"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

RESPLANDES TRANSPORTES - Viagens Diárias

RESPLANDES TRANSPORTES - Viagens Diárias

VENDE-SE UMA FAZENDA - CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS

ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...

CORONAVOUCHER: Auxílio de R$ 600 a informais poderá ser sacado em lotéricas, Correios e agências de bancos públicos (BB, BASA, Nordeste e Caixa)


O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse nesta segunda-feira 30/3 que o auxílio de R$ 600 que o governo pagará a informais poderá ser sacado nas agências do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, casas lotéricas e agências dos Correios. A medida faz parte do pacote para reduzir os efeitos da crise do coronavírus.
Segundo a lei, o pagamento será pelos bancos federais: Banco do Brasil, Caixa, BASA (Banco da Amazônia) e BNB (Banco do Nordeste). Estamos trabalhando com as melhores redes, que é Caixa-lotéricas, Banco do Brasil e Correios. Será a maior rede possível para o dinheiro chegar com agilidade para o cidadão — disse o ministro, durante entrevista à imprensa no Palácio do Planalto.
O projeto de lei que autoriza o auxílio emergencial foi votado nesta segunda-feira pelo Senado, após já ter tido aval da Câmara. Onyx explicou que, após a aprovação do texto, o governo ainda precisa cumprir três etapas: sanção presidencial, decreto para regulamentar os saques e edição de uma medida provisória (MP) para liberar os recursos do Orçamento.
A aprovação foi unânime no Senado Federal, com 79 votos favoráveis e apoio dos senadores da oposição e do governo. O Senado aprovou o pagamento do auxílio emergencial por três meses, no valor de R$ 600, destinado aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa. Chamada de “coronavoucher”, a ajuda vem para reparar as perdas de renda para algumas fatias da sociedade durante o período de isolamento, quando as oportunidades de trabalho para essas categorias estão escassas.
Segundo Onyx, o governo criará um sistema para fazer com que o dinheiro chegue a beneficiários que não estão em cadastros públicos. Hoje, de acordo com o ministro, existem 75,1 milhões de pessoas no Cadastro Único (CadÚnico). Desse universo, 60 milhões têm CPF — número que deve subir para 65 milhões até abril.
Onyx afirmou ainda que haverá uma "solução tecnológica" para encontrar os trabalhadores completamente informais, que não têm nenhum tipo de registro. O ministro não detalhou, no entanto, como será esse novo sistema.
Em outra frente, o governo ainda terá que definir como será o pagamento dos microempreendedores individuais (MEI), que também serão beneficiados pela medida.
O público que é MEI, nós estamos falando com o Ministério da Economia que está aprontando a base de dados para que a gente possa estabelecer com clareza os critérios de elegibilidade — disse Onyx. 

 De O Globo/ Agência Brasil

4 comentários: Leave Your Comments

  1. Mas uma vez o NERONALDO deixou a população na mão: FECHOU A SALA DO SEBRAE e os trabalhadores informais não vão poder se cadastrar no MEI. Você NERONALDO não precisa mais de R$ 600,00 já precisou de muito menos até para se locomover.

    ResponderExcluir
  2. Enquanto isso, o super homem e mulher maravilha tentam salvar o mundo das guardas do mal, já o Secretário de Saúde, que de saúde não entende nada, joga uma "parada de pife" só comendo mole o dinheiro público...!

    ResponderExcluir
  3. Correio buritiense! No povoado Nova Esperança, tem um cara que chegou agora de São Paulo, o nome dele. é Isidoro, chegou essa semana.

    ResponderExcluir
  4. Genial, a idéia do Secretário de Saúde, colocar um "carro de som" nas ruas avisando sobre os perigos do coronavirus. Grandes ação na guerra contra o vírus e sendo assim, os buritienses estarão protegidos...kkkk

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem. Ofensas pessoais, mensagens preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, ou ainda acusações levianas não serão aceitas. O objetivo do painel de comentários é promover o debate mais livre possível, respeitando o mínimo de bom senso e civilidade. O Redator-Chefe deste CORREIO poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.