!-- PLUGIN BARRA DE COOKIES -->
ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...

FÓRUM CARAJÁS PROMOVE OFICINAS DE COMUNICAÇÃO POPULAR PARA MOBILIZAR E ENGAJAR COMUNIDADES RURAIS NO CERRADO MARANHENSE

No povoado Carranca, em Buriti-MA
 

As atividades ocorreram nos municípios de Buriti (povoado Carranca), São Benedito do Rio Preto (Guarimã) e Urbano Santos.

Apresentar e incentivar o uso de ferramentas de comunicação para mobilizar, conscientizar e engajar pessoas. Este foi o propósito das Oficinas de Comunicação Popular ministrada para agricultores e agricultoras familiares e extrativistas de comunidades rurais do leste do Maranhão, promovidas pelo Fórum Carajás.

As oficinas foram ministradas pelas jornalistas Franci Monteles e Yndara Vasques, da Inspirar Inovação & Comunicação, para comunidades dos municípios de São Benedito do Rio Preto (Guarimã), Urbano Santos e Buriti (Carranca), todas dentro da área do bioma do cerrado maranhense. No povoado buritiense Carranca, as atividades aconteceram nos dias 28 e 29 de janeiro deste ano. 

“As comunidades têm um grande potencial de comunicar. Vivenciam fortes histórias de luta e de resistência, produzem e preservam o meio ambiente. É uma comunicação feita por eles e para eles”, enfatizou Franci Monteles. Por meio da comunicação popular, de acordo com Yndara Vasques, as comunidades são incentivadas a fazerem uso das ferramentas e meios alternativos para mobilizar e conscientizar. “É uma comunicação onde eles são protagonistas das suas próprias histórias”, afirma Yndara Vasques.


A Inspirar atua junto aos povos e comunidades tradicionais potencializando as maneiras de comunicar. Como Assessoria de Imprensa, tem parceria junto aos coletivos de comunicação em defesa do meio ambiente, direitos dos povos e comunidades originários. Em casos emblemáticos como o massacre dos indígenas Gamella, reforçou as denúncias junto a mídia nacional e internacional por meio da OAB/MA. Na estruturação da Comunicação do Movimento das Quebradeiras de Coco Babaçu, implantou o fluxo de informação entre as integrantes, que atuavam em quatro estados (MA/PA/PI e TO), além de atuar na produção da campanha internacional de valorização da cultura da quebra do coco babaçu junto a organizações como a Actionaid e a União Europeia.

 Fórum Carajás

 No leste maranhense, o Fórum Carajás tem atuado, há mais de 10 anos, em defesa das comunidades tradicionais ameaçadas pelo agronegócio da soja e do eucalipto para produção de celulose. Estas monoculturas, que avançam e pressionam as comunidades para deixarem suas propriedades, emperram a demarcação de terras, provocam conflitos agrários e ameaçam a biodiversidade do cerrado maranhense. “Ao discutir a comunicação com as comunidades, permitimos a elas conhecerem melhor ferramentas e oportunidades para que possam se beneficiar, tanto no aspecto político quanto da comercialização dos produtos oriundos da agricultura familiar e do extrativismo no cerrado maranhense”, observa o presidente do Fórum Carajás, Mayron Régis Borges.


Em pé, à direita, Mayron Régis

O Fórum Carajás promove ainda a melhoria dos sistemas produtivos tradicionais da agricultura familiar, além de atuar também na formação, por meio de diversas estratégias, entre as quais, a comunicação popular como alternativa para fortalecer suas lutas.

  *Da Ascom Inspirar Inovação & Comunicação

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem. Ofensas pessoais, mensagens preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, ou ainda acusações levianas não serão aceitas. O objetivo do painel de comentários é promover o debate mais livre possível, respeitando o mínimo de bom senso e civilidade. O Redator-Chefe deste CORREIO poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.


Odonto Company Buriti - Rua da Bandeira, nº 25, salas 10 e 11, Centro.

BIOLAB - Rua Antônio Pereira Mourão, em frente ao HTB(Clínica)

PAINEL DO LEITOR - COMENTÁRIOS RECENTES