"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

Buritiense na disputa de MMA Nacional

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

Faça sua aposta no Mix Best

domingo, 8 de novembro de 2015

1

CANDIDATA É IMPEDIDA DE ASSUMIR CARGO POR SER CAPACITADA DEMAIS

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


A determinação foi derrubada por uma decisão do TRF-2
*Publicado em www.jusbrasil.com.br

Candidato aprovado em concurso público que possui grau de conhecimento mais elevado que o exigido no edital traz benefícios à administração pública.
Assim entendeu, de maneira unânime, a 5ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (ES e RJ) ao permitir que uma graduada em química assuma cargo público que exige curso técnico. No caso, a autora da ação foi aprovada no concurso para Técnico em Química do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes). Porém, no momento da nomeação, ela foi impedida de assumir a vaga porque apresentou o diploma de graduação em Química, e não certificado de curso técnico. Segundo o Ifes, o diploma universitário não atenderia às exigências do edital.
Ao analisar o caso, o relator do processo no TRF-2, desembargador federal Marcus Abraham, citou jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça e dos tribunais regionais federais.
O entendimento das cortes é que a admissão de um candidato detentor de conhecimento em grau mais elevado que o exigido no edital traz benefícios à administração pública, que terá um servidor mais qualificado em seus quadros. “Fere o princípio da razoabilidade impedir o prosseguimento no concurso público de candidato que possui qualificação superior à exigida pelo edital, na mesma área de atuação”, destacou o desembargador.
Ele ressaltou ainda que, segundo a Resolução Normativa 36 do Conselho Regional de Química, técnicos e químicos possuem funções em comum. Para o relator, se o curso de graduação abrange os conhecimentos exigidos no edital, não configura prejuízos ao concurso. “O edital, ao prever as qualificações para determinado cargo a ser preenchido, enumera requisitos mínimos que o candidato deve deter para o exercício salutar das suas funções, sem prejuízo à administração.”
“Dessa forma, se a candidata apresenta qualificação superior à disposta na norma do concurso, não há que se falar em prejuízo ou mesmo afronta à legalidade do certame”, concluiu o relator.
Estar preparada é sempre muito importante, ocorre que muitas vezes você está preparado, mas ainda assim não consegue a aprovação? Porque isso acontece? É simples, talvez o que falta em você é planejamento e uma boa estratégia de ação nos seus estudos.
Por este motivo, o Defensor Público Gerson Aragão está disponibilizando gratuitamente o seu livro de técnicas e estratégias para concursos. Com essas técnicas, Gerson foi aprovado em vários concursos, como Analista do MP, OAB, Técnico e Defensoria. Clique aqui para baixar agora o livro.
Coruja Concurseira- Dicas motivacionais para concurseiros e examinandos da OAB, ideias de planejamento, estratégias de estudos, e tudo mais que for relacionado a vida de um maluco como eu que não se cansa na primeira aprovação.
← Anterior Proxima → Página inicial

1 COMENTÁRIOS:

  1. tudo buriti podem buriti realmente como dis os 31 da ate para bezerro caruado querer vim do inferno mandar em buriti so o que me faltava niguem merese

    ResponderExcluir

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online