ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...
Mostrando postagens com marcador Morte. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Morte. Mostrar todas as postagens

De acordo com informações da DPC,  na tarde deste domingo 27/3,  um dos indivíduos que participou do assalto à  agência do Banco Siccob, em Chapadinha,  morreu em confronto com as forças policiais dos estados do Maranhão e Piauí, que estão participando de uma operação conjunta de captura e prisão do restante da quadrilha. O confronto se deu na zona rural de Buriti-MA.


Conforme familiares, ele morreu neste domingo 6/2, por volta das 5h15.

O buritiense ADHEMAR WALLACE COSTA LAGO morreu na manhã deste domingo 6/2, vítima de Covid-19, no Hospital São Luiz–HSLZ, capital maranhense, por volta das 5h15. O engenheiro agrônomo, popularmente chamado de Adhemar Lago Siow, tinha 72 anos e era o atual titular da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (SEMAGRI) de Buriti-MA, cargo também ocupado nas gestões dos ex-prefeitos Neném Mourão (2005 – 2012) e Rafael Mesquita (2013-2016).

Filho do conhecido poeta buritiense, educador e advogado Lili Lago, Adhemar Lago, era natural de São Luís, mas residia há mais de duas décadas em Buriti-MA e tinha grande serviços prestados ao município e à população buritiense. Homem correto, sincero, de simplicidade e carisma que conquistaram os buritienses. Ele partiu deixando 5 filhos e 4 netos.

PESAR DO EDITOR DO CORREIO BURITIENSE:

Saber do falecimento do amigo ADHEMAR LAGO, sempre parceiro e admirador deste BLOG, foi sem dúvida uma notícia triste e envio meus mais sinceros pêsames para os familiares e amigos, desejando que não desanimem, mas sim que tenha forças para continuar. Lamento a perda e imagino a dor que agora atormenta os corações lutuosos. O corpo físico se vai, e, embora a saudade fique sempre presente, a memória do homem probo, humilde, trabalhador e ajudador o eternizará.

Trata-se do maior número de óbitos por Covid registrado em um único dia desde setembro do ano passado.

 Enquanto o governo Bolsonaro segue minimizando a pandemia e, inclusive, fazendo campanha antivacina com notas técnicas desestimulando a imunização, o Brasil volta aos altos patamares dos números de casos e mortes por Covid-19.

UTI com pacientes de Covid-19 (Foto: Governo do Ceará)

Segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgados nesta terça-feira (1), o país registrou, somente nas últimas 24 horas, 929 mortes em decorrência da doença. Trata-se do maior número de óbitos em um único dia registrado desde 18 de setembro de 2021, quando foram contabilizadas 935 vítimas fatais. Ao todo, desde o início da crise sanitária, 628.067 pessoas morreram após contrair o coronavírus.

O Conass informa, ainda, que nas últimas 24 horas foram contabilizados 193.465 casos confirmados de Covid-19. Desde o início da pandemia, 25.620.209 de pessoas foram infectadas.

Os números desta terça-feira (1) fizeram a média móvel de casos e de óbitos subirem. A de óbitos está em 602, o que representa um aumento de 11% com relação à segunda-feira (31). Já a de casos está 186.985, um crescimento de 0,7% em comparação com o dia anterior.


 (REVISTA FÓRUM)

Total de confirmados em tratamento são 75 pacientes. 

município de Buriti-MA registrou oficialmente mais 2 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou nesta quarta-feira (26/1) 26 (vinte e seis) óbitos desde o início da pandemia. A informação consta no INFORME Epidemiológico nº 349/2022, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde – Semus, agora a noite.

Foi registrado ainda um aumento de 21 casos ativos, nas últimas 24h, o que elevou o total de 54 para 75 pacientes ativos com a covid-19. Há ainda 39 suspeitos de terem contraído a doença do novo coronavírus.  Uma pessoa permanece interna em clínica, os demais estão em tratamento domiciliar. 


Desde o início da pandemia, em 11 de março do ano de 2020, já são 4.950 notificações sobre a covid-19, com um total de 1.655 casos confirmados, sendo 1.554 recuperados e 26 óbitos. Outros 3.256 casos foram descartados.

 

É com grande pesar que comunicamos o falecimento da buritiense LÉSIA MARIA FERREIRA DA SILVA, 80 anos, ocorrido nesta segunda-feira 24/1, no Hospital Regional de Caxias, vítima da covid-19.  Nascida em 10 de novembro de 1941, dona Lésia, aposentada, trabalhou por mais de 30 anos como funcionária pública municipal, na função de OSD.  Viúva de Antônio Cardoso da Silva, popular Antônio Ventura.

Ela residia na Rua Inácia Vaz. O Sepultamento será no Cemitério Municipal São José.

 PESAR DO REDATOR-CHEFE

 Neste dia de grande tristeza, este CORREIO presta sua solidariedade e condolências aos familiares e amigos de Lésia Maria Ferreira da Silva.  Desejo que todos encontrem força e fé na memória do ente querido que partiu.  Que Deus conceda a força necessária para juntos enfrentarem essa perda dolorosa.


*Editado para correção sobre velório e sepultamento.


INFORME Epidemiológico nº 342/2022, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde – Semus, ontem, quarta-feira 19/1, registra a 24ª morte por covid-19 em Buriti-MA, informada no último dia 17 de janeiro deste ano. Além disso, são 33 casos ativos e 22 suspeitos de terem contraído a doença do novo coronavírus. Um paciente está em internado em clínica e os demais, em tratamento domiciliar.

 

Desde o início da pandemia, em 11 de março do ano de 2020, já são 4.788 notificações sobre a covid-19, com um total de 1.584 casos confirmados, sendo 1.527 recuperados e 24 óbitos. Outros 3.182 casos foram descartados.

INFORME Epidemiológico nº 311/2021, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde – Semus, na data de hoje, domingo 19/12, aponta uma pequena estabilização nos casos ativos em Buriti-MA desde o dia 16 de dezembro. São 105 casos ativos da covid-19 e 24 suspeitos de terem contraído a doença do novo coronavírus. Dois pacientes estão internados em clínica e os demais fazem tratamento domiciliar.

Agora o total de óbitos pela doença do novo coronavírus está em 23, com a última vítima fatal sendo confirmada no boletim epidemiológico nº 307, do dia 15 de dezembro de 2021. Não foi especificado nenhum detalhe sobre o óbito pela Semus no boletim.  

Desde o início da pandemia, em 11 de março de 2020, já são 4.545 notificações sobre a covid-19, com um total de 1.539 casos confirmados, sendo 1.411 recuperados e 23 mortes. Outros 2.982 casos foram descartados.

 Há ainda 70 casos ativos e 22 suspeitos de contraírem a doença

INFORME EPIDEMIOLÓGICO nº 290, desse domingo 18/11, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde – Semus somente, registra mais uma morte por covid-19 em Buriti/MA. Agora o total de óbitos pela doença do novo coronavírus chega a 2 (vinte e dois), o que representa 1,56% dos casos positivo. Não foi especificado nenhum detalhe sobre o óbito pela Semus no boletim.  O CORREIO apurou que se trata de uma senhora que estava internada em UTI do Hospital Regional de Caxias. Foram contabilizados ainda 70(setenta) casos positivos ativos e mais 22 suspeitos de contraírem a doença.  Três pacientes estão internados em clínica.

Desde o início da pandemia, em 11 de março de 2020, já são 4.188 notificações sobre a covid-19, com um total de 1.413 casos confirmados, sendo 1.321 recuperados e 22 óbitos. Outros 2.753 casos foram descartados.

BOLETIM DO DOMINGO 28/11

Mulher disse ainda que pagaria os criminosos com R$ 1.500 como “entrada” e o restante do valor seria dividido em parcelas de R$ 700.

Após uma investigação de mais de um ano, a Polícia Civil elucidou um crime e descobriu que uma mulher encomendou a morte do próprio companheiro, e ainda pagaria os criminosos com R$ 1.500 como “entrada” e o restante do valor seria dividido em parcelas de R$ 700,00, pagas via depósito bancário.

Charles Cutrim era empregado em uma grande empresa em São Luís
e foi morto a mando da esposa, segundo a Polícia — Foto: Arquivo Pessoal
O crime aconteceu no início da manhã do dia 27 de março de 2020, quando a vítima Charles Cutrim de Sousa foi alvejada com disparos de arma de fogo na porta da própria casa no Residencial Renascer, região do Maiobão, em Paço do Lumiar, a 331 km de Buriti-MA.

Segundo a polícia, em um primeiro momento, o crime foi repassado como um possível latrocínio, mas no decorrer das investigações chegaram vestígios que apontaram a morte como homicídio. A esposa, após ser presa, confessou que decidiu matar o companheiro porque ele não aceitava o fim do relacionamento e costumava ameaçá-la de morte, caso se separassem.

O crime pode ter tido a participação de várias pessoas e, nesta quarta-feira 25/8, dois suspeitos foram presos nos bairros Pirapora e Vila Luizão e encaminhados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Charles Cutrim era empregado em uma grande empresa em São Luís e, além do patrimônio pessoal, possuía seguro de vida.

(Por G1 MA)


Segundo as investigações, a vítima, de 22 anos, foi estuprada e morta por estrangulamento na residência dela, na cidade de Vitória do Mearim.

Nessa quinta-feira (29), o Tribunal do Júri da Comarca de Vitória do Mearim, a 291 km de Buriti-MA, condenou Anilto Sodré a 16 anos e seis meses de reclusão pelo assassinato da ex-companheira dele, Franciane Silva Andrade.

Atuou no júri a promotora de justiça Karina Freitas Chaves.

Segundo as investigações, a vítima, de 22 anos, foi estuprada e morta por estrangulamento na residência dela. De acordo com a denúncia do Ministério Público, o feminicídio foi praticado entre os dias 31 de maio e 1º de junho de 2020. O julgamento foi presidido pela juíza Urbanete de Angiolis Silva.

O conselho de sentença reconheceu que o crime foi pautado em questão do gênero, pois foi praticado com bastante violência contra uma mulher, em relação de poder e submissão, caracterizando o feminicídio.

(Por G1 MA)

 

 Mais de meio milhão de brasileiros morreram em decorrência da covid-19. De acordo com balanço divulgado na noite deste sábado (19) pelo Ministério da Saúde, a pandemia já matou 500.800 pessoas no país. Em 24 horas foram 2.301 mortes e 82.288 novos casos confirmados, além de outros 1.199.101 sob acompanhamento.

O número de casos registrados em todo o país chegou a 17,883 milhões. Desse total, 16,183 milhões de pessoas de recuperaram, o que equivale a 90,5% dos infectados. Mais de 1,199 milhão de pessoas seguem em acompanhamento pelas secretarias estaduais de Saúde.

São Paulo é o estado com maior número de casos e óbitos. Até o momento foram 121.960 mortes em meio a 3.573.210 casos confirmados. Minas Gerais está em segundo lugar com 44.347 óbitos e 1.733.181 casos

A lista segue com Paraná (29.975 mortes e 1.192.93 casos), Rio Grande do Sul (30.372 em meio a 1.181.872 casos), e Bahia (23.204 mortes e 1.092.772 casos).

Mais cedo, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga divulgou, via redes sociais, uma nota na qual lamenta o número. "500 mil vidas perdidas pela pandemia que afeta o nosso Brasil e todo o mundo. Trabalho incansavelmente para vacinar todos os brasileiros no menor tempo possível e mudar esse cenário que nos assola há mais de um ano", disse.

Também lamentaram a superação da marca de 500 mil mortes o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) – que ressaltou que do meio milhão de mortes, 300 mil ocorreram apenas nos últimos cinco meses – e a organização humanitária Médicos Sem Fronteiras.

“Somos o segundo país em números de óbitos diários. Estamos atrás apenas da Índia com seus 1,3 bilhão de habitantes. Dados reunidos pela Universidade de Pelotas também não deixam dúvidas. O Brasil, com 2,7% da população mundial, detém 12,8% dos óbitos por covid-19 no mundo. Enquanto a proporção de mortes por covid-19 no mundo é de 488 por milhão de habitantes, aqui é de 2.293”, disse, em nota, o Conass.

“Temos, portanto, duas crises: a do vírus e a da ignorância. Essa perigosa combinação expõe mais pessoas ao risco de contágio e dificulta ainda mais as estratégias de prevenção da doença”. “Sofremos com a alta ocupação de leitos de UTI e com a escassez de medicamentos para intubação, o que aumenta ainda mais a pressão sobre os trabalhadores de saúde”, complementa a nota ao ressaltar que o número de casos novos voltou a crescer.

Em carta aberta, o Médicos Sem Fronteiras disse condenar “com indignação” o que chamou de “descaso” à emergência sanitária no Brasil. Segundo a entidade, o país “vive em um estado de luto permanente”. A organização destaca que estudos previam os impactos que a pandemia teria sobre o sistema de saúde e que esta atingiria, de maneira “mais cruel”, as populações negra e indígena, migrantes e refugiados.

“Como organização médica, é nossa obrigação esclarecer que muitas dessas mortes poderiam ser evitáveis. A insistente recusa em colocar em prática medidas de saúde pública baseadas em evidências científicas, como o distanciamento social e o uso de máscara, mesmo para quem já foi vacinado ou teve a doença, segue resultando na morte prematura de muitas pessoas e aumentando o risco do surgimento de novas variantes”, diz a carta do Médicos Sem Fronteiras.

Vacinação

De acordo com dados do Ministério da Saúde, até o momento foram enviadas a estados e municípios 115,135 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Desse total, foram aplicadas 85, 390 milhões de doses, sendo 61,270 milhões da primeira dose e 24,120 milhões da segunda dose.

(AGÊNCIA BRASIL)

BRASIL REGISTRA MAIS DE 500 MIL MORTOS POR COVID-19

 Mais de meio milhão de brasileiros morreram em decorrência da covid-19. De acordo com balanço divulgado na noite deste sábado (19) pelo Ministério da Saúde, a pandemia já matou 500.800 pessoas no país. Em 24 horas foram 2.301 mortes e 82.288 novos casos confirmados, além de outros 1.199.101 sob acompanhamento.

O número de casos registrados em todo o país chegou a 17,883 milhões. Desse total, 16,183 milhões de pessoas de recuperaram, o que equivale a 90,5% dos infectados. Mais de 1,199 milhão de pessoas seguem em acompanhamento pelas secretarias estaduais de Saúde.

São Paulo é o estado com maior número de casos e óbitos. Até o momento foram 121.960 mortes em meio a 3.573.210 casos confirmados. Minas Gerais está em segundo lugar com 44.347 óbitos e 1.733.181 casos

A lista segue com Paraná (29.975 mortes e 1.192.93 casos), Rio Grande do Sul (30.372 em meio a 1.181.872 casos), e Bahia (23.204 mortes e 1.092.772 casos).

Mais cedo, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga divulgou, via redes sociais, uma nota na qual lamenta o número. "500 mil vidas perdidas pela pandemia que afeta o nosso Brasil e todo o mundo. Trabalho incansavelmente para vacinar todos os brasileiros no menor tempo possível e mudar esse cenário que nos assola há mais de um ano", disse.

Também lamentaram a superação da marca de 500 mil mortes o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) – que ressaltou que do meio milhão de mortes, 300 mil ocorreram apenas nos últimos cinco meses – e a organização humanitária Médicos Sem Fronteiras.

“Somos o segundo país em números de óbitos diários. Estamos atrás apenas da Índia com seus 1,3 bilhão de habitantes. Dados reunidos pela Universidade de Pelotas também não deixam dúvidas. O Brasil, com 2,7% da população mundial, detém 12,8% dos óbitos por covid-19 no mundo. Enquanto a proporção de mortes por covid-19 no mundo é de 488 por milhão de habitantes, aqui é de 2.293”, disse, em nota, o Conass.

“Temos, portanto, duas crises: a do vírus e a da ignorância. Essa perigosa combinação expõe mais pessoas ao risco de contágio e dificulta ainda mais as estratégias de prevenção da doença”. “Sofremos com a alta ocupação de leitos de UTI e com a escassez de medicamentos para intubação, o que aumenta ainda mais a pressão sobre os trabalhadores de saúde”, complementa a nota ao ressaltar que o número de casos novos voltou a crescer.

Em carta aberta, o Médicos Sem Fronteiras disse condenar “com indignação” o que chamou de “descaso” à emergência sanitária no Brasil. Segundo a entidade, o país “vive em um estado de luto permanente”. A organização destaca que estudos previam os impactos que a pandemia teria sobre o sistema de saúde e que esta atingiria, de maneira “mais cruel”, as populações negra e indígena, migrantes e refugiados.

“Como organização médica, é nossa obrigação esclarecer que muitas dessas mortes poderiam ser evitáveis. A insistente recusa em colocar em prática medidas de saúde pública baseadas em evidências científicas, como o distanciamento social e o uso de máscara, mesmo para quem já foi vacinado ou teve a doença, segue resultando na morte prematura de muitas pessoas e aumentando o risco do surgimento de novas variantes”, diz a carta do Médicos Sem Fronteiras.

Vacinação

De acordo com dados do Ministério da Saúde, até o momento foram enviadas a estados e municípios 115,135 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Desse total, foram aplicadas 85, 390 milhões de doses, sendo 61,270 milhões da primeira dose e 24,120 milhões da segunda dose.

(AGÊNCIA BRASIL)

 

Morreu, às 4 horas da madrugada, de ontem, quarta-feira 2/6, na UTI do Hospital UDI, o jornalista e ex-deputado estadual Luiz Pedro de Oliveira. Ele foi internado na tarde do último domingo, após sofrer um infarto em sua residência e entrou em coma.

Luiz Pedro nasceu na cidade de Juazeiro do Norte (CE), em 26 de fevereiro de 1953. Chegou ao Maranhão em meados da década de 1970. Foi eleito deputado estadual pelo PDT e exerceu o primeiro mandato de 1° de fevereiro de 1983 até 1° de fevereiro de 1987. O 2º mandato foi de 1° de fevereiro de 2003 até 1° de janeiro de 2007.

Dentre os cargos públicos exercidos, foi secretário municipal de Comunicação de São Luís, na segunda administração de Jackson Lago e secretário-chefe do gabinete no governo Jackson Lago (2007–2009).  Também esteve como servidor da Assembleia Legislativa do Maranhão e, ultimamente, era um dos apresentadores do programa “Os Analistas”, na TV Guará. Era atualmente membro da Comissão Executiva Estadual do PT e atual secretário estadual de Comunicação do partido.

NOTA DE PESAR – O Redator-Chefe deste CORREIO, Aliandro Borges, vem a publicar manifestar seu mais profundo pesar pelo falecimento do companheiro Luiz Pedro, ex-deputado estadual do Maranhão e também jornalista. Solidariedade aos seus familiares, amigos e companheiros na luta por justiça social.

É com profundo pesar que o CORREIO BURITIENSE comunica o falecimento da buritiense MARIA DA GRAÇA DE FARIA MOURA, 71 anos de idade, ocorrido por volta das 7h30 desta quarta-feira 7/4. Gracinha Moura, como era conhecida, estava internado em hospital, na capital maranhense, e não resistiu às complicações orgânicas decorrentes da covid-19.

Gracinha era bibliotecária, foi professora da UFMA, no curso de biblioteconomia, por mais de 2 décadas, tendo sido coordenadora do curso. Atuou na Secretaria Estadual de Planejamento, no IPEI (Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais), depois transformado em Fundação (FIPES). Após deixar a docência, assessorou a Prefeitura Municipal de São Luis em diversas gestões e também em governos estaduais, nas gestões de José Reinaldo Tavares e Jackson Lago. Era integrante da APRUMA, onde foi secretária, membro do Instituto Jackson Lago e sócia-fundadora da AMIB–Associação dos amigos de Buriti, tendo sido uma de suas presidentes, no período de agosto de 1996 a julho de 1998.

Viúva de José de Ribamar Carvalho Moura, ela partiu deixando um filho, nora e duas netas.

A cremação deu-se hoje (7) mesmo, às 13h, na Pax, na região metropolitana de São Luís. E foi a acompanhada por pequeno grupo de familiares. Não houve velório por restrições sanitárias devido a pandemia.

NOTA DO CORREIO BURITIENSE

Neste momento de dor e despedida, o redator deste blog, Aliandro Borges, deseja que o tempo traga alívio aos corações da Família Faria e Amigos pela perda de Graça Faria Moura, uma amiga cujo sorriso vívido ficará perenemente em minha memória. Rogo aos céus pelo consolo dos que ficam e que ela encontre paz eterna. Prestando profundas condolências, segue poema, que fiz na tarde de hoje (7), em sua homenagem:

 

 PASSO DEVAGAR

 

Há um estranho no mundo

que não diz o momento exato da chegada

e antecipa a partida.

 

Não tinha pressa,

era para ser devagar.

Nada sabemos do instante eterno.

 

O sorriso marca a luta perene.

A lágrima, o esforço vital.

A dor, a tragédia de agora.

 

Conheci as manhãs,

admirei os entardeceres,

vislumbro a aurora celestial.

 

Passo devagar e dobro a esquina.

O mundo descompassado fica,

mas as janelas se abrem: é tempo de empatia, amor e harmonia.


Senhor Miguel Chaves, era hipertênso, e morreu por complicações da covid-19

É com grande pesar que comunicamos o falecimento do senhor MIGUEL DE ARAÚJO CHAVES, 80 anos, ocorrido por volta das 18h deste domingo 4/4. Ele estava internado na UPA de Coelho Neto, a 44 km de Buriti-MA, e morreu vítima de complicações decorrentes da covid-19. Miguel Chaves, natural de Buriti-MA, casado, pai da atual secretária municipal de educação Gabriela Chaves, residia atualmente na Fazenda Torrões, município vizinho de Duque Bacelar.

Não haverá velório e o sepultamento está previsto para ocorrer nesta segunda-feira (5) no Cemitério Municipal São José, centro da cidade de Buriti-MA.

NOTA DO CORREIO BURITIENSE

Neste momento de dor e luto este Correio Buritiense presta sua solidariedade aos amigos e familiares do senhor Miguel Chaves, em especial, à secretária de educação Gabriela Chaves, companheira e amiga particular do redator-chefe deste blog, por esta irreparável perda. Rogamos a Deus pelo conforto de todos que sofrem esta grande dor, em que as palavras se apequenam e o espírito busca amparo na Fé. Tenham força e acreditem que com o tempo tudo ficará mais fácil e a memória de Miguel Chaves continuará viva.

É com grande pesar que comunicamos o falecimento da senhora MARIA ASSUNÇÃO VERAS CAMPOS, simplesmente ASSUNÇÃO VERAS, 75 anos, ocorrido por volta das 20h30 de ontem, terça-feira 30/3. Ela estava internada no Hospital de Urgência de Teresina – HUT e teve uma parada cardiorrespiratória por infecção do novo coronavírus.

ASSUNÇÃO VERAS, que residia desde 2019 em Teresina-PI, era pedagoga e exerceu o magistério por mais de 5 décadas. Também foi secretária da Câmara Municipal na administração do ex-prefeito Antônio Dutra. Viúva, deixa 2 filhos, 10 netos e 6 bisnetos. O sepultamento será no Cemitério Municipal São José.

 Biografia da Professora Assunção Veras, extraída da homenagem da UNOPAR

 Maria Assunção Veras Campos, nasceu no dia 18 de maio de 1945, em Buriti - MA, filha de Vitorino Veras Filho e Eusebia Marques da Silva. Teve ao todo nove irmãos. Ainda criança, Assunção Veras tinha dois sonhos: ser professora e advogada. Conseguiu realizar um de seus sonhos que foi o de lecionar. Na antiga União Artística Operária Buritiense foi construindo e aprendendo como se devia ensinar com a prática e os esforços já adquiridos.

Trabalhou no IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) por 4 anos como auxiliar do Chefia. Foi secretária da Câmara Municipal na gestão do prefeito Antônio Dutra.

Em 1971, casou-se com Manoel Ferreira Campos, com quem teve 3 filhos: Roberlan, Alessandro e Maykon, permanecendo casada até 2014, ano de falecimento de seu marido. Em 1975, foi nomeada professora municipal na gestão do então prefeito Benedito Machado, continuando na União artística, depois foi transferida para Unidade de Ensino Inácia Vaz, passando também pelo colégio Complexo Educacional Professora Carmem Costa. Foi diretora temporária da U.I Antônio farias. Em 1982, foi nomeada pelo Estado. Foi também ecute do Mobral (Movimento Brasileiro de Alfabetização), logo após, foi promovida a Presidente.

Da U.I Antônio Farias foi transferida ao Centro de Ensino Maria Luiza Novaes Viana, nesta última, assume função na secretaria nos dois turnos, com muito esforço conseguiu finalizar o ensino superior na graduação Bacharel em pedagogia no ano de 2014 .

 É com grande pesar que comunicamos o falecimento da senhora MARIA DA CONCEIÇÃO SILVA COSTA, popular CONCEIÇÃO COSTA, 59 anos, ocorrido por volta das 19h30 de ontem, terça-feira 30/3. Ela estava internada no Hospital Tomaz Martins, na cidade de Santa Inês, a 360 km de Buriti-MA, e morreu vítima de complicações decorrentes da covid-19.

CONCEIÇÃO COSTA, que morava na Rua Santo Antônio, próximo à Delegacia, era técnica de enfermagem aposentada pelo Estado, trabalhou no Posto de Saúde nas gestões dos ex-prefeitos Neném Mourão e Naldo Batista, e atuou na secretaria escolar da antiga Unidade Integrada Antonio Farias por uns tempos. Separada, deixa 2 filhos e 2 netos. O sepultamento está previsto para ocorrer ao meio-dia de hoje (31) no povoado Barro Branco, onde residem seus familiares.

Este Correio Buritiense presta solidariedade aos amigos e familiares de Conceição Costa por esta irreparável perda e rogamos a Deus pelo seu conforto neste momento de grande dor, em que as palavras se apequenam e o espírito busca amparo na Fé.

 Pedagoga Assunção Veras e a técnica em enfermagem Conceição Costa não resistiram à letalidade do coronavírus.

Na noite desta terça-feira 30/3, duas buritienses perderam a vida para covid-19. As vítimas foram a técnica em enfermagem Maria da Conceição Silva Costa, 59 anos, que morreu por volta das 19h30, internada no Hospital Tomaz Martins, em Santa Inês; e a pedagoga Maria Assunção Veras Campos, 75 anos, que morreu às 20h30, internada no HUT - Hospital de urgência de Teresina.

  

A poesia maranhense está de luto com a morte do poeta caxiense FRANCISCO DE ASSIS CARVALHO DA SILVA JUNIOR, popular Carvalho Júnior, 35 anos, ocorrida nesta terça-feira 30/3, devido a complicações decorrentes da covid-19. Ele lutava contra a doença na UTI do Hospital Macrorregional de Caxias, onde passou mais de um mês internado.

Carvalho Júnior, professor com cargo de gestor da escola estadual Gonçalves Dias, era membro-fundador da Academia Caxiense de Letras, ocupando a Cadeira nº 02, patronada por Clóvis Beviláqua Vidigal, e membro efetivo da Academia Sertaneja de Letras, Educação e Artes do Maranhão (Asleama). Vencedor do Troféu Nauro Machado no I Festival Maranhense de Conto e Poesia, promovido pela UEMA em 2015.

Publicou os livros de poemas Mulheres de Carvalho (Café & Lápis, São Luis, 2011), A Rua do Sol e da Lua (Scortecci, São Paulo, 2013), Dança dos dísticos (Editora Patuá, São Paulo, 2014), No alto da ladeira de pedra (Editora Patuá, São Paulo, 2017) e O homem-tijubina & outras cipoadas entre as folhagens da malícia (Editora Patuá, São Paulo, 2019). Tem poemas publicados em antologias e revistas literárias nacionais. Fica uma lacuna em Caxias e no universo cultural maranhense.

Carvalho Júnior deixa esposa e duas filhas, além de muitos amigos entristecidos com seu precoce falecimento.

A Academia Caxiense de Letras e a Asleama emitiram nota d pesar. Confiram abaixo.

 Ela estava internada na cidade de Coelho Neto e morreu na tarde deste sábado (27) após parada cardiorrespiratória consequência da doença do coronavírus.

A Secretaria de Saúde – Semus de Buriti – MA confirmou, por comunicado publicado há pouco, o primeiro óbito em criança causado pela COVID-19. Segundo as informações do Comunicado, a criança tinha apenas 1 ano de idade e estava internada na cidade vizinha de Coelho Neto (MA), após regulação da equipe de da Semus de Buriti-MA.  Ela tinha comorbidades e o estado de saúde se agravou com parada cardiorrespiratória e insuficiência respiratória aguda causada pela COVID-19.  Não resistiu e morreu por volta das 13h de hoje (27).

A SEMUS diz estar incansavelmente em alerta a todos os casos de COVID.19. “Alertamos a toda sociedade a seguir os protocolos sanitários para evitar a proliferação do vírus e aqueles que apresentarem quaisquer sintomas gripais ou sintomas de dificuldade respiratória, procurem imediatamente o centro de Referência Municipal Contra a Covid-19.”, diz o informe.

Com este óbito, sobe para 20 o número de mortes por Covid-19 em Buriti (MA).  São 847 diagnósticos positivos, 28 ativos e 35 suspeitos de contraírem a doença. 

 INFORME EPIDEMIOLÓGICO nº 53, da sexta-feira 26/3, porém divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde – Semus somente neste sábado 27/3 por razões técnicas, segundo informou em nota o DECOM, registra duas mortes por covid-19 em 24h. Agora o total de óbitos pela doença do novo coronavírus chega a 19 (dezenove) em Buriti/MA, o que representa 2,24% dos casos posititvos. Não foi especificado nenhum detalhe sobre os dois óbitos pela Semus no boletim.  Também foram contabilizados 29 (vinte e nove) casos positivos ativos e mais 35 suspeitos de contraírem a doença.  Dois pacientes estão internados em clínica e um está internado em UTI do Hospital Regional de Caxias.

Em 2021, já foram registradas 292 notificações sobre a doença do novo coronavírus. Do início da pandemia, há pouco mais de um ano, em 11 de março de 2020, um total de 847 casos foram confirmados, sendo 799 recuperados (94,33%). Outros 882 casos foram descartados.


* Editado às 18h09 de hoje (27) para substituição do boletim corrigido pela Semus

Odonto Company Buriti - Rua da Bandeira, nº 25, salas 10 e 11, Centro.

BIOLAB - Rua Antônio Pereira Mourão, em frente ao HTB(Clínica)

PAINEL DO LEITOR - COMENTÁRIOS