"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

COMPRE JÁ

COMPRE JÁ

Confraternização da Amib

Confraternização da Amib

terça-feira, 7 de maio de 2013

0

HOMEM QUE MATOU A COMPANHEIRA COM 7 FACADAS SERÁ JULGADO PRÓXIMO DIA 15 DE MAIO EM BURITI-MA.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Crime ocorreu em agosto de 2011 e chocou população de Chapadinha-MA

*Com informações do Blog do William Fernandes

Antonio Brás, o "Peixeiro" que cometeu o crime na zona rural de Buriti/MA, após atrair a companheira a uma emboscada, sentará no banco dos réus, em Buriti, no próximo dia 15 de maio ele onde será levado a júri popular.
Em entrevista exclusiva concedida ao blog do William Fernandes, mesmo depois de matar a companheira com sete facadas, Antonio disse que não estava arrependido.
Veja a entrevista

ENTENDA O CASO

A vítima Ana Célia, conhecida por "Pixuna", que além de empregada doméstica, trabalhava orientando pessoas para requerer o auxílio maternidade, havia viajado na manhã do crime, 24 de agosto de 2011, para fazer cobranças na cidade de Santa Quitéria. Na volta, ela conversara por telefone com o companheiro, que também tinha viajado para aquela região e combinaram de se encontrar no povoado São João dos Pilões, em frente a uma escola.
Ela andava de van e desceu no local combinado. De lá, ela foi levada ao povoado Baixinha (próximo ao Quebra-Coco, em Buriti-MA) local onde o corpo foi encontrado e, posteriormente, levado ao hospital municipal de Anapurus. Ela teve os braços e pernas quebrados e ainda recebeu sete facadas. Com ela foram encontrados R$ 694,00.
Antonio Lopes, primo da vítima, foi a Anapurus, acompanhado do autor do crime, que até então, não levantava suspeitas. Só à noite, é que Antonio Braz passou a ter um comportamento estranho e todos começaram a desconfiar de que ele teve participação na morte de Ana Célia.
Os policiais do serviço de inteligência da PM de Chapadinha foram ao velório e levaram Antonio Braz à 3ª DP para dar esclarecimentos. Uma filha de Ana Célia (de outro relacionamento) também foi à delegacia. Baseado em informações da garota, Braz acabou revelando a autoria do crime, dizendo ter sido por ciúmes e por não aceitar o fim do relacionamento de quase sete anos. A garota, que já desconfiava do padrasto, entrou em estado de choque.
Quando a informação chegou à casa da vítima, todos entraram em desespero e o clima de revolta foi geral. Vizinhos disseram que Ana Célia era constantemente ameaçada de morte pelo companheiro.
As filhas de Ana Célia disseram que foi encontrado um óculos de Antonio, no local do crime. Ao revistar os pertences dele, foi encontrada uma faca, dentro de uma mochila.
Antonio e Célia viviam juntos há pelo menos sete anos. Os dois tinham uma filha de dois anos de idade. Braz queria ficar com a filha, após o fim da relação com a companheira. Célia tinha outros seis filhos, frutos de outro relacionamento.
← Anterior Proxima → Página inicial

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online