"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

Conferência de Mulheres da Assembleia de Deus em Buriti-MA

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

domingo, 8 de novembro de 2015

1

CANDIDATA É IMPEDIDA DE ASSUMIR CARGO POR SER CAPACITADA DEMAIS

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


A determinação foi derrubada por uma decisão do TRF-2
*Publicado em www.jusbrasil.com.br

Candidato aprovado em concurso público que possui grau de conhecimento mais elevado que o exigido no edital traz benefícios à administração pública.
Assim entendeu, de maneira unânime, a 5ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (ES e RJ) ao permitir que uma graduada em química assuma cargo público que exige curso técnico. No caso, a autora da ação foi aprovada no concurso para Técnico em Química do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes). Porém, no momento da nomeação, ela foi impedida de assumir a vaga porque apresentou o diploma de graduação em Química, e não certificado de curso técnico. Segundo o Ifes, o diploma universitário não atenderia às exigências do edital.
Ao analisar o caso, o relator do processo no TRF-2, desembargador federal Marcus Abraham, citou jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça e dos tribunais regionais federais.
O entendimento das cortes é que a admissão de um candidato detentor de conhecimento em grau mais elevado que o exigido no edital traz benefícios à administração pública, que terá um servidor mais qualificado em seus quadros. “Fere o princípio da razoabilidade impedir o prosseguimento no concurso público de candidato que possui qualificação superior à exigida pelo edital, na mesma área de atuação”, destacou o desembargador.
Ele ressaltou ainda que, segundo a Resolução Normativa 36 do Conselho Regional de Química, técnicos e químicos possuem funções em comum. Para o relator, se o curso de graduação abrange os conhecimentos exigidos no edital, não configura prejuízos ao concurso. “O edital, ao prever as qualificações para determinado cargo a ser preenchido, enumera requisitos mínimos que o candidato deve deter para o exercício salutar das suas funções, sem prejuízo à administração.”
“Dessa forma, se a candidata apresenta qualificação superior à disposta na norma do concurso, não há que se falar em prejuízo ou mesmo afronta à legalidade do certame”, concluiu o relator.
Estar preparada é sempre muito importante, ocorre que muitas vezes você está preparado, mas ainda assim não consegue a aprovação? Porque isso acontece? É simples, talvez o que falta em você é planejamento e uma boa estratégia de ação nos seus estudos.
Por este motivo, o Defensor Público Gerson Aragão está disponibilizando gratuitamente o seu livro de técnicas e estratégias para concursos. Com essas técnicas, Gerson foi aprovado em vários concursos, como Analista do MP, OAB, Técnico e Defensoria. Clique aqui para baixar agora o livro.
Coruja Concurseira- Dicas motivacionais para concurseiros e examinandos da OAB, ideias de planejamento, estratégias de estudos, e tudo mais que for relacionado a vida de um maluco como eu que não se cansa na primeira aprovação.
← Anterior Proxima → Página inicial

1 COMENTÁRIOS:

  1. tudo buriti podem buriti realmente como dis os 31 da ate para bezerro caruado querer vim do inferno mandar em buriti so o que me faltava niguem merese

    ResponderExcluir

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online