"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

Confraternização da Amib

Confraternização da Amib

sexta-feira, 4 de março de 2016

7

EX-MINISTRO DA JUSTIÇA DE FHC CONDENA ABUSO DE MORO

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Ao comentar a 24ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta sexta-feira 4, o ex-ministro da Justiça do governo de Fernando Henrique Cardoso, José Gregori, classificou a condução coercitiva contra o ex-presidente Lula como um exagero; “ O que parece é que esse juiz (Sergio Moro) queria era prender o Lula. Não teve a ousadia de fazê-lo e saiu pela tangente".
"Na nossa legislação, a figura da condução coercitiva sem que tenha havido antes a convocação", disse ele.
O ex-ministro da Justiça e secretário de Direitos Humanos durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, José Gregori, classificou como um "exagero" a condução coercitiva contra o ex-presidente Lula, cumprida nesta sexta-feira durante a 24ª fase da Operação Lava Jato.
"Você (fazer) logo a condução coercitiva é um exagero. O que parece é que esse juiz (Sergio Moro) queria era prender o Lula. Não teve a ousadia de fazê-lo e saiu pela tangente", declarou à BBC Brasil. Ele acrescentou desconhecer, "na nossa legislação, a figura da condução coercitiva sem que tenha havido antes a convocação".
Outro integrante do governo FHC, Walter Maierovitch, ex-secretário Nacional Antidrogas, também se manifestou contra o mandado de condução coercitiva. Maierovitch viu "desvio de legalidade" na decisão do juiz Sergio Moro.
"Acho que buscas e apreensões são atividades normais em investigação. Agora, o que eu estranho, como jurista, é a condução coercitiva do Lula. É algo surpreendente e preocupante", comentou. "Essa vergonha está acontecendo no país é uma coisa que precisa ser apurada, mas me preocupa quando tem um desvio de legalidade", completou.

*BRASIL 247 
← Anterior Proxima → Página inicial

7 COMENTÁRIOS:

  1. Anônimo4/3/16 22:15

    Hoje Lula foi a pessoa de quem mais se comentou no mundo, ou seja, quem pensou q ele fosse se dá tão mal, quebrou a cara, só acenderam a vontade da maioria da população apoiá-lo.Para quem estava ausentes da mídia está virando popular. Todos sabem q por trás, além da "GLOBO E MERDA TUDO HAVER" estão as elites querem o poder.

    ResponderExcluir
  2. SR.REDATOR COLOQUE AS NOTICIAS POR COMPLETO,NÃO COLOQUE AS NOTICIAS DISTORCIDAS!
    CADE A PARTE POR EXEMPLO EM QUE MANIFESTANTES (BANDIDOS) A FAVOR DESSE PILANTRA(LULA)AGREDIRAM REPORTES, QUE ESTAVAM LÁ TRABALHANDO.
    VAMOS SER MAIS IMPARCIAL .

    ResponderExcluir
  3. Anônimo7/3/16 15:59

    Na manhã desta sexta-feira, após ser anunciado que Lula havia sido levado por policiais para depor no aeroporto de Congonhas, o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, chegou a se valorizar quase 6%.

    O índice fechou o dia com alta de 4,01%. E na quinta-feira já havia subido 5,12% com as notícias de que o vazamento de uma suposta delação premiada do senador Delcídio Amaral (PT) implicaria Lula e a presidente Dilma Rousseff no escândalo da Petrobras.

    Na semana, a alta acumulada foi de 18% - a melhor desde 2008.

    Entre as ações que mais subiram estão as da Petrobras. Em São Paulo, os papéis da empresa fecharam o dia com valorização de 9,89%.

    O dólar também despencou frente ao real, chegando a ser negociado a R$ 3,65. A moeda americana fechou o dia a R$ 3,76. E na semana, o recuo foi de 5,93%, a maior queda em sete anos.

    Mas afinal por que o mercado está tão "animado" com a operação contra Lula?

    "A questão é que, apesar de até agora não haver evidências de participação pessoal da presidente (Dilma Rousseff) nos malfeitos (investigados pela Lava Jato), essas notícias estão minando a base de sustentação política do governo", explica Francisco Petros, ex-presidente da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimentos do Mercado de Capitais (Apimec) e sócio do escritório Fernandes, Figueiredo, Françoso e Petros Advogados.

    "O mercado está interpretando que, diante desse novo cenário, é mais provável que Dilma não termine seu mandato, o que, na sua avaliação, criaria condições para uma retomada da economia."

    ResponderExcluir
  4. Anônimo7/3/16 19:47

    Uma Economia q deixa o pobre mais pobre e o rico mais rico. Esse bando de corruptos querem o poder pq está difícil eles levarem um pouco p eles nesse mandato. O AÉCIO é um dos piores corruptos e hoje está c os processos engavetados, hoje ele é um inocente, deixa ele ganhar um dia o poder, aí o Brasil vai ver miséria, ou mesmo qualquer uma dessas raposas q estão doidos pelo poder.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ESSA É A PROVA ANONIMO, QUE ESSA INVESTIGAÇÃO DA LAVA JATO É PARTIDÁRIA, E AINDA VEM O SERGIO MORO DIZER QUE NÃO TEM LIGAÇÃO COM NENHUM PARTIDO POLITICO,CONVERSA PRA BOI DORMIR. POR QUER ELE NÃO INVESTIGOU AS DENUNCIAS CONTRA FERNANDO HENRIQUE CARDOSO E ESSE TAL DE AÉCIO MERDA. NÃO CONSIGO ENGOLIR ESSA. MAS NÃO ENGULO MESMO.

      Excluir
  5. Anônimo9/3/16 15:07

    A crise que hoje está assustando o Brasil, foi criada no mandato de Lula agora ele quer ser inocente

    ResponderExcluir
  6. Anônimo9/3/16 17:53

    Se a bolsa subiu e o dólar caiu isso nada mais é que especuladores.
    Querem ganhar dinheiro fácil como faziam na época do governo tucano.

    ResponderExcluir

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online