"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

Confraternização da Amib

Confraternização da Amib

sexta-feira, 11 de março de 2016

1

BOM DIA BRASIL MOSTRA VÍDEO DE ALUNO RECLAMANDO DE ESCOLA NO MARANHÃO

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


“Falta banheiro, merenda, água potável. Uma boa escola", disse Taylan Maia, de 9 anos, insatisfeito com situação de escola.
A precariedade das escolas no Maranhão é um problema recorrente e gera reclamações de pais e professores. Mas chamou atenção o vídeo de um aluno de apenas 9 anos reclamando da falta de infraestrutura na escola onde estuda. Ele fala que, no prédio, não tem filtro, banheiro ou merenda escolar. O vídeo ganhou repercussão no Bom Dia Brasil.
O pequeno Taylan Maia, de 9 anos, se mostrou visivelmente insatisfeito com a situação da escola. Ele declarou que, na verdade, o que falta é uma escola boa, de qualidade. “Falta banheiro, merenda, água potável, uma boa escola. [Faltam] Séries divididas em salas, porque tem salas que é o 5º ano misturado com o 1º. O 3º com o 4º”, lamenta.
O professor Gilberto Alves reiterou as reclamações do aluno e acrescentou que é dificultoso ter que programar conteúdos, pois em uma mesma sala têm alunos de diferentes séries. “Nós trabalhamos com conhecimento seriado, mas as idades são diferentes, as séries são diferentes. Nós temos que dividir conteúdos para trabalhar ao mesmo tempo com esses alunos, todos em uma sala só”, contou.
VEJA O VÍDEO ABAIXO
A escola do menino Taylan funciona em um casebre de palha, com o chão de terra batida, sem banheiros, sem local para colocar livros e que sofre com a falta de merenda escolar. Os pais chegam a afirmar que preferem que a merenda não chegue, pois os filhos já reclamaram de dores no estômago após consumirem a comida oferecida na escola.
“Um mingau velho, doce, que eles comem. Eles sentem dor de barriga. Aí chegam lá em casa dizendo ‘mãe, não vou mais beber aquela merenda velha não porque minha barriga faz muito é doer’”, relatou Raimunda Rodrigues, mãe de um aluno.
A escola em questão não é a única que sofre com esses problemas no interior do Maranhão. Na cidade de Peritoró, a 236 km de São Luís, outros quatro barracos de palha que abrigam escolas foram encontrados. Os problemas se repetem nestas escolas.
O prefeito de Peritoró e ex-padre Josias Lima, foi procurador pela reportagem da TV Mirante, mas não foi encontrado. O secretário de Educação do Município, Jhonadson Delgado, propôs uma solução para os problemas dos pais, professores e do próprio menino Taylan. “Transportar essas crianças para outra escola, para não atrapalhar ano letivo de 2016”, afirmou.
*Do G1 MA


← Anterior Proxima → Página inicial

1 COMENTÁRIOS:

  1. Isso já é uma realidade bem antiga!É lamentável

    ResponderExcluir

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online