"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...

Assim como Nelson Mandela e Dalai Lama, ex-Presidente Lula recebe prêmio de cidadão honorário de Paris por sua luta na redução das desigualdades sociais


Honraria foi entregue nesta terça-feira 2/3 pela prefeita Anne Hidalgo.
Lula discursa ao receber prêmio em Paris — Foto: Reprodução/Twitter Instituto Lula

Muito aplaudido, o ex-presidente 
Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta terça-feira 2/3 em Paris o título de cidadão honorário de Paris. A honraria foi entregue pela prefeita da capital francesa, Anne Hidalgo.

Título de cidadão honorário parisiense entregue ao ex-presidente Lula nesta segunda-feira (2), na França / Foto: Reprodução/Twitter

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta terça-feira 2/3 em Paris o título de cidadão honorário de Paris. A honraria foi entregue pela prefeita da capital francesa, Anne Hidalgo.
O título de cidadão honorário de Paris foi concedido pelo Conselho de Paris, órgão equivalente a uma Câmara de Vereadores, em outubro passado, em razão do “engajamento de Lula na redução das desigualdades sociais e econômicas no Brasil” e também por sua política “contra as discriminações raciais”, segundo comunicado da Prefeitura de Paris divulgado na ocasião.
Em sua fala, Hidalgo teceu elogios ao político e afirmou que ter Lula como cidadão honorário era uma grande virtude para Paris. 
“É uma honra atribuir esse título a uma grandíssima personalidade como Lula. É um título que demonstra nossos valores, atribuídos àqueles que lutam pela humanidade”, disse a prefeita. Em seguida, Hidalgo afirmou ter esperança de ver um Brasil “renovado”, com Lula, acompanhado da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e de Fernando Haddad (PT), que estavam presentes na cerimônia. 
Lula agradeceu o reconhecimento e discursou para centenas de pessoas. “Estou muito emocionado de estar aqui em Paris recebendo essa homenagem. Quando digo para vocês que tenho energia de 30, digo porque nunca estive mais motivado do que estou agora a brigar pela democracia no nosso país. Agradeço muito a vocês.”
“O povo de Paris me acolhe hoje entre seus cidadãos, como um reconhecimento pelo que fizemos, junto com tantos companheiros e com intensa participação social, para reduzir a desigualdade e combater a fome no Brasil”, agregou Lula.
 O ex-presidente disse ainda que o Brasil vive "um processo de enfraquecimento do processo democrático, estimulado pela ganância de poucos e pelo desprezo em relação aos direitos do povo". Afirmou ainda haver "repetidos ataques ao Estado de direito e à Constituição".
Lula voltou a dizer que é inocente dos crimes pelos quais foi condenado na Justiça. Ele criticou o Ministério Público Federal e o então juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça e Segurança Pública. O ex-presidente foi condenado em duas ações: uma pelo processo do triplex do Guarujá e outra pelo sítio de Atibaia. Ambas foram confirmadas em segunda instância.
Ele ficou preso de abril de 2018 a novembro de 2019, e saiu da prisão após decisão do STF que derrubou prisões após condenações em segunda instância.
Outros homenageados
O ex-presidente é o segundo brasileiro a receber o título de cidadão honorário de Paris. O primeiro foi o cacique Raoni Metuktire. A honraria, segundo a Prefeitura de Paris, é dada a pessoas que se destacam na defesa dos direitos humanos.
Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul, e o Dalai Lama, líder espiritual do Tibete, também estão entre os contemplados, assim como o jornal satírico “Charlie Hebdo”, alvo de um ataque terrorista que deixou 11 mortos em janeiro de 2015.
 *Do G1/Brasil de Fato

4 comentários: Leave Your Comments

  1. A humanidade caminha para o abismo, para a falta de discernimento daquilo que é certo ou errado, do que é falso ou verdadeiro, do que se acredita ou daquilo que se desconfia... Quando se deixou de inocentar o Cristo para libertar um ladrão da crucificação.

    ResponderExcluir
  2. PARABÉNS, PREZADO COMPANHEIRO LULA, POR MAIS ESSE MERECIDO PRÊMIO !!

    Isso mostra o respeito e a admiração que o mundo tem por você, Lula.

    Isso mostra a importância e o prestígio que você teve e tem no contexto das relações internacionais.

    Luiz Inácio Lula da Silva - o maior estadista da história do Brasil -, amado e querido por milhões de pessoas no mundo inteiro, foi impedido de concorrer ao pleito presidencial de 2018 por meio de um “'golpe judicial”, fundado sobretudo em "ódio de classe".

    Todo o ódio das elites nacionais conservadoras contra o Lula se deve ao sucesso do seu governo. Imaginavam que um ex-metalúrgico de origem humilde, que passara fome e que vivera na miséria no agreste de Pernambuco, não tinha “capacidade” para governar o país. Enganaram-se redondamente. A aprovação do presidente Lula ao final do seu mandato foi fantástica: 87% dos brasileiros julgaram ÓTIMO o seu governo. Isso fez intensificar o ódio que as elites nacionais conservadoras já nutriam contra Lula.

    Então as classes dominantes, movidas por sua intensa aversão a pobres, começaram a vociferar contra Lula e Dilma, como cães raivosos a expelir seu babo de ódio pelos cantos da boca.

    E quando perceberam que não conseguiriam vencê-los nas urnas, então passaram a tramar o Golpe.

    Com o Golpe parlamentar de 2016, que resultou no afastamento rasteiro e brutal da presidente Dilma Rousseff, rompeu-se o pacto estabelecido pela Constituição Federal.

    Com a ruptura da ordem democrática, o Estado de direito deu lugar a um Estado policial arbitrário, sob o comando de déspotas togados, que subverteram a ordem constitucional para condenar sem provas o ex-presidente Lula, um homem público probo, honesto e honrado, impedindo-o de participar das eleições de 2018, a qual certamente venceria no 1º turno, conforme apontavam todas as pesquisas à época.

    Ao sabor das circunstâncias e conveniências políticas, criou-se uma farsa jurídica e assim, desvirtuando-se preceitos constitucionais pétreos, negou-se ao ex-presidente Lula o DIREITO POSITIVO, reto, justo e correto, e lhe impuseram pela via de exceção o ANTIDIREITO, ilegítimo e arbitrário, cerceando-lhe a defesa e condenando-o sem provas, para atender-se aos interesses das classes dominantes e do capital financeiro.

    Assim fizeram com Lula. Foi condenado sem provas, levado ao cativeiro e ali amordaçado, silenciado, mantido como preso político para que não concorresse ao pleito presidencial e, mais uma vez, fosse eleito presidente do Brasil.

    Um jogo de cartas marcadas, uma grande farsa judicial com propósitos claramente políticos, forjada nos porões da República de Curitiba “com o Supremo, com tudo”, e que certamente será lembrada pelas gerações futuras como uma das páginas mais sujas, tristes e iníquas da história do Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Anne Hidalgo, prefeita de Paris deve ser filiada no PT ladre Paris, a única explicação para homenagear um saqueador ladrão igual o LULADRÃO.

    ResponderExcluir
  4. LULA foi preso por que roubou o pais, chefe de quadrilha. O maior assaltante de dinheiro público de todos os tempos, companheiro ele foi e vai voltar a ser dos presidiários.Esse seu discurso de golpe e blá blá blá não convence mais, todos sabem quanto o LULA É LADRÃO.

    ResponderExcluir

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem. Ofensas pessoais, mensagens preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, ou ainda acusações levianas não serão aceitas. O objetivo do painel de comentários é promover o debate mais livre possível, respeitando o mínimo de bom senso e civilidade. O Redator-Chefe deste CORREIO poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

PAINEL DO LEITOR - COMENTÁRIOS RECENTES