"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

Confraternização da Amib

Confraternização da Amib

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

5

SEM PROVAS E DUVIDOSAS ACUSAÇÕES, FLÁVIO DINO TEM CASO ARQUIVADO NO STJ

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


As acusações de um dos delatores da Odebrecht contra o governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) foram consideradas insuficientes pela Procuradoria-Geral da República (PGR) abrir uma investigação. O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Feliz Fischer, decidiu arquivar o caso nesta semana.
 As acusações partiram do ex-funcionário da Odebrecht José de Carvalho Filho, que narrou aos investigadores que o atual governador maranhense teria solicitado R$ 400 mil, em 2010, e que em troca iria defender os interesses da Odebrecht em um projeto de lei em tramitação na Câmara dos Deputados, que beneficiava a empreiteira.
 Naquele ano, Dino era deputado federal e o executivo da empreiteira disse que o então parlamentar iria apoiar o projeto que trazia segurança jurídica a investimentos do grupo Odebrecht. Em um dos encontros, o então candidato ao governo do Maranhão teria solicitado ajuda de doações para a campanha eleitoral.
 Mas o repasse, segundo José de Carvalho Filho, teria ocorrido na forma de caixa dois e que uma senha para receber a quantia teria sido entregue ao próprio candidato. Segundo o ex-funcionário da Odebrecht, a transferência teria sido conduzida pelo setor de operações estruturadas da empreiteira e registrada no sistema Drousys, com a contabilidade de caixa dois e propinas da construtora.
 Entretanto, os procuradores da República não apenas não conseguiram trazer qualquer indício contra o hoje governador, como também detectou divergências nos depoimentos prestados por Carvalho Filho. Além disso, o delator não tinha detalhes da suposta entrega de dinheiro. Com o cenário, a PGR entendeu que havia "dificuldade praticamente intransponível" de provar o suposto repasse.
 Desde que foi arrolado pelas acusações do executivo da Odebrecht, Flávio Dino defendeu sua inocência e afirmou que nunca atendeu a qualquer interesse da Odebrecht. "O justo propósito de investigar crimes muitas vezes atinge injustamente pessoas inocentes. É o meu caso. Tenho consciência absolutamente tranquila de jamais ter atendido qualquer interesse da Odebrecht, nos cargos que exerci nos 3 Poderes", disse o governador, quando foi acusado.
 "Se um dia houver de fato investigação sobre meu nome, vão encontrar o de sempre: uma vida limpa e honrada. Tenho absoluta certeza de que a verdade vai prevalecer, separando-se o joio do trigo. Inevitável a indignação por ser citado de modo injusto sobre atos que jamais pratiquei. Mas infelizmente faz parte da atual conjuntura", completou o governador.

(Do Jornal GGN)
← Anterior Proxima → Página inicial

5 COMENTÁRIOS:

  1. O que acontece no Maranhão e que as viúvas dos Sarneys estão loucas, mas nunca esse estado viu tantas ações em benefício do estado, e tentam se fazer de cegos, é isso tudo em plena crise econômica, mostrando uma gestão eficiente. É Dino 2018 denovo

    ResponderExcluir
  2. Anônimo1/9/17 13:31

    VOCE DEVE TA MAMANDO NAS TETAS DO FLAVIO DINO TAMBEM.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo2/9/17 23:25

    PCdoB 65 2018

    ResponderExcluir
  4. Anônimo2/9/17 23:25

    Flávio Dino 2018

    ResponderExcluir
  5. Anônimo2/9/17 23:26

    Bolsonaro 2018

    ResponderExcluir

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online