"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

Show do Festejo 2017

Show do Festejo 2017

Shows do Festejo 2017

Shows do Festejo 2017

domingo, 18 de junho de 2017

0

COLUNA DOMINICAL - UM OLHAR LITERÁRIO DE BURITI

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


TERRA BONDOSA
*Por Estevão Toinho

Maranhão, Terra bondosa!
Dá a pitomba e o babaçu,
a jaca e a mangaba.
Dá a manga e o caju,
a laranja e acerola.
Dá o cajá e o urucu,
o mamão e o maxixe.
Dá o jambo e o cupuaçu.
Maranhão, Terra querida!
Tão bondosa és tu.

Dá o melão e a melancia,
o araçá e o bacuri.
Dá a seriguela e a mamona,
o coco da praia e o murici.
Dá o quiabo e a cana,
a abóbora e o pequi.
Dá a bacaba e a mandioca,
a fava e o Buriti.
Dá o feijão e araticum,
a buritirana e o açaí.


*ANTÔNIO ESTÊVÃO RODRIGUES é nascido em 07/11/88, no município de Itaituba/PA, e, com a morte do pai, sua mãe, viúva aos 21 anos de idade, veio morar no povoado Santo Isídio de Chapadinha/MA, onde o autor do poema começou a sofrer maltrato. Em 1991, Estêvão Toinho, como prefere ser identificado, foi trazido pelo avô materno para viver no povoado Riacho Seco, em Buriti/MA, onde até hoje permanece.
← Anterior Proxima → Página inicial

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online