"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

domingo, 13 de dezembro de 2015

1

Em várias cidades grupos fazem manifestação a favor do impeachment

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Movimentos que defendem o impeachment de Dilma Rousseff foram às ruas neste domingo (13) em ao menos 100 cidades do país para pedir a saída da presidente. Além de São Paulo, a manifestação aconteceu em 19 Estados e no Distrito Federal.
Em Maceió quase 300 pessoas, segundo os organizadores do Movimento Brasil Livre, se organizaram na orla da capital alagoana, em frente ao antigo Alagoinhas, na praia de Ponta Verde. 
Os manifestantes usaram camisas em verde e amarelo e faixas pedindo o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Bonecos infláveis do “Pixuleco” foram distribuídos aos participantes. Membros do Movimento Brasil Livre recolheram assinaturas para apoiar o Projeto de Lei de Iniciativa Popular "10 Medidas contra a corrupção”.
Em Porto Alegre, cerca de 150 pessoas participaram de um protesto pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff, no Parque Farroupilha, na área central da cidade. A estimativa é da Polícia Militar.
No Rio, apesar do forte calor deste domingo (13), manifestantes se reuniram na praia de Copacabana, levando faixas e cartazes contra o governo da presidente Dilma Rousseff. Segundo os organizadores, 60 mil pessoas e três carros de som, participaram da manifestação. Um manifestante chegou a dizer que "o público não chegou a ser de um Vasco e Flamengo, mas de um Botafogo e América", comparando a partidas de futebol e se referindo ao reduzido número de pessoas na orla. Com previsão de temperatura máxima de 37ºC, ambulantes aproveitaram o movimento para vender bandeiras do Brasil, que custavam entre R$ 5 e R$ 10. No início do protesto, houve uma confusão entre um grupo de skatistas e os manifestantes. A polícia chegou a lançar uma bomba de efeito moral para afastar os grupos. 
Em São Paulo, a maior parte dos manifestantes já deixou a Avenida Paulista. Uma faixa que pede o impeachment da presidente foi estendida na Avenida Paulista. Sete carros de som foram espalhados ao longo da via. Os manifestantes também levaram um pato inflável gigante, símbolo da campanha contra a criação de novos impostos, como a volta da CPMF. O boneco é símbolo da campanha Não Vou Pagar o Pato. 
Com enterro simbólico do PT no gramado em frente ao Congresso Nacional, milhares de pessoas, vestidas de verde e amarelo, encerraram a manifestação pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff, em Brasília. O ato, que começou por volta das 11h, na Esplanada dos Ministérios, pediu ainda o fim da corrupção e a cassação do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O protesto terminou por volta das 13h.
Minutos antes do enterro simbólico, os manifestantes rezaram um Pai-Nosso, cantaram o Hino Nacional e leram em conjunto mensagens direcionadas a parlamentares e a Dilma. “Chegou a hora de provar de que lado vocês estão. Tenham coragem de fazer a vontade de seus eleitores. Votem sim, pelo pedido de impeachment, dizia parte do texto dirigido aos parlamentares.
O ato na capital federal fechou as vias da Esplanada dos Ministérios e reuniu de 5 mil a 6 mil pessoas, de acordo com a Polícia Militar (PM), e 30 mil, segundo os organizadores. Os manifestantes seguiram do museu da República até o Congresso Nacional, com faixas contrárias à política fiscal e também a favor da cassação de Cunha. Havia ainda bonecos infláveis do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidenta Dilma, representada com um nariz igual ao do personagem Pinóquio.
Em Salvador, cerca de 500 pessoas se concentraram no Farol da Barra pedindo a saída da presidente Dilma. Num trio elétrico, lideranças do movimento fizeram discurso pró-impeachment.
Em Belo Horizonte, a manifestação também já terminou. Os organizadores dizem que seis mil pessoas foram às ruas pedir a saída da presidente Dilma. A polícia militar diz que esse número não passou de três mil. O protesto terminou com a execução do hino nacional.
Em Belém, os organizadores estimam que 1200 pessoas seguiram em passeata da região central até a periferia. Ouve bate-boca entre os manifestantes e cerca de 100 integrantes da CUT. A polícia conseguiu afastar os representantes sindicais da manifestação que pede o impeachment da presidente Dilma.
Em Curitiba a polícia militar estima que sete mil pessoas participaram da manifestação pró-impeachment, vestidos de verde e amarelo, com faixas e cartazes. Os organizadores afirmam que 30 mil participaram da quinta manifestação em favor do impedimento de Dilma, este ano.
Em São José dos Campos, no interior de São Paulo, o protesto acabou por volta das 16h30. Os manifestantes aumentaram para 700 a estimativa de participantes. A Polícia Militar afirma que foram cerca de 500 pessoas.

Em Aracaju, os manifestantes se reúnem no Mirante do Bairro 13 de Julho, na Av. Beira Mar. Segundo os organizadores, 50 pessoas já estão no local. Já a Polícia Militar diz que não é possível contabilizar o número porque as pessoas estão dispersadas.
← Anterior Proxima → Página inicial

1 COMENTÁRIOS:

  1. Sinceramente ñ creio q ela possa sair isso tdo e uma perda de tempo!!!Talvez seria ultil,,protestar por mais saude ,segurança,educaçao i exigir a reduçao de ministerios,reduzir ou acabar com regalias q tds eles tem ,etc..!!!!Nao podemos esquecer q ela ñ é a unica responsavél desse caos q o brasil esta hoje.Ha ñ sou d lado A ou B ou C,só acho q tem mais gente q tbem precisaria sair.

    ResponderExcluir

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online