"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

Buritiense na disputa de MMA Nacional

sábado, 18 de junho de 2016

0

PREFEITURA DE SANTA QUITÉRIA E DE OUTRAS CIDADES DO MARANHÃO DÃO CALOTE EM CONTA DE LUZ

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Em reportagem deste sábado (18) do JN, são citadas as prefeituras de Santa Quitéria, Araioses, Tutóia, Cedral e São João do Paraíso.  As cidades que não ficaram no escuro estão funcionando na base da liminar na justiça.
Prefeituras de várias cidades do Maranhão deram o calote na conta de luz. As que não ficaram no escuro estão funcionando na base da liminar na Justiça.
Em Santa Quitéria do Maranhão, a prefeitura, há dez meses, nem tem mais o relógio medidor. A energia chega por esse fio que vai dar neste gerador - improviso que funciona o dia inteiro. Um jeitinho que a prefeitura encontrou pra não ficar sem energia por causa da conta atrasada. A dívida está em mais de meio milhão de reais. O gasto mensal com o gerador passa de R$ 6 mil.
A Prefeitura e a Secretaria de Educação da cidade de Araioses, a 205 km daqui, também funcionam na base do gerador.
Em Tutóia, a 196 km de Buriti/MA, a prefeitura também teve a energia suspensa. Encontramos o chefe de gabinete atendendo no escuro.
O secretário adjunto de administração disse não estar muito preocupado com a situação. Com dívida que ultrapassa R$ 1 milhão, a prefeitura tem alugado prédios particulares para manter algumas secretarias funcionando. A de financias se instalou numa quitinete.
Em São João do Paraíso, a 738 km de Buriti/MA, pelo menos sete órgãos públicos se mudaram para imóveis particulares por causa da dívida com a energia, que está perto de R$ 2 milhões.
A prefeitura de Cedral, distante 565 km de Buriti/MA, passa o dia todo fechada. É que a energia está cortada há mais de um ano por falta de pagamento. O gabinete do prefeito foi improvisado em uma salinha ao lado, onde funcionava uma farmácia pública.
O lugar também está com a conta atrasada, mas a prefeitura conseguiu o religamento na Justiça, alegando que tem medicamentos armazenados.
A Secretaria de Saúde também ficou sem luz e se mudou para o laboratório da cidade, que só tem energia por conta da mesma liminar. E a Secretaria de Educação, sem energia, se mudou para uma escola.
Ao todo, o município deve R$ 8 milhões à companhia elétrica.
Para a empresa que distribui energia no Maranhão, o custo do calote acaba repassado para os outros consumidores.
"É um custo de gerar, transmitir e distribuir e operar esse sistema. Se há inadimplência compromete toda essa cadeia."
VEJA A REPORTAGEM DO JORNAL NACIONAL ABAIXO
*Informações do G1
← Anterior Proxima → Página inicial

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online