!-- PLUGIN BARRA DE COOKIES -->
ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...
Mostrando postagens com marcador vacina. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador vacina. Mostrar todas as postagens

*Correção: texto editado para correção das informações de local de vacinação.

A Prefeitura de Buriti-MA, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), com apoio da FIEMA-SESI, vai realizar um arrastão da vacinação contra a Covid-19 nos próximos dias 03, 04 e 05 de agosto de 2021.

A boa notícia é que a idade do público-alvo baixou ainda mais. Agora pessoas de 25 anos ou mais sem comorbidades e 18 anos ou mais, com comorbidades, poderão se vacinar com as ofertas de primeira e segunda doses.

A 1ª dose ofertada será da AstraZeneca, já a 2ª dose terá da Coronavac e AstraZeneca.

Na sede da cidade a estrutura estará localizada na Praça da Juventude, em frente à rodoviária municipal.

Na zona rural, veja a programação a abaixo:

Dia 03/8, nos povoados Santa Cruz e Bacuri do Nestor;

Dia 04/8, nos povoados Barro Branco e Marruazinho;

Dia 05/8, nos povoados Baixão do Cedro, Cabeceiras e Mocambinho.



Campanha da Semus para vacinar pessoas a partir dos 18 anos com comorbidades e 35 anos ou mais, sem comorbidades, durou três noites e foi montado no Largo da Igreja Matriz.

Com a campanha bem sucedida do “Arraiá de Vacinação” para aplicação de vacinas contra covid-19, o governo municipal de Arnaldo Cardoso conseguiu, em três noites, vacinar 1.430 buritienses, além de realizar 55 testagens rápidas de detecção do novo coronavírus. Com isso, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde – Semus, o município de Buriti avança na imunização e atinge a marca de 95,28% de doses aplicadas, com mais de 10 mil pessoas vacinadas.


Confira reportagem de Márcio Cardoso/Secom

Das 10.063 doses aplicadas, 4.457 delas, cerca de 44,3%, foram da Coronavac e 5.606 (55,7%), da AstraZeneca.


A ideia do arraial teve adesão da população, envolvimento dos profissionais da saúde, e ação vacinou pessoas com idade de 35 anos ou mais sem comorbidades e quem tinha 18 anos com comorbidades comprovadas. 

O Mutirão da Semus aconteceu nos dias 21, 22, 23 de junho no Largo de Sant'Ana da Igreja Matriz.

Equipe da Saúde envolvida na ação. À direita, secretário de saúde Carlos Mailson - Foto: Divulgação

Público-alvo comparece para vacinação - Foto: Divulgação.

 

Dados são da UFPel em parceria com Harvard e Ministério da Saúde.

Foto: Agência Brasil

 Pesquisa da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) estimou que o avanço da vacinação contra a covid-19 é responsável pela prevenção de mais de 40 mil mortes de idosos em um intervalo de treze semanas no Brasil. Os dados, divulgados na quinta-feira 176, são de levantamento realizado pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da UFPel, em parceria com a Universidade Harvard e o Ministério da Saúde.

Os cálculos revelaram que, se o número de mortes entre os mais idosos tivesse seguido a mesma tendência observada para os brasileiros mais jovens, seriam esperadas 70.015 mortes de pessoas de 80 anos ou mais. No entanto, foram registradas 37.401 mortes no período. Entre as pessoas de 70 a 79 anos, a expectativa de mortes era de 20.238 contra 13.838 registradas. Somando as estimativas para ambas as faixas etárias, foram evitadas as mortes de 43.082 idosos no país.

“Encontramos evidências de que, embora a disseminação da variante P.1 (gama) tenha levado ao aumento das mortes por covid-19 em todas as idades, a proporção de óbitos entre os idosos começou a cair rapidamente a partir da segunda quinzena de fevereiro de 2021. Até então, essa proporção tinha se mantido estável em torno de 25% a 30% desde o início da epidemia, mas se encontra agora abaixo de 13%”, disse o epidemiologista da UFPel e líder do estudo, Cesar Victora.

Ele acrescentou que as “análises de óbitos por outras causas mostram que o declínio proporcional entre os idosos é específico para as mortes por covid-19”. Os pesquisadores concluíram, portanto, que o avanço da campanha de vacinação contra a doença está associado às quedas progressivas na proporção de mortes de idosos pelo novo coronavírus no Brasil.

Victora avalia que a principal contribuição do levantamento é fornecer evidências sobre a efetividade do programa de vacinação no Brasil como um todo, em um cenário onde a variante gama atualmente predomina, confirmando os achados de estudos anteriores realizados em grupos populacionais mais restritos.

“Como o distanciamento social e uso de máscara estão sendo adotados de forma limitada na maior parte do país, o rápido aumento da vacinação permanece como a abordagem mais promissora para controlar a pandemia”, concluiu o pesquisador.

DETALHES DO ESTUDO

Para o levantamento, os pesquisadores analisaram as tendências de mortes por covid-19 e por outras causas não relacionadas ao novo coronavírus no período de 3 de janeiro a 27 de maio de 2021, com base em dados sobre óbitos e cobertura vacinal registrados pelo Ministério da Saúde. No período, o país registrou 238.414 mortes por covid-19 e 447.817 mortes por outras causas. 

Os resultados revelaram que número de mortes por covid-19 em todas as idades aumentou a partir do final de fevereiro em decorrência da rápida disseminação da variante gama para todo o país. 

Os níveis nacionais de cobertura com a primeira dose da vacina alcançaram metade dos idosos de 80 anos ou mais na primeira quinzena de fevereiro e passaram dos 80% na quinzena seguinte, com estabilidade em torno de 95% a partir de março.

Os pesquisadores observaram que, em paralelo, o percentual de mortes de idosos caiu de 28% do total de óbitos por covid-19, em janeiro, para 12%, em maio, com início de queda acentuada a partir da segunda metade de fevereiro. Enquanto a proporção de mortes nesse grupo por causas não relacionadas à covid-19 permaneceu estável em quase 30% no mesmo período.

Para a faixa etária de 70 a 79 anos, a cobertura vacinal com a primeira dose atingiu metade da população na última semana de março, alcançando 90% na primeira metade de maio. A proporção de mortes por covid-19 nesse grupo permaneceu em torno de 25% do total de mortes pela doença até a segunda semana de abril.

A partir daquele momento, essa proporção de mortes por covid-19 começou a diminuir de forma acentuada, chegando a 16% na última semana de maio. Entre esses idosos, a proporção de mortes por outras causas permaneceu estável em torno de 20%.

Ainda de acordo com o estudo da UFPel, a vacina CoronaVac representou 65,4% e a AstraZeneca/Oxford 29,8% de todas as doses administradas ao longo do mês de janeiro, enquanto as porcentagens foram de 36,5% para CoronaVac e 53,3% para AstraZeneca/Oxford no período entre meados de abril e metade de maio.

(Agência Brasil)


A Prefeitura Municipal de Buriti, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), promoveu na sexta-feira 11/6 o “Dia D” de vacinação contra o Covid-19, Gripe e regularização de vacinas para crianças menores de anos de idade. O evento foi denominado pela Semus de I ARRAIÁ DA IMUNIZAÇÃO.

Foto: Márcio Cardoso /SECOM

Essa ação teve como objetivo facilitar o acesso à vacina e melhorar a cobertura vacinal do município. Na contabilização da Semus, foram aplicadas, na sexta-feira(11), 213 doses contra o covid-19 e 300 contra o vírus da influenza (gripe).

A Secretaria Municipal de Saúde, além de ter disponibilizado a vacina na no Posto de Saúde Osvaldo Faria, e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Barro Branco e do Mocambinho, também fortaleceu as ações de imunização com pontos nas escolas municipais Governador Archer (Rua da Bandeira), Major João Costa (Bacuri), Mariana Alves (Alto da Moderação) e na escola estadual Maria Luiza

O secretário Carlos Mailson agradeceu ao empenho de sua equipe de profissionais da saúde no atendimento correto da população da nossa cidade nesse Dia D de vacinação.  

Secretario de Saúde Carlos Mailson - Foto: Márcio Cardoso /SECOM

SOBRE AS DOENÇAS

A COVID-19 é uma doença infecciosa causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) e tem como principais sintomas febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem apresentar dores, congestão nasal, dor de cabeça, conjuntivite, dor de garganta, diarreia, perda de paladar ou olfato, erupção cutânea na pele ou descoloração dos dedos das mãos ou dos pés. Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas apresentam apenas sintomas muito leves.

A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento hospitalar. Uma em cada seis pessoas infectadas por COVID-19 fica gravemente doente e desenvolve dificuldade de respirar. As pessoas idosas e as que têm outras condições de saúde como pressão alta, problemas cardíacos e do pulmão, diabetes ou câncer, têm maior risco de ficarem gravemente doentes. No entanto, qualquer pessoa pode pegar a COVID-19 e ficar gravemente doente.

A gripe é causada pelo vírus influenza e os principais sintomas são; febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. A transmissão se dá de pessoa para pessoa, através do contato com secreções das vias respiratórias através de conversas, tosses ou espirros provenientes de pessoas contaminadas.

Ações simples como lavar as mãos com frequência, cobrir a boca e o nariz quando espirrar ou tossir, usar lenços descartáveis para a higiene nasal, manter o ambiente ventilado, evitar locais fechados e adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos favorece a não proliferação do vírus da gripe. 

MAIS IMAGENS  DO DIA D







 *Publipost/SECOM (Foto: Márcio Cardoso)

O ex-vereador de Buriti (MA), Sargento Vagner, tomou a primeira dose da vacina Coronavac contra o coronavírus na tarde da última quinta-feira (1º), em Teresina, na capital do Piauí.

 Sargento Vagner, 68 anos de idade, foi vacinado por volta das 15h num posto de atendimento drive-thru da capital piauiense.

Em sua mensagem de encorajamento aos conterrâneos, o ex-vereador pede que “os nobres amigos (as) Buritienses façam como o SARGENTO VAGNER, que hoje VACINOU-SE, para procurar as UNIDADES DE SAÚDE da Nossa Querida Buriti-MA, para ser VACINADO com CORONAVAC, para que todos fiquem IMUNIZADOS, com a permissão Deus e Nossa SENHORA!”


Confira no VÍDEO o ex-vereador Sargento Vagner tomando a 1ª dose da vacina contra o coronavírus:

 O município de Buriti-MA atingiu nessa sexta-feira 6/3 a cobertura de 72,45% de aplicação das doses da CoronaVac e da AstraZeneca em  imunização dos integrantes dos primeiros grupos prioritários que estão recebendo as doses de vacina contra covid-19. As informações foram repassadas pela Coordenação de Imunização e Epidemiologia de Buriti e confirmadas pelo CORREIO BURITIENSE no site da Secretaria Estadual de Saúde - SES na manhã de hoje (7).

 Os dados lançados e divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde – Semus são parciais e sofrem atualizações conforme a campanha de vacinação contra a covid-19 avança. Foram aplicadas um total de 639 doses, das quais 514 são referentes à primeira etapa do processo de imunização e 125 à segunda etapa. Isso representa 72,45% das 882 doses distribuídas ao município.

A cidade ainda conta com um estoque de 31 frascos disponíveis para os que necessitam da primeira dose da vacina e 146 para os que precisam da segunda. Até o momento foram vacinados 197 profissionais da área da saúde e 114 idosos com mais de 80 anos de idade, entre outros, segundo dados da Secretaria Estadual e Saúde - SES.

Para Coordenador de Imunização e Epidemiologia, enfermeiro Heliomar, apesar dos dados ainda estarem desatualizados, o balanço do processo de vacinação realizado na cidade tem sido positivo até o presente momento.


Odonto Company Buriti - Rua da Bandeira, nº 25, salas 10 e 11, Centro.

BIOLAB - Rua Antônio Pereira Mourão, em frente ao HTB(Clínica)

PAINEL DO LEITOR - COMENTÁRIOS RECENTES