"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

quarta-feira, 24 de abril de 2013

0

CASO DÉCIO SÁ: UM ANO E AINDA MUITO A DESVENDAR

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


* Por Salis Chagas, Assessor de Comunicação Deputado Domingos Dutra (PT/MA)
Décio Sá
“Ontem (23) completou um ano da execução brutal e covarde do jornalista e blogueiro maranhense Décio Sá”, assim o Deputado Domingos Dutra (PT/MA) iniciou seu discurso na tribuna da Câmara. O parlamentar lembrou sobre a investigação não concluída e exigiu pleno esclarecimento da apuração para que a família de Décio Sá possa saber a verdade.
O Deputado Domingos Dutra informou que Décio Sá usava seus espaços para criticá-lo e formular matérias infundadas, mesmo assim, o parlamentar não mediu esforços para a solução da execução do jornalista. “Como Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, junto com a Deputada Erika Kokay (PT/DF) e com o Deputado Severino Ninho (PSB/PE), estivemos em São Luís em diligência e produzimos um relatório o qual foi apresentado ao Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, solicitando a federalização do caso”. “Eu estive pessoalmente em Genebra, Suíça, numa reunião da Comissão de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), onde protocolei o relatório e exigi providências”, completou.
O parlamentar disse ainda que, mesmo com a inimizade de Décio Sá, não poderia ficar omisso quanto a sua morte. “Por maior que fosse a nossa inimizade, eu jamais poderia ficar omisso diante de uma execução brutal e covarde como a de que foi vítima o jornalista Décio Sá”, declarou.
Treze pessoas foram indiciadas, sete estão presas. No entanto, de acordo com Domingos Dutra, as investigações não foram conclusivas. Pois, ainda há agiotas envolvidos que estão impunes e  agem livremente no Maranhão.
Segundo o parlamentar, os prefeitos que foram acusados de pertencerem ao esquema, a partir de fraudes em licitação, em merenda escolar e em remédios, até hoje não apareceram, pois, não sabemos qual foi o destino da investigação sobre a corrupção que levou ao assassinato do jornalista Décio Sá.
Jornalistas ameaçados
O Deputado Domingos Dutra informou na tribuna que, em função da apuração inconclusiva, outros jornalistas foram ameaçados no Maranhão como os jornalistas e blogueiros Caio Ortílio e César Bello. “Cito ainda o blogueiro Luís Cardoso, que teve sua residência invadida, isso precisa ser apurado”, enfatizou o parlamentar ao destacar que a impunidade acaba estimulando que outras pessoas sejam vítimas do crime organizado.
“Desta tribuna quero manifestar a minha solidariedade a todos os jornalistas, blogueiros, radialistas e a todos que fazem a imprensa brasileira, de forma especial aqueles que fazem a comunicação do Estado do Maranhão”, manifestou.
Domingos Dutra lamentou que, mesmo após toda a repercussão do Caso Décio, as investigações foram inconclusas. E apresentou números sobre os homicídios no Estado. “Devo dizer que no último ano, cerca de 680 maranhenses foram assassinados. Só na região metropolitana de São Luís, quase 400 pessoas foram assassinadas nesse período. Só nos primeiros quatro meses, 272 pessoas foram mortas na grande São Luís”, informou.
Para concluir, o parlamentar exigiu à Governadora que garanta segurança aos maranhenses. “Portanto, a Governadora do Estado do Maranhão tem que governar e garantir os direitos básicos e a segurança de todos os maranhenses”.
← Anterior Proxima → Página inicial

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online