já são obrigatórias no Estado: uso de máscaras em locais públicos e privados de uso coletivo; proibição de aglomeração;  oferecimento de água e sabão ou álcool em gel aos clientes e funcionários; e distanciamento social de pelo menos dois metros entre trabalhadores e entre usuários/clientes. 
Para fazer valer a proibição de aglomerações, continuam vetados eventos como shows, congressos, reuniões, plenárias, passeatas, desfiles, torneios, jogos, apresentações teatrais, sessões de cinema, festas em casas noturnas e similares.
Além disso, é preciso manter os ambientes arejados e intensificar a limpeza das superfícies. 
Deverão ser afixados cartazes dizendo que a empresa segue os protocolos obrigatórios e outras normas (serão citadas nesta reportagem, mais abaixo). A portaria traz os modelos dos cartazes, que também podem ser vistos e baixados aqui
Funcionários e clientes
As empresas autorizadas a funcionar devem adotar, sempre que possível, trabalho remoto (a distância). Quando não for possível, a alternativa é fazer rodízio de funcionários ou jornadas. 
Deve haver distância mínima de dois metros entre os clientes e os funcionários. E também deve haver distância de dois metros entre os clientes. Num supermercado, por exemplo, a fila deve garantir essa distância. 
Se for necessário fazer reuniões de trabalho, elas deverão ser virtuais (pela internet). Havendo impossibilidade de cancelamento de reuniões, é preciso limitar o número de participantes.
Outra medida é manter um vazio entre as pessoas nos refeitórios, para cumprir o distanciamento de dois metros. Não pode ser servido self service; e sim porções individuais.
LOTAÇÃO
Só pode haver o máximo de uma pessoa (cliente ou trabalhador) para cada quatro metros quadrados. Por exemplo: um estabelecimento de 40 metros quadrados pode ter no máximo, ao mesmo tempo, 10 pessoas dentro dele.
Cartazes visíveis devem indicar ao público em geral essa lotação máxima. 
A lotação de elevadores deve ser reduzida a um terço da capacidade. 
LIMPEZA
O álcool em gel ou água e sabão devem estar disponíveis na entrada do estabelecimento. Todos precisam usar antes de entrar. Superfícies como balcões, maçanetas, telefones e janelas devem ser higienizadas a cada duas horas. 
As empresas devem fornecer máscaras (descartáveis ou de tecidos) ou, se as normas da atividade exigirem, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e uniformes.
A empresa deverá afixar em local visível nos seus banheiros cartaz com controle de higienização dos mesmos. 
É preciso manter o ambiente arejado, com portas e janelas abertas sempre que possível. Se for necessário usar ar-condicionado, é preciso limpar semanalmente os filtros e mensalmente os demais componentes. Deve ser afixado cartaz com controle de higienização dos aparelhos. 
Está suspenso o uso de bebedouros de jato inclinado diretamente na boca. 
Os veículos das empresas devem ser higienizados antes de cada viagem e funcionar com metade da capacidade. 
GRUPOS DE MAIOR RISCO
Os profissionais que forem de grupos de maior risco devem ser dispensados das atividades presenciais enquanto durar a epidemia. Eles podem, entretanto, trabalhar remotamente.
Caso o trabalhador comprove residência com pessoa pertencente ao grupo de maior risco, a empresa deverá priorizar o seu afastamento para regime de trabalho a distância, se for possível. 
Os integrantes do grupo de risco são: pessoas com idade igual ou superior a 60 anos; pneumopatias graves ou descompensados (em uso de oxigênio domiciliar; asma moderada/grave, doença pulmonar obstrutiva crônica – DPOC); cardiopatias graves ou descompensados (insuficiência cardíaca, cardiopata isquêmica, arritmias); imunodepressão; doenças renais crônicas em estágio avançado (graus 3, 4 e 5); diabetes mellitus; obesidade mórbida (IMC maior ou igual a 40); doenças cromossômicas com estado de fragilidade imunológica (ex.: Síndrome de Down); gestantes.
CASOS CONFIRMADOS OU SUSPEITOS
A empresa deverá solicitar que todos os trabalhadores, se possível, instalem o aplicativo Monitora Covid-19, do Consórcio Nordeste, que se encontra disponível para Apple e Android. 
É preciso providenciar e garantir o imediato afastamento para isolamento domiciliar por 14 dias dos profissionais que apresentem sintomas da síndrome gripal; estejam confirmados com Covid-19; ou comprovem residência com caso confirmado de coronavírus. 
FISCALIZAÇÃO
Os estabelecimentos também devem deixar claro para os clientes que é preciso usar máscaras e higienizar as mãos. 
O descumprimento das normas sanitárias gerais pode gerar sanções administrativas e encaminhamento ao Ministério Público para que sejam feitas as devidas responsabilizações penais, civis e trabalhistas. 
Qualquer cidadão pode fazer denúncias, de preferência com fotos ou vídeos, pelo WhatsApp da Vigilância Sanitária: (98) 99162-8274, (98) 98356-0374 e (98) 99970-0608.
REGRAS SANITÁRIAS ESPECÍFICAS
As normas sanitárias especificas para dez segmentos autorizados a funcionar a partir de 1º de junho também estão na portaria e podem ser vistas aqui.
Elas valem para minimercados, supermercados e hipermercados; construção civil; cabeleireiros e atividades de tratamento de beleza; clínicas médicas; segmento odontológico; hotéis, pousadas e congêneres; óticas; bancos; transporte coletivo e autoescolas.
SUPERMERCADOS
Continua valendo a regra de que supermercados, mercados, quitandas e similares só podem funcionar com metade da capacidade física; apenas uma pessoa por família pode, ao mesmo tempo, ingressar no estabelecimento.
TRANSPORTE PÚBLICO
Nos ônibus e nas vans, deve haver reforço na limpeza e na higienização. Somente podem ser transportados passageiros com máscaras. Isso também vale para os fretados. 
HORÁRIOS DOS ESTABELECIMENTOS
Para evitar aglomeração nos transportes públicos, cada segmento precisa adotar um horário diferente de início das atividades. Fica assim:
Começam entre 5 e 7 horas: postos de combustíveis e panificadoras
Começam entre 6 e 8 horas: supermercados; área de saúde; indústrias alimentícias; indústrias farmacêuticas; e construção civil
Começam entre 7 e 9 horas: agências loterias; vigilantes, zeladores e porteiros; farmácias e drogarias; oficinas mecânicas e borracharias; lojas de produtos agropecuários e veterinários; hospitais e clínicas veterinárias; e agências lotéricas
Começam entre 9 e 11 horas: bancos; salões de beleza; lojas de veículos; e comércios de rua que estejam autorizados a funcionar.
PREFEITOS
Os prefeitos poderão, diante da situação de cada município, editar regras mais rígidas do que as estabelecidas pelo Governo do Estado. Entre as medidas possíveis, está até mesmo o lockdown (bloqueio das atividades) no município. Os prefeitos também podem adotar barreiras sanitárias nos acessos de cada município. 
ÓRGÃOS PÚBLICOS
A partir de 1º de junho, também está autorizada a retomada gradual do funcionamento dos órgãos e entidades do Governo do Maranhão. Essa regra vale para o Poder Executivo estadual e não abrange o Judiciário ou o Legislativo. 
Vale a mesma regra para todos: o uso de máscara é obrigatório, deve haver revezamento entre os funcionários e distância mínima de dois metros entre eles.
O atendimento presencial ao público externo continua suspenso até o dia 7 de junho. No dia 8, está prevista a volta gradual do atendimento presencial. Até lá, os canais de atendimento são telefone e internet.
ATIVIDADES PERMITIDAS A PARTIR DE 1 DE JUNHO
– Atividades agrossilvipastoris e agroindustriais;
– Hipermercados, supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, padarias, quitandas, centros de abastecimento de alimentos e mercados públicos, lojas de conveniência, de água mineral e de alimentos para animais;
– Bancos, casas lotéricas e atividades de seguros;
– Construção civil e lojas para o fornecimento exclusivo de materiais de construção;
– Indústrias
– Serviços de manutenção de energia elétrica, tratamento de água e esgotamento sanitário;
– Serviços da atenção básica de saúde, urgências e emergências;
– Clínicas médicas, odontológicas e de exames da rede privada;
– Serviços de telecomunicação;
– Comunicação e imprensa;
– Serviços de transporte;
– Serviço de correios;
– Serviços de contabilidade e advocacia;
– Farmácias e drogarias;
–Fabricação, montagem e distribuição de materiais clínicos e hospitalares;
– Produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados;
– Distribuidoras de gás;
– Oficinas mecânicas, borracharias e lojas de vendas de peças;
– Restaurantes em pontos ou postos de paradas nas rodovias;
– Serviços relacionados à tecnologia da informação e de processamento de dados, tais como gestão, desenvolvimento, suporte e manutenção de hardware, software, hospedagem e conectividade;
– Serviços funerários e relacionados;
– Serviços educacionais por meio remoto;
– Bares e restaurantes para serviços de venda remota, podendo o produto ser retirado no estabelecimento, mas vedado o consumo no local;
– Serviços de desinsetização;
– Serviços laboratoriais das áreas da saúde;
– Serviços de engenharia;
– Comércio de móveis e variedades para o lar (exceto situados em shoppings e galerias fechadas), livros, papelaria, discos, revistas e floricultura;
– Serviços de fisioterapia, com atendimentos individualizados e com hora marcada;
– Serviços de informática e venda de celulares e eletrônicos;
– Serviços de Administração de imóveis e locações;
– Comércio de óculos em geral;
– Serviços administrativos e de escritório;
– Serviços de formação de condutores;
– Demais serviços prestados por profissionais liberais;
– Hotéis e similares;
– Salões de beleza, cabeleireiro e barbearia.








Perda de olfato é o sintoma mais comum em casos de covid-19, segundo estudo


Autores do estudo destacam a importância de considerar esse sinal no diagnóstico da doença.

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) adicionou à lista de sintomas da covid-19 a perda de olfato e paladar, mas um estudo com 2.013 pacientes de 18 hospitais europeus aponta que esses sinais podem ser muito mais comuns do que se pensava em casos de coronavírus.

A análise, que foi publicada na revista científica “ANNALS OF INTERNAL MEDICINE”, constatou que 87% dos pacientes estudados perderam o olfato e 56%, o paladar.

Esses pacientes enfrentaram a forma menos grave da doença. Apenas 8% deles foram hospitalizados e a maioria apresentou sintomas por 11 dias e meio. Quase dois terços (60,9%) dos pacientes recuperaram o olfato em duas semanas.

De acordo com os autores do estudo, considerar esses sintomas logo no início pode ajudar os médicos a identificar melhor os pacientes com covid-19 e tomar medidas mais rápidas.

A perda de olfato e paladar também foi relatada durante o surto de SARS de 2003. Vale lembrar que outras doenças respiratórias, como gripe ou resfriado comum, também envolvem sintomas semelhantes. O que pode explicar isso, de acordo com médicos, é a inflamação das passagens nasais e infecção nas células nervosas nasais responsáveis ​​pelo olfato.

OUTROS SINTOMAS FREQUENTES

Depois da perda de olfato, o sintoma mais comum observado no estudo foi a dor de cabeça, relatada por 70,1% das pessoas.

Veja abaixo todos os sintomas dos pacientes estudados:

Perda parcial ou total de olfato – 87,2%
Dor de cabeça – 70,1%
Entupimento nasal – 64,2%
Dores musculares – 61,8%
Coriza – 59%
Tosse – 58,4%
Problemas no paladar – 56,4%
Dor de garganta – 51,6%
Perda de apetite – 47,5%
Gotejamento pós-nasal – 47%
Dificuldade de respirar – 46,2%
Dor no rosto -43,3%
Diarreia e dor abdominal – 42,3%
Febre – 40,6%
Dor nas articulações – 39%
Disfonia – 26,7%
Dor de ouvido – 25,3%
Disfagia – 20,6%
Náusea/vômito- 18,7%
Catarro – 14,4%
Dor no peito – 9,2%

DO CATRACA LIVRE

Com três novos casos, Buriti chega a 104 pessoas confirmadas com Covid-19, informa boletim epidêmico desta sexta-feira 29/5


Secretaria de Saúde de Buriti – Semus confirmou, por meio do boletim epidemiológico desta sexta-feira 29/5, mais três casos de moradores com novo coronavírus. Com a atualização, o total de casos confirmados da Covid-19 subiu para 104 no município, sendo que 77 estão ativos com a doença, 23 recuperados e 4 pacientes morreram.

O informativo epidemiológico da Semus traz ainda que as notificações ao sistema de saúde somam agora 207, com 99 (noventa e nove) descartados e 4 (quatro) casos suspeitos sendo investigado, além dos 104 confirmados. 

A Vigilância Epidemiológica monitora e rastreia todos os casos e também contatos próximos dos pacientes confirmados, a fim de evitar a disseminação da doença.

NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DO MÉDICO ANTÔNIO AUGUSTO PEREIRA MARTINS

Formado em 1978 pela Federal do Maranhão, ele trabalhou em Buriti nos anos 80 no antigo Hospital Smith Braz.
O CORREIO BURITIENSE registra com imenso pesar o falecimento do médico ANTÔNIO AUGUSTO PEREIRA MARTINS, ginecologista-obstetra, 70 anos, na tarde desta quinta-feira 28/5, em São Luís, por complicações respiratórias (SARS), em decorrência de Covid-19.  
Médico graduado em 1978 pela UFMA, licenciado e bacharel em Ciências Religiosas (cientista religioso) e teólogo, com especializações em Metodologia do Ensino Superior, Ensino Religioso e Ciências da Educação. Em 1990, coordenou o Programa de Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital Universitário da UFMA - Unidade Materno Infantil/UFMA. Mestrando da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa (Portugal) com o tema "MÉDICO PROFESSOR: SABERES E PRÁTICAS DO TRABALHO DOCENTE".
Dr Martins sempre foi respeitado e admirado por seus méritos de grande profissional e por suas qualidades humanas. Ele trabalhou em Buriti-MA, no início de sua carreira médica, nos anos 80, no então Hospital Smith Braz.
Ele partiu deixando a esposa Hildenira Machado Martins, três filhos (Louise, Diogo e Lenise) e três netos (Nicolas, Rosa e Helena). Em Buriti, seus laços se mantiveram, sendo ele genro de Francisco Machado, cunhado de Edilson Machado e padrinho do enfermeiro Lucas Machado. Sua filha Lenise Adele também já trabalhou como enfermeira no município.

O sepultamento ocorreu no Parque da Saudade, às 18h de hoje (28), na capital maranhense.

Dr Martins junto da esposa Hildenira e do neto Nicolas.
Dr Martins na festa de casamento do seu afilhado Lucas Machado.
Sua partida deixa um vazio impreenchível nos corações dos familiares e amigos. Aos enlutados, registramos aqui nossas condolências e o profundo sentimento de solidariedade.

PAINEL DO LEITOR - COMENTÁRIOS RECENTES