"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

Prefeitura Municipal de Buriti

RESPLANDES TRANSPORTES - Viagens Diárias

RESPLANDES TRANSPORTES - Viagens Diárias

VENDE-SE UMA FAZENDA - CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS

ULTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...

BLOQUEIO - Presidente da CCJ na Câmara dos Deputados, Francischini (PSL) tem bens bloqueados


Justiça em Curitiba indisponibilizou mais de R$ 100 mil do deputado federal por uso irregular de verba de ressarcimento.
Felipe Francischini (PSL) é presidente da CCJC da Câmara que discute a PEC da Previdência / Agência Brasil
Do Brasil de Fato |

A 2ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba (PR) bloqueou R$ 103,2 mil do deputado federal Felipe Francischini (PSL), atual presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal. A decisão, publicada no dia 12 de abril, é baseada no uso irregular da verba de ressarcimento relativa à alimentação. 
O grupo Vigilantes da Gestão Pública, que promoveu a ação, faz análises das prestações do valor recebido por cada deputado estadual mensalmente, de R$ 31,5 mil. O argumento é que os deputados só poderiam pedir ressarcimento em relação a gastos com alimentação, quando estiverem em viagem, fora do local onde atuam. Como Francischini morava em Curitiba, não teria direito a essa valor.
Segundo informações da Gazeta do Povo, a juíza Bruna Greggio defendeu o bloqueio de bens na “existência de fortes indícios no desvio de finalidade na utilização do dinheiro público, com excessivo dano causado ao erário”. Já Francischini diz que a juíza foi induzida ao erro pelos proponentes da ação – que não menciona alterações nas normas internas da Assembleia Legislativa do Paraná. 
“O uso da verba de ressarcimento referente à alimentação está regulamentado e amparado de forma muita clara no ato da comissão executiva da Assembleia que, recentemente, deixou o texto ainda mais transparente. Percebe-se que houve um entendimento equivocado das redações internas da Assembleia que regulamenta o uso da verba que baseou a ação civil pública”, argumenta a defesa do parlamentar.

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

O comentário não representa a opinião do blog; a responsabilidade é do autor da mensagem. Ofensas pessoais, mensagens preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, ou ainda acusações levianas não serão aceitas. O objetivo do painel de comentários é promover o debate mais livre possível, respeitando o mínimo de bom senso e civilidade. O Redator-Chefe deste CORREIO poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.