"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...

Um terço da população brasileira não utiliza a internet, diz IBGE

Cerca de 65,3 milhões de pessoas com 10 anos ou mais de idade não utilizaram a internet em 2016 (35,3% do total); segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 37,8% desses dizem não saber usar, 37,6% alegaram falta de interesse e outros 14,3% consideram o serviço caro. De acordo com o levantamento, o percentual de lares conectados foi estimado em 69,3% naquele ano. Ou seja, mais de 30% das residências não tinham o serviço. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2016: acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal (Pnad Contínua - TIC 2016).
Cerca de 69,3% dos domicílios do País (48,1 milhões) tinham acesso à internet em 2016, por conta da ampliação do acesso à rede via telefone celular. Em 77,3% das residências conectadas havia o uso da banda larga móvel (3G ou 4G), superando o da banda larga fixa (71,4%). O computador foi o único meio de acesso à internet em apenas 2,3% dos domicílios, mesmo presente em 57,8% deles.
O total de conectados somou cerca de 116 milhões de brasileiros, o que equivale a 64,7% da população com 10 anos ou mais de idade. Segundo Azeredo, os brasileiros estão usando a internet como uma forma de comunicação mais barata e alternativa às tradicionais ligações telefônicas. Entre as pessoas com acesso à Internet em 2016, 94,2% usaram aplicativos e redes sociais para troca de mensagens de texto, voz ou imagens. A segunda finalidade mais citada foi assistir a vídeos, programas, séries e filmes (76,4%), conversar por chamada de voz ou vídeo (73,3%) e enviar ou receber e-mail (69,3%).
Em todo o País, 138 milhões de brasileiros tinham telefone móvel celular para uso pessoal em 2016. Apesar do avanço em relação a anos anteriores, cerca de 22,9% das pessoas com 10 anos ou mais de idade ainda não tinham celular: 25,9% consideravam o aparelho caro; 22,1% alegaram falta interesse; 20,6% usavam o celular de outra pessoa; e 19,6% não sabiam usar.
A maior quantidade de famílias desconectadas foi estimada no Nordeste, onde não havia acesso à rede em quase 8 milhões de casas. Na região, o percentual de domicílios com internet era de apenas 56,6%, mais de dez pontos percentuais abaixo da média nacional
Um quarto dos estudantes da rede pública não acessavam a Internet
Dos 37,2 milhões de estudantes com 10 anos ou mais, 81,2% utilizaram a Internet. Esse resultado cai para 60,4% entre aqueles que não eram estudantes. Na rede pública, 75,0% dos estudantes acessaram a Internet, em contraste com 97,4% dos alunos da rede privada.
A utilização da Internet aumentou de acordo com o nível de instrução das pessoas com 10 anos ou mais, alcançando o máximo no superior incompleto: sem instrução (11,2%), fundamental incompleto (43,6%), superior incompleto (97,1%) e superior completo (95,7%).
Celular era o meio de acesso à Internet mais usado nos domicílios
O equipamento mais usado para acessar à Internet no domicílio foi o celular (97,2%), presente em 46,7 milhões de domicílios, sendo o único meio utilizado para esse fim em 38,6% das residências com acesso. O computador ficou em segundo lugar e foi o único meio de acesso em apenas 2,3% das residências com Internet, embora presente em mais da metade (57,8%) desses domicílios. Enquanto isso, o tablet ficou na terceira posição (17,8%), seguido pela televisão (11,7%) e outros equipamentos (1,3%).
Nas grandes regiões, o uso do celular para acessar à Internet variou de 95,8% (Sul) a 98,8% (Norte) dos domicílios com acesso à Rede. Entre os domicílios com Internet, o uso do computador para acessar à Rede variou de 34,4% (Norte) a 66,5% (Sul). Em relação ao tablet, esse indicador variou de 10,5% (Norte) a 19,9% (Sudeste), enquanto para a televisão ele ficou de 4,8% (Norte) a 14,4% (Sul).
O recorte do tipo de conexão reforça esse quadro. O uso de banda larga móvel já ultrapassa a internet fixa no país. Em 2016, 77,3% da conexão era feita por internet móvel, contra 71,4% por banda larga fixa. Na Região Norte, mais da metade (50,9%) se conecta utilizando exclusivamente o 3G e 4G. Em edições anteriores da pequisa, a banda larga fixa ainda era preferência. Enquanto isso, a internet discada está praticamente extinta, presente em apenas 0,6% dos domicílios, ou 276 mil casas em todo o país.
(Brasil 247)


Um comentário: Leave Your Comments

  1. Se nem educação de qualidade que esta escrito na constituição federal não chega a metade da população, vai ter internet.O Brasil não pode ser um pais que se atropela tudo para se chegar a um fim. internet é um ótimo meio de se ter mais informação, mas não é tudo e também não vai resolver o problema que assola o pais ( A CORRUPÇÃO ).

    ResponderExcluir

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

HISTÓRICO: "Eu não sou mais um ser humano, eu sou uma ideia."