"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

Conferência de Mulheres da Assembleia de Deus em Buriti-MA

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

Charles Crispim na Balada Fight - Edição Tatto

sábado, 12 de setembro de 2015

10

COMITÊ DA BACIA HIROGRÁFICA (CBH) DO RIO MUNIM FARÁ SUA PRIMEIRA ASSEMBLEIA ORDINÁRIO EM BURITI/MA PRÓXIMO SEXTA (18/9)

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Entre as pautas está a criação de reservas nas nascentes do Rio Preto e Riacho Estrela, em Buriti
O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Munim, criada pela Lei 9.566/13 de 21 de novembro de 2013, convoca o Poder Público, Usuários de Água e Sociedade Civil para sua primeira Assembleia Geral Ordinária que acontecerá em Buriti (MA), na próxima sexta-feira (18/9), no Centro de Apoio Pedagógico Professora Bernadete Cunha (CAP), localizado na Avenida Cel. Júnior Lago, s/n, Centro, a partir das 9h.
 Entre as pautas a serem discutidas na reunião estão:
Ø Eleição de membros efetivos e suplentes;
Ø A apresentação do Plano Estratégico da Bacia Hidrográfica do Rio Munim;
Ø Inventário dos eventos comemorativos e/ou técnicos e políticos, constantes no calendário dos 27 municípios do território da Bacia;
Ø Levantamento da exploração mineral (areia e cascalho)
Ø Proposta de criação da Câmara Técnica de Articulação Institucional, Comunicação Social e Educação Ambiental;
Ø Proposta de criação de “Reservas Estadual Ambiental e Biológica” nas nascentes do Rio Preto e Riacho Estrela (Buriti); entre outras.
Esta assembleia será coordenada, também, pela primeira Diretoria do CBH do Rio Munim, eleita e empossada no dia 6 de novembro de 2014. O escritório do CBH do Rio Munim foi instalado, em abril deste ano, no município de Chapadinha/MA, na Rua Sebastião Almeida, nº 806, Centro.

Características Da Bacia Hidrográfica Do Rio Munim

As bacias hidrográficas são divisões naturais das águas feitas pela natureza. Nesses acidentes naturais vivem animais, plantas e pessoas que dependem de suas águas para o suprimento de suas necessidades. As bacias são subdividas em sub-bacias e microbacias. O relevo é responsável pela divisão territorial de cada bacia, formada por um rio principal e seus afluentes.
A Bacia Hidrográfica do Rio Munim possui uma área de 15.918,04 km², correspondendo a 4,79% da área do Estado. Esta bacia localiza-se na porção extremo-leste do Maranhão. O rio Munim, curso principal desta bacia, nasce em Aldeias Altas e deságua na baía de São José, entre Axixá e Icatu, região do Golfão Maranhense, após percorrer aproximadamente 320 km. Suas nascentes estão situadas nos Tabuleiros da Formação Barreiras, a Nordeste do município de Caxias. A bacia tem como principais afluentes os rios Iguará, Paulica, riacho Mocambo, riacho Raiz, riacho da Cruz e riacho São Gonçalo pela margem esquerda e, pela margem direita, os rios Preto, riacho Pirangi, Una e riacho da Mata.
Fazem parte desta bacia 27 municípios onde, destes, 15 possuem sedes localizadas dentro dela, e apenas 7 municípios estão totalmente inseridos na bacia do Munim.
Os municípios mais populosos são: Chapadinha, Mata Roma, São Benedito do Rio Preto, Urbano Santos e Vargem Grande.
Esta bacia possui população total de 320.001 habitantes, representando 4,9% da população do Maranhão. Desse total 164.908 (51,5%) representam a população urbana, enquanto que os demais, 155.093 (48,5%) formam a população rural da bacia. Com essas características, a densidade demográfica fica em torno de 20,10 hab./km2, um pouco acima da densidade do estado (IBGE, 2010).
Nas áreas do alto e baixo Munim quatro tipos de vegetação são mais frequentes: o cerrado, o cerradão, o babaçual e as matas ciliares. Nas áreas de estuários o encontro das águas do mar e do rio favorece o aparecimento dos manguezais.

(Informações e dados da SEMA - Secretaria Estadual do Meio Ambiente)
← Anterior Proxima → Página inicial

10 COMENTÁRIOS:

  1. Agora é oficial: Lula é suspeito de envolvimento do Petrolão. A Polícia Federal pediu autorização ao STF para ouvir Lula no inquérito que investiga políticos na operação Lava Jato.Polícia Federal pediu autorização ao STF para ouvir Lula no inquérito que investiga políticos na operação Lava Jato. A solicitação foi feita por um delegado de Brasília. “A presente investigação não pode se furtar de trazer à luz da apuração dos fatos a pessoa do então presidente da República, LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA que, na condição de mandatário máximo do país, pode ter sido beneficiado pela esquema em curso na PETROBRAS, obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para seu governo“, diz o documento assinado por Josélio Sousa.

    ResponderExcluir
  2. Instituto de Lula faturou milhões com empresa do Petrolão. Instituto Lula recebeu ao menos três pagamentos que totalizam R$ 3 milhões da Camargo Corrêa.O Estadão trouxe hoje com exclusividade uma informação sobre as investigações da Lava Jato que pode, pela primeira vez, levar Lula ao banco dos réus no caso do Petrolão.

    ResponderExcluir
  3. Governo fraco e trapalhão. Desde já, pedindo desculpas à memória do maravilhoso grupo cômico. A intenção não é ofendê-los. Esses eram os bons Trapalhões! Dilma Rousseff não é apenas incompetente, mas também atrapalhada. É nítido que ela não tem a menor ideia do que faz ou deixa de fazer, assim como muitas vezes também não sabe o que está falando – alguns discursos recentes, por exemplo, já entraram para o folclore universal do surrealismo.

    ResponderExcluir
  4. Quanto aos atos, segue breve histórico:
    O início: “Manifestações de Junho”
    Até 2013, ainda havia uma imagem (falsa, claro) da “gestora competente”, ou algo assim. A imprensa, sempre tão xingada pelos petistas, era pra lá de boazinha com a Presidente da República. Até que vieram as manifestações e, depois de dias e dias em silêncio, a soberana se manifesta. Em pronunciamento oficial, faz uma lista de ações, que tinha uma “esperteza”: todas elas estavam muito dissociadas do que se pedia nas ruas, eram tão-somente agenda petista. Claro, ela voltou atrás em pouco tempo e NADA daquilo foi sequer cogitado a sério. Ninguém queria aquilo, exceto o partido do poder.
    Depois da reação patética ao movimento de junho de 2013, houve inúmeras cabeçadas, erros, equívocos, “voltas atrás” e afins. Mais recentemente (seria impossível citar tudo), dois casos chamaram atenção de todos, espantando até os poucos que ainda acreditavam num mínimo de articulação ou competência da atrapalhada líder. Vejamos.
    CPMF
    De repente, vem o papinho da volta da CPMF. Conversa aqui, conversa ali, propagandas do Mais Médicos cada vez mais presentes, até mesmo Lula falando sobre o imposto. O governo só se esqueceu de combinar com os aliados, pois lançou a ideia talvez achando que algum CLAMOR POPULAR fizesse com que todos se sentissem forçados a votar pela volta da tal contribuição.
    Claro que não houve clamor algum, já que ninguém gosta de imposto. Ao contrário, a sociedade reagiu de forma contrária, forçando a base aliada (que nem mesmo foi consultada sobre) a vetar a pauta antes mesmo de nascer. O governo conseguiu perder de lavada até mesmo uma partida que na prática não houve.
    Decreto das Nomeações Militares
    De repente, surge a notícia de um decreto presidencial que tiraria poderes dos militares, atribuindo ao Ministro da Defesa prerrogativa de nomeações que até então era dos comandantes das Forças Armadas. As reações contrárias foram contundentes e, assim como surgiu, a medida se foi.
    Na confusão, surge o nome de Eva Maria Cella Dal Chiavon, secretária do Ministério da Defesa e há anos ligada a Jacques Wagner, que também é esposa do “número dois” do MST, Francisco Chiavon (o Chicão). Segundo se divulga, foi ela que deu seguimento ao Decreto de maneira abrupta.
    Enfim
    O governo Dilma, antes de tudo, está fraco. Muito fraco. Desde 2013, vem perdendo força política e capacidade de articulação. A coisa chegou ao ponto de recuar antes mesmo da decisão efetiva ou voltar atrás poucas horas depois de um DECRETO ser assinado.
    Para piorar, transformando a situação dramática em tragicômica, eles são trapalhões. E com todo respeito aos que já foram dignos do termo em todo seu valor positivo: Didi, Dedé, Mussum e Zacarias.

    ResponderExcluir
  5. Leia Mais:http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,movimento-da-camara-lanca-site-pro-impeachment,1759730
    Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
    Siga @Estadao no Twitter

    ResponderExcluir
  6. Assinem a petição pelo impeachment de Dilma Rousseff
    Ela será usada por um grupo suprapartidário de parlamentares para estimular os demais deputados a votarem o impeachment de Dilma Rousseff. Ela será usada por um grupo suprapartidário de parlamentares para estimular os demais deputados a votarem o impeachment de Dilma Rousseff. Os motivos alegados são 4: as pedaladas fiscais, o abuso econômico, o dinheiro ilícito na campanha e a crise de governabilidade. Para tanto, basta visitar o site da campanha, ler a argumentação apresentada e assinar a petição: http://www.proimpeachment.com.br

    ResponderExcluir
  7. Maioria dos brasileiros já é favorável ao impeachment de Dilma Rousseff
    Três em cada 5 brasileiros já concordam que Dilma deveria deixar a presidência do Brasil a exemplo de Collor em 1992. Quatro em cada 5 brasileiros reprovam sua atuação como presidente.
    Pesquisa CNT/MDA divulgada na tarde de hoje traz um importante dado para a crise política vivida no Brasil: o número de brasileiros favoráveis ao impeachment de Dilma Roussef já é maioria. Realizada entre os dias 16 e 19 de março, portanto, após os protestos do dia 15, o levantamento aponta que 59,7% dos entrevistados concordam que o a chefe do executivo deveria ser legalmente impedida de seguir comandando o país. Mais ainda: que 77,7% não aprova seu desempenho.

    Há mais alguns dados levantados resumindo bem a situação atual. Se o segundo turno fosse hoje, 55,7% dos entrevistados dizem que votariam no candidato da oposição, Aécio Neves, contra apenas 16,6% que repetiriam o voto depositado em favor de Dilma Roussef. Em votos válidos, isso representa uma surra de 77% a 23% para o candidato tucano. Para cada brasileiro que pensa que com Aécio “estaria pior” (17,4%), ao menos dois brasileiros acreditam que com ele estaria melhor (38%).
    Preocupa, no entanto, a falta de fé do brasileiro na justiça. Para 65,7% das respostas, ninguém será punido ao final de todo esse processo de investigação na Petrobras. Talvez resida aí parte da explicação para o fato de 40,3% dos brasileiros ainda negarem apoio à abertura de um processo de impeachment aos moldes do que derrubou Collor em 1992.
    Crise hídrica x Crise energética
    Por mais que a mídia bata muito mais na primeira tecla, os brasileiros, de uma forma geral, se mostram mais preocupados com a segunda. Enquanto 53,7% assumem já ter tomado alguma atitude para economizar o consumo de água, nada menos que 59,7% dizem ter feito algo semelhante pela economia de energia. A diferença, no entanto, deve refletir a abrangência de cada drama. Enquanto a seca se concentrou no sudeste brasileiro, o rigoroso ajuste recente nas contas de energia abrangeu toda a nação.
    É preciso saber separar o que é verdade do que é versão. Durante a campanha, o PT vendeu ao brasileiro uma enorme e vergonhosa mentira. Quando o ditado diz que esta tem perna curta, tenta explicar que versões que se distanciam dos fatos não se sustentam por muito tempo. No caso, o trabalho do marketing petista não chegou inteiro ao final do terceiro mês. E o brasileiro quer atitudes, mesmo que drásticas, como um complexo pedido de impeachment de Dilma Rousseff.
    Cabe ao cidadão mais ativo, justamente o que se dispõe a participar de protestos em casa ou nas ruas, cobrar agora essas atitudes, seja dos demais poderes, seja da oposição. Apoio popular, os números apontam, já há. Uma parcela de especialistas já enxerga uma meia dúzia de caminhos jurídicos para que se chegue ao resultado desejado. Falta vontade, ou até mesmo coragem, política. Que ela venha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TU NÃO TEM O QUE FAZER NÃO ANONIMO RECALCADO, EM USAR QUASE TODO ESPAÇO DESSE BLOG POSTANDO TUAS DORES DE COTOVELO, VC DEVE SER PARTIDÁRIO DESSES PERSEGUIDORES DO (PSDB), QUE ESTÃO COM MEDO DO LULA EM 2018. ESSA ROUBALHEIRA DA PETROBRAS VEM DESDE GOVERNO FERNANDO HENRIQUE. SE EU FOSSE A DILMA JÁ TINHA FEITO COM ESSE AÉCIO NEVE IGUAL O GOVERNO DA VENEZUELA FEZ COM SEU OPOSITOR, O GOVERNO DO PT MELHOROU A VIDA DE MILHARES DE BRASILEIROS, INCLUSIVE A SUA,

      Excluir
  8. VOTEI SIM NO PSDB E VOTO EM QUALQUER PARTIDO DE OPOSIÇÃO AO GOVERNO DE QUADRILHEIROS. O FATO DESSA CORRUPÇÃO NA PETROBRAS TER COMEÇADO NO GOVERNO DO FHC, IF, FCM, JS, JBF OU QUALQUER UM OUTRO NÃO ISENTA OS GOVERNOS DO LULA E DA DILMA DA RESPONSABILIDADE E MAIS AINDA ELES DEVERIAM, POR OBRIGAÇÃO, ABRIR INQUÉRITOS, CPI´S PARA APURAR, TIVERAM 12 ANOS E NÃO FIZERAM POR QUE? OPTARAM POR COPIAR E/OU TURBINAR OS ESQUEMAS DE FRAUDE DISSEMINANDO POR TODOS OS ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS. QUANTO A "MELHORAR A VIDA DE MILHARES" EU NÃO CONCORDO MUITO, ESSE ATO DE TIRAR DE QUEM TEM PARA DISTRIBUIR PRA QUEM NÃO TEM SÓ FUNCIONOU NA ÉPOCA DE ROBIM WOOD , ESSA COMPRA, DESCARADA DE VOTOS TEM DADO PREJUÍZOS A QUEM TRABALHA TODOS OS DIAS E VIDA BOA A MUITOS QUE NÃO QUEREM TRABALHAR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EU SABIA QUE ESSAS CRITICAS AO GOVERNOS DE LULA E DILMA, SÓ PODERIA SER DE UM TUCANO, QUE COMO O DERROTADO DE BURITI-MA, QUER CHEGAR AO PODER SEM TER SIDO ELEITO. PRA MIM ISSO É UMA VERGONHA PARA UM POLITICO. EM RELAÇÃO A INQUÉRITOS, CPI`S, ACHO QUE ESTAR ACONTECENDO,OU SERÁ QUE ESTOU ENGANADO. DO GOVERNO LULA PRA CÁ, TODA SUJEIRA QUE FHC JOGOU PRA DEBAIXO DO TAPETE, ESTAR SENDO VARRIDO. ESPERO QUE O JUIZ SERGIO MORO, NÃO FIXE SEU OLHAR SÓ PRA FRENTE, OLHE TAMBÉM PRA TRAZ.

      Excluir

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online