"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

sábado, 29 de setembro de 2012

35

DUELO DE CARREATAS: AO SOM DE ‘PULA-PULA’ E ‘PRESSÃO-PRESSÃO’, COLIGAÇÃO “BURITI PARA TODOS NÓS” RESPONDE À CARREATA DE ONTEM (28).

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


A coligação “Buriti Para Todos Nós”, que tem à frente Naldo Batista (vice Ednaldo Moreira), reagiu hoje (29) à carreata governista Buriti Não Pode Parar”,  realizada na manhã de ontem (28). (clique aqui para ver).
A coligação de Naldo organizou uma passeata com muitas motos, carros e ônibus, para demonstrar que não se intimidou com a carreata de ontem e também para sufocar os ânimos dos militantes da coligação governista.
Entoando o som de “pula-pula” e “pressão-pressão”, a carreata percorreu as principais ruas do centro de Buriti, inclusive, passando em frente aos comitês da coligação governista e da Construindo Um Novo Buriti, que tem Zuca como candidato a prefeito.
VEJA ALGUMAS IMAGENS














Veja mais imagens no facebook do Correio Buritiense, cburitiense@gmail.com, e compartilhe com seus amigos.
9

APRESENTADORA HEBE CAMARGO MORRE AOS 83 ANOS

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Hebe fez várias cirurgias e tratamentos após descobrir câncer em 2010.
Consagrada como apresentadora de TV, ela começou a carreira cantando.
A apresentadora Hebe Camargo morreu em São Paulo, neste sábado (29), aos 83 anos. Ela lutava contra o câncer desde 2010 e morreu, segundo a assessoria do SBT, após sofrer uma parada cardíaca, ao se deitar para dormir, nesta madrugada.
Hebe é um dos maiores ícones da televisão brasileira e ficou internada pela última vez por quase duas semanas em agosto, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Nos últimos dois anos, passou por várias cirurgias e tratamentos contra o câncer.
O velório será realizado no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado de São Paulo, no Morumbi, a partir das 18h deste sábado – o carro funerário chegou à casa da apresentadora por volta das 16h15. Já o sepultamento está marcado para as 9h30 deste domingo (30), no cemitério Gethsemani, segundo funcionários do local.
Hebe Camargo Ravagnani nasceu no dia 8 de março de 1929 na cidade de Taubaté (SP), a 130 km da capital paulista, e teve uma infância bastante humilde. Filha de Esther Magalhães Camargo e Segesfredo Monteiro Camargo, ela não se inibiu com as dificuldades financeiras e traçou uma trajetória de sucesso, passando pelas maiores emissoras do Brasil e eternizando seu sofá de debates.
Estreou como apresentadora em 1955, no programa “O mundo é das mulheres”, na TV Carioca, a primeira atração voltada especialmente para mulheres. Antes disso, havia substituído Ary Barroso no programa de calouros apresentado por ele.
Depois disso, a apresentadora ficou afastada da TV por um período, até que em 1966 estreou o dominical que levava seu nome na TV Record. A atração contava com o músico
Caçulinha e era líder de audiência. Foi responsável por dar espaço para novos talentos ligados à Jovem Guarda.
Para dedicar-se ao filho, Hebe ficou afastada da televisão por cerca de dez anos, quando voltou a aparecer na TV Bandeirantes. Em 1985, aceitou o convite do SBT para comandar uma atração na emissora. Em quatro de março de 1986, entrava no ar o “Programa Hebe”, comandado por ela até 2010. Em dezembro do mesmo ano, Hebe assinou contrato com a RedeTV e estreou na emissora em março de 2011, onde ficou até este mês, quando acertou retorno ao SBT.
A DOENÇA
A apresentadora foi diagnosticada com câncer no peritônio, membrana que envolve os órgãos do aparelho digestivo, em janeiro de 2010. Em sua primeira gravação após 12 dias internada para a retirada de nódulos e para o início do tratamento quimioterápico, Hebe mostrou gratidão com fãs e celebridades que a apoiaram. “Posso até morrer daqui a pouco, que vou morrer feliz da vida”, comentou em março de 2010, ainda no SBT.
Em setembro de 2011, Hebe iniciou um novo tratamento contra o câncer, com sessões de quimioterapia preventivas. "Não estou doente, apenas continuo me tratando pra poder ficar com vocês muito tempo ainda", disse. Por conta do retorno ao tratamento, ela havia voltado a perder cabelo e, consequentemente, a usar perucas.
Em março de 2012, passou por uma cirurgia de emergência para retirar um tumor que causava obstrução intestinal, ficando 13 dias no hospital. Em junho, realizou uma nova cirurgia de emergência para retirada da vesícula. No mês de julho, segundo o sobrinho Claudio Pessutti, ficou internada por cinco dias para a realização de exames.
Em casa, após sofrer uma parada cardíaca, ao se deitar para dormir, na madrugada de sexta para sábado, Hebe morre aos 83 anos.
0

POR QUE SE PRATICAM TANTOS ATOS DE CORRUPÇÃO NESTE PAÍS?

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



A pergunta acima pode ser respondida de forma muito objetiva. As fraudes e a corrupção diminuirão à medida que forem inibidas as oportunidades para que ela possa vir a ocorrer. Nesse sentido, as orientações da Policia Militar para que o cidadão não seja vítima de um assalto ilustra bem a situação.
Se dermos a mínima chance ao ladrão, ele irá furtar-nos (ou mesmo roubar-nos). Como dizia minha avó, em um de seus adágios populares mais famosos, "a ocasião faz o ladrão". Portanto, caros leitores, se deixarmos os cofres públicos sem nenhuma vigilância é a mesma coisa que darmos a nossa senha bancária ao meliante.
Superada esta etapa, para que as "oportunidades" sejam mitigadas, algumas estratégias devem ser postas em prática, tais como:

Punição tempestiva e adequada dos atos de corrupção

O que amedronta efetivamente o corrupto é a possibilidade de ele pagar por seus crimes. Se as punições começarem a ocorrer certamente os ataques ao erário diminuirão.

Garantia de que o processo de aprovação e alocação de emendas parlamentares obedeça a regras definidas e transparentes

Emendas parlamentares hoje transformaram-se em balcão de negócios. Existe até um comércio paralelo de venda de emendas parlamentares para que sejam direcionadas a empresas e ONG's de fachada.  Urge, repensar este modelo de concessão de EP's.


Criação de controles que hostilizem as fraudes e atos corrupção nas corporações privada

Todos os setores da Administração Pública (União, Estados, DF e municípios) devem dispor de uma controladoria e ouvidoria. Quanto mais controle sobre o dinheiro público, menor as chances de os corruptos lograrem exito.

Integração dos órgãos de controle do Estado

Acabar com a "vaidade institucional". Isto é simples, mas reduziria a superposição e propiciaria a realização de ações conjuntas de controle. Nesse contexto, o modelo de parceria entre a CGU e a Polícia Federal é um ótimo exemplo.

Fortalecimento dos partidos políticos

Acabar com as legendas de "aluguel" e com os "donos" de partido. A sociedade tem que se apropriar do seguinte: o mandato é do partido, não do candidato.

Redução da pressão tributária sobre as empresas (redução da sonegação fiscal e do "caixa dois")

De acordo com o ilustre professor Fernando Resende (SEFAZ-MA), a forma mais justa e equilibrada de o país realizar as suas políticas públicas é por meio da tributação das famílias nacionais. Mas, reitera, esta tributação deve ser justa e respeitar a capacidade contributiva do cidadão.

Aumento do prazo prescricional nas ações de improbidade

De acordo com a legislação nacional, se um corrupto não for punido até 5 anos após a realização do seu ato criminoso a pena prescreve e ele não pode mais sofrer nenhuma sanção. Isto é uma aberração, pois estes crimes deveriam ser imprescritíveis e tornado hediondos (sem direito a fiança).

Responsabilização penal das pessoas jurídicas pela prática dos crimes contra a Administração Pública

Aqui uma inovação, pois, até então, pessoa jurídica não podia ser responsabilizada.

Alteração da legislação que trata dos financiamentos de campanhas eleitorais e das prestações de contas

O estupro da Administração Pública começa na campanha política, onde o candidato(a) tem que fazer acordo obscuros para garantir recursos para a compra de votos. O financiamento das campanhas políticas deve ser público, com fiscalização atuante e prestação de contas transparente.

O papel do contador

Tal qual nos filmes de suspense: a culpa é sempre do mordomo. Caros leitores, vocês já notaram que o contador é sempre o responsável pelos atos de corrupção quando a "casa cai".  Creio que teríamos um grande avanço se ao invés de responsabilizar o profissional contábil por atos dos seus clientes, a lei lhes impusesse o dever de informar, então, sim, sob pena de responsabilização.

1

RELEMBRANDO A HISTÓRIA: IMPEACHMENT DO PRESIDENTE COLLOR.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Há 20 anos, Fernando Collor de Mello foi o primeiro presidente do Brasil a sofrer processo de impeachment.
Por Repórteres da Agência Brasil
Há exatos 20 anos o Brasil assistiu à abertura do processo de impeachment do então presidente Fernando Collor de Melo, aprovado por 441 votos na Câmara dos Deputados. Collor foi o primeiro presidente da República eleito pelo voto direto após o regime militar, ao derrotar em segundo turno o então candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva.
As primeiras denúncias contra Collor surgiram após os 100 primeiros dias de mandato e diziam respeito a um esquema de corrupção montado pelo ex-tesoureiro de campanha, Paulo César Farias – conhecido como PC Farias. As denúncias, intensamente divulgadas pela imprensa, culminaram com a criação de uma comissão parlamentar mista de inquérito, a CPI do PC.
As denúncias de corrupção, associadas ao desgaste do então presidente em função da implementação de planos de estabilização da economia, levaram mais tarde à mobilização popular e à aprovação do pedido de impeachment. Os planos econômicos, chamados de Collor I e Collor II, consistiam basicamente em tentar controlar a inflação, que já vinha alta desde o governo anterior de José Sarney. No primeiro momento os planos surtiram efeito, mas o confisco do dinheiro da população nos bancos e a volta da alta da inflação começaram a provocar insatisfação do povo com o presidente.
Muitas empresas e até pessoas físicas faliram quando o governo determinou que todas as contas bancárias poderiam ter saldo máximo de Cr$ 50 mil (cinquenta mil cruzeiros, a moeda da época). Impedidos de arcar com os compromissos financeiros, os empresários foram os primeiros a abandonar o apoio a Collor. Além disso, denúncias como as de desvio de dinheiro público para a construção dos jardins na residência oficial, chamada de Casa da Dinda, e o pagamento de vultosas despesas do casal presidencial, com dinheiro das empresas de PC Farias, levaram o povo às ruas pedindo a saída do presidente.
Duas entrevistas foram determinantes para a mobilização popular. Primeiro o irmão do presidente, Pedro Collor, à revista Veja, denunciando o chamado esquema PC e o desvio de verbas públicas para as empresas do ex-tesoureiro de campanha. Depois, o motorista Francisco Eriberto França confirmou à revista Isto É ter feito pagamentos para Fernando Collor e sua esposa, Rosane Collor, com cheques e valores que buscava nas empresas de PC Farias.
A conclusão dos trabalhos da CPI do PC, com relatório que considerou as denúncias procedentes, foi outro fator que incentivou a mobilização popular. O movimento Fora Collor era formado principalmente por estudantes, os chamados "Caras Pintadas", e por mais pessoas ligadas às universidades, os professores. Diante do clamor da sociedade civil, os presidentes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcelo Lavanère, e da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Barbosa Lima Sobrinho, entregaram ao presidente da Câmara dos Deputados, Ibsen Pinheiro, o pedido de impeachment com mais de 20 mil assinaturas.
Pinheiro acolheu o pedido e designou o então deputado Nelson Jobim como relator, que posteriormente apresentou parecer favorável ao impedimento do presidente da República de prosseguir no mandato. No dia 29 de setembro de 1992, Ibsen Pinheiro abriu a sessão de votação pelo impeachment de Fernando Collor de Melo em um Congresso Nacional cercado por milhares de manifestantes Caras Pintadas. Com 441 votos favoráveis, 38 contrários, 23 ausências e 1 abstenção, a Câmara dos Deputados decidiu pelo afastamento imediato do presidente da República de suas funções e autorizou o Senado Federal a abrir processo de cassação de mandato e dos direitos políticos.
No dia 2 de outubro, Collor foi comunicado de seu afastamento temporário pelo período que durasse o processo de impeachment e o então vice-presidente da República, Itamar Franco, assumiu o cargo. Itamar permaneceria na cadeira presidencial até o fim do mandato, em 1994. A cassação de Fernando Collor de Melo foi confirmada por 76 votos favoráveis e dois contrários no Senado Federal, em 29 de dezembro de 1992. O ex-presidente ainda tentou uma manobra para evitar a perda de seus direitos políticos. Depois de aberta a sessão no Senado, o advogado de defesa de Collor, José Moura Rocha, apresentou aos senadores a carta de renúncia dele. A tentativa, no entanto, foi em vão, e a cassação foi confirmada.
Em 1994, o ex-presidente foi absolvido no Supremo Tribunal Federal (STF) da acusação de corrupção passiva por falta de provas. A absolvição na ação penal, entretanto, não o livrou da suspensão dos direitos políticos por oito anos, a contar da data do que seria o término do seu mandato presidencial, em 1994. Collor voltou à cena política do país apenas em 2002, quando tentou se eleger governador de seu estado, Alagoas, mas foi derrotado. Em 2006, ele se elegeu senador e passou a ocupar uma cadeira no plenário que cassou seus direitos políticos. Em 2010, o senador Collor tentou novamente governar seu estado, mas ficou em terceiro lugar nas eleições. O mandato dele no Senado termina em fevereiro de 2015.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

0

GRUPO MUZENZA PROMOVE AMANHÃ (29) ENCONTRO CULTURAL MARANHENSE DE CAPOEIRA

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


O grupo capoeirista Muzenza, tradicional da cultura buritiense, realizará amanhã (29), no Ginásio Municipal, o Encontro Maranhense de Capoeira, com organização de Edivaldo e do Mestre Jabiraca.
Os organizadores convidam os pais, responsáveis e amigos dos alunos dos programas sociais CRAS, Projovem e PETI para prestigiar o Encontro.
A programação inclui palestras sobre prevenção às drogas, aulas com professores convidados, batizado e troca de cordas.
VEJA ABAIXO A PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

PALESTRAS COM A NUTRICIONISTA CRISLANE
PALESTRA DE PREVENÇÃO ÀS DROGAS
Local: Auditório do CAP (Centro de Apoio Pedagógico)
Horário: 15h.

AULÃO COM OS PROFESSORES CONVIDADOS.
BATIZADO E TROCA DE CORDAS.
Local: Ginásio Municipal
Horário: 17h30
34

COLIGAÇÃO “BURITI NÃO PODE PARAR” ANIMA MILITÂNCIA COM CARREATA.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



A coligação governista “Buriti Não Pode Parar”,  realizou, na manhã de hoje (28), uma carreata pelas ruas de Buriti. Foi uma resposta ao clima de oba-oba da coligação “Buriti Para Todos Nós”
A carreata, que contou com uma parada em frente ao Comitê da coligação Construindo um Novo Buriti, que tem o Zuca como candidato a prefeito, ocorre dois dias após a divulgação irregular de uma suposta pesquisa que indicaria derrota do candidato apoio pelo prefeito. O Correio buscou fontes e os dados dessa suposta pesquisa, mas não há registro algum no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), exceto aquela realizada pelo INOP, cujo resultado não está disponível a este Correio, que,inclusive, já foi noticiado aqui na última quarta (26). (clique aqui para saber mais).
 VEJA IMAGENS DA CARREATA








0

OPINIÃO - ESPAÇO ABERTO

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


*EDITORIAL DA FOLHA DE S. PAULO, de 28/09/12.
CENSURA EM REDE

A maior ameaça à liberdade de expressão no Brasil, hoje, parte do Judiciário. Se alguém alimentava dúvida sobre essa situação espantosa, a detenção do diretor de um serviço de publicação de vídeos na rede mundial de computadores, por determinação da Justiça Eleitoral de Mato Grosso do Sul, se encarregou de desfazê-la.
O juiz eleitoral Flávio Saad Peron determinara a prisão porque não havia sido retirada do ar uma peça com ataques a um candidato a prefeito, exigência que se repete em dezenas de ações similares em 21 Estados. Como toda decisão judicial, era obrigatório cumpri-la, ainda que fosse imediatamente seguida de recurso à própria Justiça contra seu caráter abusivo.
No Amapá, a Justiça Eleitoral obrigou a empresa que edita o jornal “O Estado de S. Paulo” a suprimir comentário de blogueiro sobre um candidato local. Detalhe: sua nota informava que o postulante responde a várias ações penais.
E não é só na esfera eleitoral que o vezo censório se manifesta. Um juiz de São Paulo determinou que a mesma organização retire da rede em todo o Brasil o filmete que satiriza Maomé e provocou reações violentas em países muçulmanos.
Há outros episódios semelhantes, além de vetos quase sistemáticos à divulgação de pesquisas eleitorais que contrariem os interesses de algum candidato. E, já que se fala de Judiciário e censura, é oportuno lembrar que, devido a recorrentes proibições, biografias se tornaram um gênero literário ameaçado de extinção no país.
Admita-se: nem sempre é simples sopesar princípios constitucionais em choque e chegar a conclusões sobre casos concretos, missão mesma do Poder Judiciário. A julgar por uma série de decisões recentes, porém, muitos juízes parecem esquecidos de que a regra geral é a liberdade, e não o contrário.
É verdade que o problema não está só na Justiça, que adere a um movimento maior de intolerância e moralismo. Num lance quase humorístico, o deputado Protógenes Queiroz (PC do B-SP) queria elevar para 18 anos a classificação de um filme porque um urso de pelúcia aparece nele fumando maconha.
Até a Academia Brasileira de Letras, que deveria ser um bastião da liberdade de opinião, censurou há pouco a transmissão de uma palestra sobre história da arte e sexo.
É claro que a ABL, instituição privada, é livre para escolher o que vai exibir e parlamentares, para fazer de tudo a fim de aparecer - mas seria mais útil se usassem sua liberdade e seu poder para aprovar o Marco Civil da Internet, de maneira a clarificar de vez a questão da responsabilidade de veiculadores e autores nesse meio de difusão.
Quanto à Justiça, não pode haver dúvida: é imprescindível que magistrados, como guardiões da Constituição, adotem uma interpretação consistente das garantias da Carta para as liberdades de pensamento, expressão e imprensa e se abstenham definitivamente de qualquer forma de censura.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

21

PROFESSORES APROVADOS EM CONCURSO COMO EXCEDENTES TÊM DIREITO A NOMEAÇÃO

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



A mera expectativa de nomeação dos candidatos aprovados em concurso público fora do número de vagas constitui-se em direito líquido e certo quando há contratação de pessoal de forma precária para o preenchimento de vagas existentes, em detrimento daqueles que, aprovados, estariam aptos a ocupar o mesmo cargo ou função.
A decisão é do Pleno do Tribunal de Justiça do Maranhão, que em sessão jurisdicional nesta quarta-feira (26), deferiu, por maioria de votos, recurso interposto por candidata aprovada em concurso para o cargo de professor da rede pública do Estado. Ela recorreu ao Tribunal para manter decisão de juízo da 1ª Vara da Fazenda Pública que lhe deu o direito de assumir o cargo, mas, cuja deliberação foi suspensa por medida liminar.
O relator do processo foi o presidente do TJMA, Antonio Guerreiro Júnior, que indeferiu a suspensão da liminar e manteve a decisão proferida em primeira instância. O desembargador – que antes entendia não assistir direito aos professores concursados fora do número de vagas, em detrimento dos contratados – enfatizou a jurisprudência consolidada das cortes superiores reconhecendo o direito dos concursados nessas circunstâncias.
Guerreiro Júnior citou recente julgado do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que reformou acórdão local para reconhecer ao impetrante direito líquido e certo à nomeação, mesmo tendo sido aprovado fora do número de vagas.
“Constata-se, pois, que a jurisprudência de nossos tribunais superiores tem se consolidado no sentido de que, quando a Administração contrata temporariamente os excedentes em concurso público, passam a ter direito subjetivo à nomeação e posse nos cargos, independente da existência de vaga em sentido formal, criada por lei”, assinalou.
O desembargador Marcelo Carvalho foi o primeiro membro da Corte a ter esse entendimento e durante a sessão parabenizou o presidente do Tribunal de Justiça pelo seu novo posicionamento. Votaram pelo indeferimento, os desembargadores Jamil Gedeon, Raimundo Nonato Souza, Joaquim Figueiredo e Lourival Serejo.
(Ascom/TJMA)
1

TSE APROVA ENVIO DE FORÇA FEDERAL PARA 26 MUNICÍPIOS DO MARANHÃO

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, na sessão administrativa desta terça-feira (25), o envio de tropas federais para 26 municípios do Maranhão. A decisão unânime visa garantir a normalidade da votação no dia das eleições, em 7 de outubro.
Para o Maranhão, foi autorizado o envio de tropas para os municípios de Benedito Leite, Bom Lugar, Santa Luzia do Tide, Santa Luzia do Paruá, Nova Olinda, Buriticupu, Bom Jesus das Selvas, Maracaçumé, Presidente Sarney, Barra do Corda, Fernando Falcão, Carolina, Chapadinha, Mata Roma, Godofredo Viana, Codó, Santa Inês, Bela Vista, Monção, Igarapé do Meio, São Vicente Férrer, Cajapió, Cajari, Grajaú, Formosa da Serra Negra e Itaipava do Grajaú.
Relator dos pedidos vindos do Maranhão, o ministro Arnaldo Versiani informou que o Tribunal Regional Eleitoral do Estado fez um amplo estudo para apontar as localidades que realmente demandam o envio de força federal. Ele acrescentou que a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, foi consultada e se manifestou pelo envio das tropas porque as regiões apresentam instabilidade de ordem pública.
Fonte: TSE

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

21

EMPRESA INOP, QUE REALIZOU PESQUISA PARA PREFEITO EM BURITI, TÊM RESULTADOS SOB SUSPEITA EM VÁRIOS MUNICÍPIOS.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



As suspeitas dos resultados foram reveladas por vários blogs e pela imprensa maranhense.
O INOP, Instituto Nacional de Opinião Pública, na verdade, o nome real da empresa é Rafaela Cantanheide Lemos Gomes, que realizou uma pesquisa em Buriti nos dias 22, 23 e 24 de agosto, têm seus resultados questionados em vários municípios por onde já fez pesquisas.
Em Buriti, o instituto entrevistou 650 eleitores, na sede e em vários povoados. A pesquisa, que custou R$ 6.000, está registrada sob o número MA-00162/2012 e a divulgação ocorreu no dia 06 de setembro. O Correio Buritiense não teve acesso, ainda, ao resultado da pesquisa.
 De acordo com o Jornal Pequeno, há desconfiança da pesquisa feita pelo Inop sobre sucessão no município de Anajatuba. A matéria foi veiculada pelo jornal maranhense no dia 15 de setembro.
A juíza da 109ª Zona Eleitoral, Edeuly Maia, concedeu despacho, no dia 14 de setembro, favorável ao requerimento do diretório municipal do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), de Anajatuba, para que o Instituto Nacional de Opinião Pública (Inop) apresentasse, no prazo de 72 horas, os relatórios e todos os documentos referentes à pesquisa eleitoral realizada no município, registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número 00185/2012.
Conforme consta no TRE, o Inop realizou pesquisa em Anajatuba no período de 28 a 31 de agosto. Num universo de 447 entrevistados, na sede e povoados, não foi registrado nenhum voto nulo.
Praticamente, também, segundo o PRTB de lá, não havia eleitores indecisos no município - apenas 1,34% - na data da realização da sondagem. “Ou seja, quando ainda restavam mais de 40 dias para as eleições”, observou o partido impetrante.
Suspeita – Ao tomar conhecimento do resultado, amplamente divulgado em blogs e veículos de comunicação, o PRTB ingressou com o requerimento na manhã de quinta-feira (13) colocando sob suspeita os números apresentados pelo Inop.
O Inop, que tem sede em São Luís, tem prazo de 72 horas para apresentar à Justiça Eleitoral em Anajatuba toda a documentação requerida pelo PRTB municipal relacionada à sondagem (relatórios, questionários, sistema de verificação e a distribuição da amostragem, entre outros).
Além de Anajatuba, conforme noticiou o Correio Codoense, o INOP também é suspeito de ter alterado resultado de pesquisa em mais três municípios maranhenses, sedo que o resultado de Codó, também é questionado, segundo o Correio Codoense. Veja abaixo a situação em cada município:
CODÓ - A pesquisa de intenção de voto apresentada, esta semana, pelo prefeito e candidato à reeleição em Codó, colocou à prova a seriedade da empresa RAFAELA CANTANHEIDE LEMOS GOMES, identificada como INOP, nome de fantasia que utiliza na divulgação de resultados. Em Codó, até os adversários reconhecem que Zito Rolim (PV) lidera nas pesquisas, porém, se a eleição fosse hoje, o candidato venceria, mas por uma pequena diferença de votos.
No entanto, o prefeito e candidato mostrou uma pesquisa que eleva de mais seus índices – colocando-o numa distancia elástica em relação ao segundo colocado, 54,99%, contra 34,51%.
Foi aí que os adversários do prefeito e a imprensa resolveram também pesquisar. Descobriu-se que o INOP (que não é o Instituto Nacional de Opinião e Pesquisa, de São Paulo), na verdade está registrado como Rafaela C. L. Gomes, com sede em São Luís – MA. Rafaela já teria, inclusive sido notificada pelo verdadeiro INOP por estar usando a marca do Instituto paulista.
Em, pelo menos, três municípios do Maranhão, o INOP, de Rafaela Lemos, apresentou pesquisas com resultados de candidatos acima de 50%. Em dois, dos três, houve inversão de resultados, em menos de dez dias de uma pesquisa para a outra. Até é possível quem está na frente nas pesquisas cair e ser ultrapassado pelo adversário, mas é necessário que o candidato da dianteira tenha se envolvido num escândalo muito forte para que pudesse haver a migração de eleitores.
GOVERNADOR ARCHER – Em pesquisa realizada, entre os dias 23, 24 e 25 de agosto de 2012, pelo  Instituto M. R. Borges Serviços ( Promoshow Brasil Publicidade ),CNPJ : 00.905.916/0001-90, e registrada no TRE- MA  sob o número 00136/2012, quem está na preferência do eleitor daquele município é o candidato do PT do B, Valério que apareceu com 59,79%, contra 40,20%  da Dra. Jesus, candidata a prefeita pelo PMDB.
Entre os dias 1º a 03 de setembro, portanto, cinco dias depois da pesquisa anterior, ICB Rolim de Castro – CNPJ 11009512/0001-35, contratou a empresa de Rafaela para fazer outra pesquisa em Governador Archer pelo valor de R$ 5.000,00. Dia 06/09/2012, a pesquisa foi registrada no TRE-MA sob o protocolo MA-00189/2012. 738 eleitores foram ouvidos, segundo dados apresentados ao TRE. O resultado da pesquisa de Rafaela diz que o candidato que na semana anterior liderava com quase vinte pontos de diferença da segunda colocada, simplesmente despencou.
Valério caiu para 45,12% e a candidata do PMDB, subiu para a primeira colocação, com 53,52%. O curioso é que em uma semana, o candidato que estava na liderança não fez nada que justificasse a perda de 15 pontos. A candidata, Dra. Jesus, também não apresentou razões que explicassem seu crescimento meteórico em mais de 13 pontos. Mas a candidata está comemorando o fenômeno, graças à empresa de Rafaela Lemos, ou INOP.
MATA ROMA – Nos dias 18 e 19 de agosto, pesquisa realizada pela ESCUTEC apontou que o eleitorado daquele município tem preferência maior pelo candidato Glinoel Garreto (PV) que apareceu na liderança com 51,7% dos votos válidos. Carmem Neto (PMDB) ficou na segunda colocação, com 35,8%. O registro no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) foi feito dia 21 de agosto, sob o protocolo MA-120/2012.
A prefeita Carmem Neto, que apareceu em segundo lugar no quesito intenções de votos, é a líder quando o assunto é a rejeição. Dos entrevistados, 36,3% disseram não votar na peemedebista de jeito nenhum.
Quando a empresa de Rafaela (INOP) entrou em ação na cidade de Mata Roma, exatos 9 dias depois de a ESCUTEC, para fazer outra pesquisa o cenário já era outro. A consulta popular foi feita de 28 a 31 de agosto de 2012 e foi registrada no TRE-MA sob o protocolo MA-00154/2012. O resultado apontou a prefeita e candidata à reeleição na frente de seu adversário.
De acordo com o levantamento, na pesquisa estimulada, Carmem Neto venceria com 58,03%, contra 40,80% do candidato Glinoel Garreto. Na pesquisa espontânea, Carmem Neto detém 53,68% contra 38% de Glinoel Garreto.
Assim como em Governador Archer, em Mata Roma, também não houveram fatos que justificassem a inversão de resultados entre nenhum dos dois candidatos. É mais um candidato que o INOP, de Rafaela Lemos, conseguiu apresentar resultado que justificasse, apenas, por meio de um milagre, que, certamente não aconteceu.
SÃO JOÃO DOS PATOS O caso de São João dos Patos pode ser comparado com o de Codó. Em 20 de agosto de 2012 foi divulgado o resultado de uma pesquisa realizada pela empresa Rafaela Cantanheide Lemos Gomes – INOP, protocolizada sob o nº MA -0011/2012 e contratada por LUIZ ALBERTO LOPES.
Na pesquisa, o INOP coloca o candidato Waldênio da Silva Souza, o Dr. Waldênio (PMDB) em primeiro lugar, com 56, 89%. Atrás, e bem afastada do primeiro colocado, aparece Dra. Aricelli (PRB), com apenas 27,74% dos votos válidos.
Dez dias depois, a ESCUTEC foi ao município e confirmou a liderança do candidato do PMDB, mas com percentuais abaixo dos apresentados pelo INOP. O registro da pesquisa foi realizado no TRE-MA sob o número de protocolo MA-00159/2012. O Dr. Waldênio, lidera com 48% das intenções de voto. Em segundo, aparece Aricellia Maria Lopes de Sá, a Drª Aricelli, com 42,4%. A candidata teve quase vinte pontos a mais que a pesquisa anterior, realizada uma semana antes.
6

SKINA DA FAMA PROMOVE, NA PRÓXIMA SEXTA (28), GRANDE SERESTA NO APB BATISTA EVENTOS.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



O irmãos Zé Ernandes e Marcone, proprietários do bar Skina da Fama, convidam os buritienses, e demais municípios vizinhos, a participarem de uma grandiosa seresta, com cobertura absoluta do Correio Buritiense, que será realizada no clube APB Batista Eventos, na avenida Condoca Machado, na próxima sexta-feira (28), com animação do Forrozão Evolução e Saulo, o Fenômeno dos Teclados.
COLABORADORES
Farmácia Som Canuto
Neném Mourão
Frigorífico Panela
Magno do Frango
Negão Magarefe
Valdinar do Frango
Hugo Machado
Cãindão
Funerária Paz Eterna
Diego do Mercado
Camila Amorin Calçados
Chichico do peixe
Motociclo Marcos Carol
Chico Pastora
João do Peixe
Roberth Almeida
Casa do Frango
Fábio Pinheiro
Chico Criôla
Welder
Churrascaria Brasil
Marcelo Eletricista
C&F Carnes e Frios
Toinho do Peixe
Chaga Macumbeiro
Neto Viana
Rogério Viana
Peteca e Júnior do Trator
Pedro do Sofá
J.B. Clube
Preto da Pousada Buriti
Geovane Batista
Neguim do Poço Verde
Lourival Batista
Piririti Lanches
Wátila Produções e Eventos
Zé Nunes
Antonio Dinaldo do Frango

Cobertura Total: 

O Maior Portal de Notícias de Buriti, 
A SERVIÇO DA VERDADE


← Anterior Proxima → Página inicial

Usuários on-line


usuários online