"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

Faça sua aposta no Mix Best

terça-feira, 5 de julho de 2016

5

PREFEITO E SECRETÁRIO DE ADMINISTRAÇÃO DO MUNICÍPIO DE PAULO RAMOS/MA SÃO PRESOS EM OPERAÇÃO CONTRA CORRUPÇÃO

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


PREFEITO TANCLÊDO ARAÚJO É SUSPEITO DE DESVIO DE VERBAS PÚBLICAS NA CIDADE. OUTROS SEIS MANDADOS DE PRISÃO PREVENTIVA FORAM CUMPRIDOS MANHÃ DESTA TERÇA-FEIRA (5).



Prefeito Tancledo Araújo

Uma operação da Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor) do Maranhão prendeu sete pessoas na manhã desta terça-feira (5), entre elas o atual prefeito de Paulo Ramos (MA), Tanclêdo Lima Araújo, por suspeitas de desvio de verbas públicas. O município com pouco mais de 20 mil habitantes fica localizado a 400 km de distância de Buriti/MA, na Mesorregião Oeste Maranhense.
Os mandados de prisão preventiva foram expedidos pelo desembargador Raimundo Melo.
Foram presos na operação:
- Tanclêdo Lima Araújo, prefeito de Paulo Ramos, por suspeitas de desvio de verbas públicas;
- Joaquim Lima Araújo, secretário de Administração do município e irmão do prefeito;
- Moussa Esber Mansour, sócio proprietário da empresa J.S. e Silva, de fachada e que atuava no esquema fraudulento;
- George Esber Mansour, irmão de Moussa e sócio proprietário da mesma empresa;
- Geovana Carla Mansour, esposa de Moussa;
- Luiz Antônio Meireles Gomes, funcionário do empresário Eduardo José Barros Costa, o ‘Eduardo DP’, filho ex-prefeita de Dom Pedro (MA) e também suspeito por participação no esquema, proprietário da Rio Anil Locações.
 De acordo com o delegado Leonardo Bastian Fagundes, os suspeitos usavam licitações fraudadas de valores altos com objetivo de desviar verbas públicas. As empresas Rio Anil Locações e J.S. e Silva, que atuavam nos setores de construção civil e fornecimento de merenda escolar, possuíam apenas CNPJ, sem sede, e abertas inclusive em nomes de proprietários já falecidos, ou seja, ‘laranjas’.
 “Tanto o irmão quanto o prefeito assinaram vários cheques em nome da Prefeitura de Paulo Ramos e entregaram para o Gláucio Alencar, lá em 2012, quando começou a investigação”, disse o delegado.
Um dos contratos fraudados para fornecimento de merenda escolar chega a R$ 986 mil, mas a merenda nunca chegou às escolas da rede municipal.
Todos os suspeitos serão encaminhados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís.

*Do G1 MA
← Anterior Proxima → Página inicial

5 COMENTÁRIOS:

  1. Anônimo5/7/16 14:26

    E os secretários de administração, oos secretários de saúde e o secretário de educação com os funcionários que recebem bem acima do valor de Buriti, vão presos quando?

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Anônimo6/7/16 00:57

      Não é T. É C de CADEIA em vocês.

      Excluir
  3. Anônimo6/7/16 07:04

    Faltam os secretarios de buriti! Vai ser quando? ???

    ResponderExcluir
  4. É bom viver livre.7/7/16 11:32

    E aquele rapaz que colocou dinheiro na cueca, o filho do presidiário nenem Mourão maxixe muxo.

    ResponderExcluir

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online