"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

COMPRE JÁ

COMPRE JÁ

Confraternização da Amib

Confraternização da Amib

terça-feira, 31 de maio de 2016

0

ALIADO DE AÉCIO E ANASTASIA DESVIOU R$ 14 MILHÕES PARA CAMPANHAS

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Ex-presidente do PSDB mineiro e ex-secretário de Ciência e Tecnologia de Antonio Anastasia, além de político muito próximo do senador Aécio Neves (PSDB-MG), Nárcio Rodrigues foi acusado por um delator de ter cobrado propina no projeto Cidade das Águas, em Minas Gerais, com o objetivo de financiar campanhas políticas; no processo de impeachment, que foi relatado no Senado por Anastasia, o filho de Nárcio, deputado Caio Nárcio (PSDB-MG), afirmou que votava por "um Brasil da decência", como aprendeu com seu pai; assista.

Ex-presidente do PSDB de Minas Gerais, o ex-deputado Nárcio Rodrigues foi acusado por delatores da Operação Aequalis, deflagrada ontem, de liderar um esquema que desviou pelo menos R$ 14 milhões foram desviados das obras de construção da ‘Cidade das Águas’ de Frutal, no Triângulo Mineiro.
As investigações, lideradas pelo Ministério Público de Minas Gerais, motivaram seis prisões de políticos e empresários na manhã desta segunda-feira.
Segundo o MP, os desvios ocorreram entre 2012 e 2014 no estado, durante o governo de Antônio Anastasia, do PSDB, que é o relator do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado.
As fraudes tinham como objetivo levantar recursos para campanhas políticas no ano passado, segundo apontam as delações.
Ex-secretário de Ciência e Tecnologia de Anastasia, Nárcio Rodrigues é também muito próximo ao presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (PSDB-MG).
Na Operação, foram presos Neif Chala, ex-servidor da Sectes, Alexandre Pereira Horta, engenheiro do Departamento de Obras Públicas de Minas Gerais, Luciano Lourenço dos Reis,  funcionário da CWP Engenharia Ltda e Maurílio Reis Bretas,  sócio administrador da CWP. A operação prendeu também Hugo Alexandre Timóteo Murcho, que é diretor no Brasil da da multinacional portuguesa Yser e da empresa Biotev Biotecnologia Vegetal ltda. Além deles, o português Bernardo Ernesto Simões Moniz da Maia, presidente da Yser, já é considerado foragido da Justiça. 
"Inventar culpados"
Ao ser questionado sobre sua prisão, Nárcio Rodrigues afirmou que o Brasil vive uma crise política e que, neste momento, é preciso "inventar culpados".
Ontem, o que viralizou na internet foi o voto do deputado Caio Nárcio (PSDB-MG), seu filho, durante a votação do impeachment na Câmara.
"Por um Brasil aonde meu pai e meu avô diziam que decência e honestidade não eram possibilidade, eram obrigação", disse Caio antes de votar a favor do impeachment. O deputado encerrou a fala com a citação: "Verás que um filho teu não foge à luta". Confira:
← Anterior Proxima → Página inicial

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online