"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...

COLUNA UM OLHAR LITERÁRIO DE BURITI: Abraão Ribeiro, atualmente, o poeta mais velho vivendo na cidade

O blog iniciou no dia 17 de março deste ano, esta série especial, onde são publicados textos sobre a vida de poetas, escritores, críticas de livros referentes à Buriti de Inácia Vaz, através do escritor e poeta Francisco Carlos Machado,  autor de sete livros já publicados.
Na COLUNA UM OLHAR LITERÁRIO DE BURITI de hoje (6/5) você vai conhecer um pouco da vida do poeta mais velho atualmente vivendo na cidade. Veja abaixo.

Abraão Ribeiro, o poeta mais velho atualmente vivendo em Buriti

*Por Francisco Carlos Machado

O inverno caudaloso do ano de 1924 fez o rio Parnaíba avançar assustadoramente pelo povoado São Francisco, distante 6 km da cidade de Buriti. Zulmira Marques, diante das tribulações das inundações, dá à luz o sexto filho. O seu marido Gideão Ribeiro, católico fervoroso, batizou o menino de Abraão, em alusão ao patriarca bíblico.  Em um ambiente religioso de orações a Deus, aos santos e leituras da Bíblia no cair da tarde, feitas por seu pai para a família e os vizinhos, Abraão Ribeiro cresceu.
Na realidade de família rural, com pequenas posses, o menino passou a ajudar desde cedo nas lavouras, na criação dos animais e na extração de frutos nativos do cerrado. Não tendo professora em seu povoado e já com idade de alfabetização, aos sete anos, Abraão caminhava 2 km até a casa da professora Tonica Guimarães, que seus pais contrataram para lhe ensinar a ler, escrever e contar. Ele cursou somente um ano de estudos particulares, conseguindo ser alfabetizado.  Em 1933, um golpe terrível abateu Abraão e a sua família.  Seu pai, Gideão, morre de “serão” depois de pegar um forte resfriado numa chuva. A família do falecido inicialmente passou grandes dificuldades financeiras, conseguindo superá-las.
Em 1944 Abraão casa-se com Angélica Januário. O enlace foi celebrado pelo Padre Alfredo Bacelar, na época pároco de Buriti e Coelho Neto. Após o casório passaram morar no povoado Salamanca. Vieram os primeiros filhos e na busca de melhorias para a família moraram em diversos povoados como Boa Hora, João Lobo, Sítio Velho, Vargens, Pedras, onde sempre trabalhavam na lavoura e em pequenas vendas. Em 1974 mudaram definitivamente para a cidade de Buriti.
Morando na cidade de Buriti, Abraão que desde criança foi católico praticante, se envolve mais ainda nas atividades e celebrações da Paróquia de Sant’Ana.  Nesta década disseminando a Teologia da Libertação pelo Brasil, ele com alguns buritienses tendo contato com essa doutrina e com consentimento dos padres Júlio e José Costa, fundaram dezenas de Comunidades Eclesiásticas de Base - CEBs, em povoados de Buriti.
É neste momento da vida de Abraão Ribeiro, no consolidar do líder religioso/comunitário, que surge o poeta, pois tendo que catequizar o povo, começou a escrever poemas e cordéis, literatura que muito gostava, sendo leitor desde criança. Logo ele passou a militar na política. Funda partidos, concorrendo a cargos de vereador e vice-prefeito, contudo, nunca obteve êxito.  O que não o impediu de continuar trabalhando pelo povo buritiense, tanto na política, como em movimentos sociais, onde fundou a Colônia de Caça e Pesca, e alguns Conselhos Municipais. Neste ínterim, escrevia seus textos, poemas e cordéis. Publicou o cordel “Minha Terra”, com 300 versos, descrevendo com muita riqueza e simplicidade os ecossistemas de Buriti, sua flora e fauna, a vida social, cultura e a religião de sua terra. Muitos de seus textos são homenagens a pessoas e sobre datas comemorativas, numa poética cheia de lirismo e romantismo. Ele começou a escrever sua autobiografia, deixando-a, incompleta. 
De idade avançada recebeu uma comenda em 2010 de “Ilustre Cidadão Buritiense”, por prestar relevante contribuição à arte, a cultura e a população de Buriti, recente teve um dos seus poemas classificados no Festival de Poesia de Buriti que muito tem contribuído para mostrar na comunidade e região os poetas da cidade. 

Sobre o Amor

Vou escrever sobre o amor
dando a minha opinião:
existe o amor verdadeiro
e outros de traição.
O amor é como dordonho.
Ele nasce nos olhos,
mas quem manda é o coração.

O amor verdadeiro origina-se de Deus.
Quando o amor é realista
a gente  não o compra
O amor a gente conquista.    
Seja de que forma for
nunca se iluda com o amor
logo na primeira vista.

O amor real vem de Deus
O falso é uma farsa
O amor sincero é como uma rocha
O falso é como uma fumaça.
O amor que não é puro             
só fica seguro
enquanto o vento passa.

O amor ilusório e corriqueiro
em todo lugar é capaz.
Em cidades e povoações
é onde se praticam mais
Ele é como a vela
que se parece tão bela
mas com o calor se desfaz.



Jovens se um dia o cupido
invadir seu coração
bote os joelhos em terra.
a Deus peça sua proteção
Pode não ser seu amado
é outro que vem de lado
com amor de traição.

Essa palavra atraente
conhecida por amor
é uma palavra abstrata
Ela queima com ardor
mas quando não é fiel
amarga mais do que fel
 e perde todo o sabor.


 Agora caro leitor
 faça sua meditação.
 Se seu amor é real
 ou é só uma ilusão.
 Dobre os joelhos com fé.
 e peça o Senhor Javé
 pela sua convenção.                                         


SOBRE O AUTOR

Um comentário: Leave Your Comments

  1. Só fazendo uma retificação, meu avô morreu devido a um "sezão". E o nome dele é Gedeão Ribeiro da Silva e não "Gideão", e minha avó chamava se Zulmira Marques da Costa.
    Gostei da Homenagem feita ao tio Abraão. Ah...meu avô era cearense, veio de lá por conta da seca de 1907.

    ResponderExcluir

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Postagens populares

Postagens mais visitadas

Seguidores

CORREIO TV

Arquivos do blog