"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...

Morre o jornalista, historiador e ex-presidente do Tribunal de Justiça, Milson Coutinho, aos 81 anos

Ele deixa legado literário e jurídico

Morreu em São Luís, na manhã desta terça-feira 4/8, o jornalista, historiador, ensaísta, advogado e ex-presidente da Academia Maranhense de Letras e do Tribunal de Justiça do Maranhão, Milson Coutinho, aos 81 anos de idade.

Informações familiares apontam que ele estava tratando um aneurisma da aorta. Nesta terça acabou passando mal, foi levado ao hospital, teve uma parada cardiorrespiratória e não resistiu.

Perfil

Nascido no município de Coelho Neto, Milson Coutinho bacharelou-se em Direito pela Universidade Federal do Maranhão em 1972. Conquistou o primeiro lugar em pontos na média final entre formandos de sua turma.

Como advogado, exerceu por três mandatos o cargo de conselheiro da OAB-MA, foi procurador do Estado e assessor jurídico de municípios, dentre outras funções públicas relevantes.

Foi eleito vice-presidente do TJ em janeiro de 2000. Novamente eleito, exerceu a presidência do Tribunal no biênio 2004-2005. Integrou duas comissões examinadoras de concurso para juiz de direito. Foi vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral, em 1997, e presidente de 1998 a 1999.

Historiador com vasta produção literária, membro da Academia Maranhense de Letras (AML), onde ocupava a cadeira nº 15, que teve como patrono Odorico Mendes. Ele chegou a presidir, em 1981, a AML, tendo sido empossado em 13 de maio de 1982, sucedendo Erasmo Dias e sendo recepcionado pelo escritor Jomar Moraes.

Era membro das academias de Caxias, Pedreiras e São Bento de Letras, além da Maranhense de Letras Jurídicas (poltrona do Visconde de Alcântara) e membro do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão.

Foi redator de periódicos e estações de rádio de São Luís e diretor do Arquivo Público do Estado. Ex-professor universitário, Milson Coutinho é cidadão honorário de vários municípios, inclusive da capital.

É laureado com diversas medalhas, dentre elas a do "Mérito Timbira", pelo Governo do Estado; a da "Ordem do Rio Branco", pelo Ministério das Relações Exteriores; a do "Mérito Judiciário Velloso de Oliveira", pelo Judiciário estadual e a do Mérito Judiciário Trabalhista "Ordem dos Timbiras", pelo TRT do Maranhão.

Ela deixa um importante legado histórico de vida, conhecimento e pesquisa compartilhados em seus ensaios, apontamentos e livros publicados.

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem. Ofensas pessoais, mensagens preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, ou ainda acusações levianas não serão aceitas. O objetivo do painel de comentários é promover o debate mais livre possível, respeitando o mínimo de bom senso e civilidade. O Redator-Chefe deste CORREIO poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

PAINEL DO LEITOR - COMENTÁRIOS RECENTES