"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...

Coluna ALÉM DO DIVÃ - Política: Bem comum ou exercícios do poder?

*Por Josealdo Silva- filósofo, psicólogo e psicanalista

Gostaria de começar nossa investigação perguntando o que é POLÍTICA? A palavra ou o termo "política" tem sua origem na língua grega, mais precisamente no vocábulo "pólis", que significa   "cidade". Não na acepção apenas física ou topográfica, mas incluindo também aquele espaço público, o espaço da intersecção da vida dos indivíduos numa comunidade, num coletivo. Desse modo podemos dizer ou entender o fenômeno político como uma área específica das relações existentes entre os indivíduos de uma sociedade.

Para o filósofo Aristóteles, a política era uma " continuação" da "ética", só que aplicada a "vida pública". Segundo o mesmo, as instituições públicas e as formas de governo seriam capazes de propiciar e melhorar o viver em sociedade. Para o filósofo, o homem é um animal social e político.

Gostaria de fazer novamente a pergunta o que é política? Para o filósofo Josealdo, a política é a arte da arte de gerir, a arte de administrar é a higiene dos países moralmente sadios, ao contrário da politicagem, que é o envenenamento crônico dos povos negligentes e viciosos pela contaminação de parasitas inexoráveis. Ruy Barbosa já dizia: "a politicagem é a malária dos povos de moralidade estragada."

Muitas vezes achamos ou acreditamos que não cabe a nós a responsabilidade pelo o que acontece em nosso bairro, em nossa cidade ou em nosso país. Distanciem-se dessa visão simplista equivocada e porque não dizer "tosca" do senso comum, representada pela ideia de que a política é algo dispensável ou, no dizer de muitos, não é discutível. Pensando nessas visões incorporadas por muitas pessoas gostaria de trazer à memória o lúcido texto do poeta e dramaturgo alemão Bertolt Brecht:

“O analfabeto político - O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, não participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nascem a prostituta, o menor abandonado, o assaltante e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.”

 

Política e poder

  Gostaria também de perguntar o que é o PODER? A palavra "poder" vem do latim "potere”, "posse", "ser capaz de”. Refere-se, fundamentalmente, à faculdade, capacidade, força ou recurso para produzir certos efeitos. Assim, dizemos: o poder da palavra, o poder do remédio, o poder da polícia, o poder da imprensa, o poder do presidente. Segundo o filósofo Bertrand Russell, o poder seria "a capacidade de fazer que os outros demais realizem aquilo que queremos". Assim, o indivíduo que detém essa capacidade ou "meios" tem a faculdade de exercer determinada influência ou domínio sobre o outro e, por seu intermédio, alcançar os efeitos que desejar. O fenômeno do poder costuma ser dividido em duas categorias: o poder do ser humano sobre a natureza e o poder do ser humano sobre outros seres humanos. Podemos frequentemente observar que essas duas categorias de poder estão juntas e se completam.

 Formas de poder

Assim, voltando à definição de poder, se levarmos em conta o "meio" do qual se serve o indivíduo para conseguir os efeitos desejados, podemos destacar três formas de poder social, conforme o cientista político Norberto Bobbio:

Poder econômico - é aquele que utilizar a posse de certos "bens" socialmente necessários para induzir os que não os possuem a adotar determinados comportamentos, por exemplo, realizar determinado trabalho;

Poder ideológico - é aquele que utilizar a posse de certas "ideias" "valores" e/ou "doutrinas" para influenciar a conduta alheia, induzindo as pessoas a determinados modos de pensar e agir.

Poder político- é aquele que utilizar a posse dos "meios de coerção social”, isto é, o uso da força física considerada legal ou autorizada pelo "direito" vigente na sociedade. Segundo Bobbio, desses três poderes (econômico, político e ideológico) o poder político seria o mais eficaz, cujo meio específico de atuação consiste na possibilidade de utilizar a força física legalizada para condicionar comportamentos.

Por fim, gostaria de terminar esse pequeno Texto com as palavras de Platão onde o mesmo já dizia: - Não há nada de errado com aqueles que não gostam de política. Simplesmente serão governados por aqueles que gostam.


SOBRE O AUTOR

JOSEALDO SOUSA SILVAnatural de Chapadinha/MA, é formado em Filosofia (UEMA), com licenciatura em Filosofia Cristã pela Faculdade Filadélfia (CE), e graduado em Psicologia (Faculdade Pitágoras), pós-graduado em Psicopedagogia Clínica (Faculdade FAMEP/IESF) e psicanalista praticante, membro da OrLa-Centro Psicanalítico do Maranhão. 

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem. Ofensas pessoais, mensagens preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, ou ainda acusações levianas não serão aceitas. O objetivo do painel de comentários é promover o debate mais livre possível, respeitando o mínimo de bom senso e civilidade. O Redator-Chefe deste CORREIO poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

PAINEL DO LEITOR - COMENTÁRIOS RECENTES