"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

38

OPERÁRIO ATINGIDO NA CABEÇA POR VERGALHÃO RECEBE ALTA.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


“Às vezes a gente sai pra trabalhar e não tem tempo de dizer ‘filho, eu te amo’, ‘esposa, eu te amo’’, disse ele ao Bom Dia Brasil, da TV Globo.
O operário Eduardo Leite, 24, que teve a cabeça perfurada por um vergalhão, teve alta na manhã dessa quinta-feira (30), após 15 dias de internação.
A barra de ferro da grossura de um dedo polegar entrou pela parte posterior do crânio e saiu entre os olhos.
Na porta do hospital muita gente queria conhecer o operário. Ele conseguiu sobreviver a um acidente que tinha tudo para ser fatal.
No dia 15 de agosto, quando trabalhava no térreo de uma obra, um vergalhão de dois metros de comprimento despencou do 5º andar e atravessou sua cabeça e passou a um centímetro de atingir o olho direito e a três da parte do cérebro responsável pelos movimentos.
Os médicos quando viram a vítima chegar consciente e conversando, no hospital, ficaram surpreendidos.
Eduardo conseguiu se livrar de graves sequelas como, por exemplo, a perda de movimentos. A partir de agora a equipe médica ficará atenta a possíveis alterações de humor e comportamento.
VEJA IMAGENS DA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO CRÂNIO DO OPERÁRIO COM O VERGALHÃO ATRAVESSADO

28

GOVERNO FEDERAL PROPÕE SALÁRIO MÍNIMO DE R$ 670,95 PARA 2013.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


O governo federal propôs, ontem (30), que o salário mínimo  alcance o patamar de R$ 670,95 no de 2013. A proposta está fixada no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), encaminhado pelo Ministério do Planejamento ao Congresso Nacional e representam aumento de 7,9% em relação ao valor do salário atual, que é de R$ 622. (Para ler na íntegra a PLOA, clique no link no final da matéria).
O anúncio foi feito pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. O valor supera o previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias, que apontava um mínimo de R$ 667,75. Se aprovado, o novo mínimo deve ser pago a partir de fevereiro, referente ao mês de janeiro.
A estimativa do governo é que cada R$ 1 de avanço no mínimo gere despesas de R$ 308 milhões ao governo. Com isso, o aumento de R$ 48, concedido pelo governo, causará impacto de cerca de R$ 15,1 bilhões aos cofres públicos.
O reajuste do salário mínimo é feito pela soma da variação do PIB de dois anos atrás, no caso considera-se o de 2011, que foi de 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) mais a variação da inflação do ano anterior, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) previsto em 5% para o ano de 2012. O Projeto de Lei Orçamentária Anual para o próximo ano prevê que a inflação será de 4,5% e o PIB crescerá 4,5%, alcançando R$ 4,9 trilhões, informou o ministério, por meio de nota.
O INPC é o índice utilizado nas negociações salariais dos sindicatos e faz parte do acordo de evolução do salário mínimo fechado entre governo e centrais sindicais
O Planejamento informou ainda que o orçamento total, previsto para o próximo ano, é de R$ 2,140 trilhões.
Entre as prioridades do governo estão os investimentos em Saúde, que receberá R$ 79,3 bilhões, 10,7% mais do que em 2012; Educação, R$ 38 bilhões (+14,4%); o Programa de Aceleração do Crescimento incluindo o Minha Casa, Minha Vida, com 52,2 bilhões (+22,8%), e o Brasil Sem Miséria, com R$ 29,9 bilhões (+16,3%).
O total destinado ao PAC para 2013 é de R$ 126,3 bilhões, entre orçamento fiscal, de seguridade e estatais. Este orçamento reflete as grandes prioridades do governo e a decisão da nossa presidenta em relação às medidas necessárias para o crescimento do País, afirmou a ministra Miriam Belchior.
CONFIRA A APRESENTAÇÃO DO PLOA 2013 NA ÍNTEGRA.
Fonte: Portal Planalto; Agência Brasil.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

5

COMPRA E VENDA DE VOTOS É CRIME ELEITORAL; SAIBA ONDE E A QUEM DENUNCIAR

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Em 28 de setembro de 1999, era sancionada a Lei nº 9840. O documento, que dispõe sobre a corrupção eleitoral exercida na compra do voto, foi criado para complementar a Lei nº 4737, de 1965, que define os tipos de crimes eleitorais e as punições para quem pratica.
No entanto, muitos eleitores ainda ficam na dúvida sobre quais são e como denunciá-los. Pensando nisso, instituições públicas disponibilizam uma série de orientações em seus sites.
No intuito de orientar o eleitor de como proceder para denunciar os crimes de corrupção eleitoral, órgãos públicos e movimentos sociais mantêm páginas na internet com links, telefones e até cartilhas educativas. Entre eles estão o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a Polícia Federal (PF), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Ministério Público Federal (MPF) e o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).
O MCCE, que é constituído por 51 instituições nacionais de diversos segmentos, criou uma cartilha específica para as eleições municipais deste ano, com dicas, recomendações e a lista dos prefeitos e vereadores cassados por corrupção eleitoral entre 2000 e 2009. O site da organização também traz uma página dedicada a orientações de como denunciar, além de trazer uma lista dos órgãos que são aptos a receber as denúncias.
Outra instituição que possui em seu site uma cartilha educativa é o Ministério Público Federal. O material, que é apresentado em duas versões – uma completa e outra simplificada –, trata do combate à corrupção eleitoral. Contudo, o órgão também dispõe de uma página com formulário para o envio de denúncias online.
Venda e compra de votos é crime passível de prisão
Diante disso, o eleitor precisa estar atento a um detalhe importante da legislação eleitoral. Pois a lei prevê que dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outra pessoa, dinheiro, dádiva ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar o voto é crime. E este delito pode resultar em quatro anos de prisão, tanto para quem compra quanto para quem vende, além do pagamento de multa.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

30

APESAR DO BAIXO IDEB DA ESCOLA ANTONIO FARIA, BURITI É O SEGUNDO MUNICÍPIO QUE MAIS AVANÇOU ENTRE OS VIZINHOS NO INDICADOR DE QUALIDADE DA EDUCAÇÃO ADOTADO PELO MEC.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Com o resultado do Ideb, secretário Romildo Júnior sai fortalecido após oito anos à frente da Secretaria de Educação (SEMED)

Apesar do resultado negativo da escola Unidade Integrada Antônio Faria, que ficou entre as piores do Maranhão, na avaliação das séries finais, com índice de 1,9, Buriti figura entre os municípios que tiveram forte avanço no índice nas séries iniciais no biênio 2009/2011, com um acréscimo de 0,7 em comparação à 2009, chegando a 3,9 em 2011. Entre os vizinhos, apenas Duque Bacelar teve avanço superior ao de Buriti, com expressivo aumento de 1,3 em relação ao Ideb de 2009, atingindo a marca de 4,9 (próximo ao índice geral do Brasil de 5,0, referentes às séries iniciais). A decepção em Buriti está em relação ao índice nas séries finais, categoria em que a escola Antônio Farias, ficou entre as piores, cujo avanço foi de apenas 0,1 em relação ao Ideb de 2009, no resultado geral de Buriti (MA).
Das cidades vizinhas quem teve o pior desempenho foi o município de Mata Roma, com queda de 0,2 no índice das séries iniciais e de 0,4, no Ideb das séries finais. Em seguida aparece Anapurus com queda de 0,3 no índice das séries iniciais.
O Correio Buritiense preparou uma lista com o resultado do Ideb de todos os municípios vizinhos a Buriti. Confira abaixo:


Município
IDEB

Séries Iniciais
Séries Finais

Duque Bacelar
4,9
3,2

Buriti
4,3
3,3

Coelho Neto
3,7
3,4

Brejo
3,7
3,1

Chapadinha
3,7
3,1

Santa Quitéria
3,7
3,1

Afonso Cunha
3,6
2,9

Milagres
3,5
2,8

Anapurus
3,2
3,2

Mata Roma
3,0
2,8

MARANHÃO
4,1
3,6
BRASIL
5,0
4,1

Ao todo, no Maranhão foram avaliadas 1.487 escolas públicas das redes municipal e estadual. A grande maioria obteve rendimento abaixo do estabelecido pelo MEC. A pior delas foi o Centro de Ensino Newton Neves, localizada no município de Timbiras, na região Leste Maranhense. Ela recebeu nota 1,5, bem piores do que o desempenho apresentado nas avaliações anteriores de 2005, 2007 e 2009 do Ideb, quando recebeu respectivamente 3,2; 2,7 e 3,1 pontos.

ENTENDA AS METAS DE QUALIDADE
O Ideb foi criado pelo Inep em 2007, em uma escala de zero a dez. Sintetiza dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: aprovação e média de desempenho dos estudantes em língua portuguesa e matemática. O indicador é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e médias de desempenho nas avaliações do Inep, o Saeb e a Prova Brasil.
A série histórica de resultados do Ideb se inicia em 2005, a partir de onde foram estabelecidas metas bienais de qualidade a serem atingidas não apenas pelo País, mas também por escolas, municípios e unidades da Federação. A lógica é a de que cada instância evolua de forma a contribuir, em conjunto, para que o Brasil atinja o patamar educacional da média dos países da OCDE. Em termos numéricos, isso significa progredir da média nacional 3,8, registrada em 2005 na primeira fase do ensino fundamental, para um Ideb igual a 6,0 em 2022, ano do bicentenário da Independência.

domingo, 26 de agosto de 2012

31

BURITIENSES PODERÃO FAZER LIGAÇÕES GRATUITAS DE ORELHÕES ATÉ 30 DE OUTUBRO

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Anatel proíbe Oi de cobrar ligações feitas em orelhões de 2.020 cidades.
Com a decisão da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), na última sexta-feira (24), de obrigar a Oi a não cobrar pelas ligações feitas de orelhões para telefones fixos, com o mesmo DDD, em 2.020 municípios, incluído aí Buriti (MA), os buritienses poderão fazer ligações grátis até 30 de outubro, ainda que não insiram um cartão telefônico. Se o cartão for utilizado, mesmo assim, os créditos não serão consumidos.
A medida beneficia 21 Estados, exceto: São Paulo, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso e Tocantins. A Anatel estima que cerca de 29% da população será beneficiada pela proibição da cobrança.
A punição da agência foi criada a partir de uma fiscalização feita nos telefones públicos, de todas as concessionárias, em setembro do ano passado. De acordo com a Anatel, 30% dos equipamentos públicos da Oi não funcionavam devidamente e em algumas regiões em que a empresa atua não há quantidade suficiente de orelhões instalados (o ideal são quatro para cada mil habitantes, em cada município).
A operadora fixa Oi tem até o dia 30 deste mês para adequar o sistema de cobrança em 90% dos orelhões de Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Paraná e Sergipe e até 30 de setembro para que 100% dos aparelhos nesses Estados façam apenas ligações gratuitas, para fixos, com o mesmo DDD.
A medida vale até 30 de outubro para 1.278 municípios. Em 742 municípios dos 21 Estados afetados pela medida, o prazo será maior: até 31 de dezembro deste ano.
Para saber a lista completa dos municípios com orelhões liberados de cobrança, clique no link abaixo:

sábado, 25 de agosto de 2012

10

ESCOLA DE BURITI É 2ª PIOR DO MARANHÃO, DE ACORDO COM O IDEB DIVULGADO PELO MEC.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Ideb de escolas do Maranhão segue abaixo da meta do MEC.
De 2009 para 2011, desempenho dos alunos maranhenses evoluiu pouco.
Os dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2011, divulgados no último dia 13, pelo Ministério da Educação, indicam queda na qualidade do ensino médio, no Maranhão.
Enquanto no país, entre 2009 e 2011, o Ideb do ensino médio subiu míseros 0,1 ponto, passando de 3,6 para 3,7, no Maranhão, o índice piorou em relação à edição anterior de 2009.
Dessa vez os dados do IDEB trazem informações tristes para os buritienses: a escola estadual Unidade Integrada Antônio Farias foi considerada a 2ª pior do Maranhão, quando considerados o Ideb das séries finais do ensino fundamental. Os dados são alarmantes se analisados pela óptica de que nosso Estado já desfruta dos piores índices do Brasil, inclusive piorou de 2009 para 2011.
Correio divulga abaixo lista das dez piores escolas estaduais de ensino no Maranhão segundo o Ideb.

AS PIORES DO MARANHÃO
CE Newton Neves (Timbiras) ……………………......…Nota 1,5
UI Antônio Faria (Buriti) ……………………Nota 1,9
CE Waldy Fiquene (Itapecuru)……………………........Nota 2,0
UE São José (Guimarães)……………………………......Nota 2,1
CE Rural dos Lopes (Primeira Cruz)………………......Nota 2,2
UE Prof.ª Andrelina S. Carvalho (Urbano Santos)....... Nota 2,2
UI Raimundo Nonato F. Lago (Bacabal)………….........Nota 2,3
UI Nadir Abreu (Bacabal)………………………………..Nota 2,3
CE John Kennedy (Lago Verde)…………………………Nota 2,3
CE Dr. Antônio Jorge Dino (Colinas)…………….......….Nota 2,4

De 2009 para 2011, o desempenho dos alunos maranhenses no Ensino Fundamental evoluiu pouco. Segundo dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o melhor desempenho foi obtido entre os estudantes de 4ª série (anos iniciais), que aumentaram suas notas de 3,9 em 2009, para 4,1. Em relação às 8ª séries/9º ano (anos finais) e Ensino Médio, a maioria das notas permaneceu igual às apresentadas em 2009.
Entre as séries iniciais, a nota total do Ideb para as escolas maranhenses ficou em 4,1, ainda abaixo do que foi estabelecido pelo MEC, em cinco pontos. Em relação ao desempenho das escolas da rede pública, a nota de 4,7 estabelecida como meta não foi ultrapassada. Ela ficou em 3,9, um pouco melhor do que o desempenho apresentado na avaliação anterior, quando chegou a 3,7.

O que é o IDEB - O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foi criado pelo MEC para medir a qualidade no ciclo básico de ensino. Ele é feito a cada dois anos e já tem quatro edições (2005, 2007, 2009 e 2011).
Como é feito – Para chegar ao índice, o MEC calcula a relação entre rendimento escolar (taxas de aprovação, reprovação e abandono) e desempenho na Prova Brasil aplicada para crianças do 5º e 9º ano do fundamental e do 3º ano do ensino médio.
Níveis de análise – O Ideb possibilita analisar a qualidade da educação em uma determinada escola e nas diversas redes de ensino; no fundamental, é possível avaliar o desempenho dos municípios nas redes públicas e, no nível médio, o Ideb é divulgado por unidade federativa. Há também o Ideb Brasil, dividido entre as redes municipal, estadual e privada.
No país – Em uma escala de 0 a 10, o Ideb do Brasil cresceu de 4,6 para 5,0, nos anos iniciais do ensino fundamental, e de 4,0 para 4,1, nos anos finais desta etapa, superando as metas estabelecidas. No ensino médio, o Brasil teve Ideb 3,7, exatamente a meta determinada para este ano.
Objetivo do Brasil - O objetivo do país é chegar a 2021 com índice 6,0, nos anos iniciais, 5,5, nos anos finais, e 5,2, no ensino médio, próximo ao nível dos países desenvolvidos.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

4

SEM EMPOLGAÇÃO POPULAR DE CAMPANHAS PASSADAS, PREFEITO NENÉM MOURÃO REALIZOU CAMINHADA DA COLIGAÇÃO “BURITI NÃO PODE PARAR” PARA ABERTURA DO COMITÊ DE CAMPANHA DE RAFAEL MESQUITA.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Sem entusiasmo popular de outras campanhas, no último dia 18, o prefeito de Buriti e toda sua comitiva fizeram uma caminhada que culminou com a inauguração do comitê da coligação “Buriti não pode parar” (PRB, PRTB, PSB, PT, DEM, PSDB, PSC), do candidato Rafael Mesquita e seu vice, Raimundo Camilo. 
A caminhada, de longe, não se parecia com aquelas movimentações e agitações que foram promovidas em campanhas anteriores do prefeito Neném Mourão. Ficou evidenciado que nem mesmo os seus partidários estão empolgados com candidatura do mineiro Rafael. A frustação de seus correligionários, na verdade, é pelo fato dele não ter escolhido Procrécio Mourão, ou mesmo outra pessoa de Buriti mais ligada com a família Mourão, para sucedê-lo no Palácio Municipal.
 No palanque montado para os discursos, falaram os vereadores da base governista, o prefeito Neném Mourão, o candidato Rafael e sua mãe dona Valéria Mesquita, além de aliados e simpatizantes da campanha.
No seu discurso, Rafael agradeceu ao prefeito de Buriti, a quem já chamou de “pai”, e destacou não ter inimigos em Buriti. Ele também lembrou que acompanhou muitas obras da atual gestão nos povoados, como construção e reforma de escolas e perfuração de poços artesianos.
O prefeito Neném Mourão demonstrou confiança em seu discurso e na vitória de Rafael em outubro, e disse está tranquilo, pois,segundo ele, em seus oito anos de prefeitura trouxe muitos benefícios para a população buritiense.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

2

APA DOS MORROS GARAPENSES É DESTAQUE NA IMPRENSA PIAUIENSE

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



A APA dos Morros Garapenses, unidade de conservação constituída em 2008, pelo ex-governador, já falecido, Jackson Lago (PDT), foi destaque na imprensa piauiense e nos blogs de temática ambiental. A APA foi apresentada como modelo na luta e mobilização de populares. Por força da mobilização, o governo do Estado do Maranhão criou a unidade de conservação por meio do Decreto Nº 25.087 de 31 de dezembro de 2008.
O texto dá destaque ainda aos buritienses Alex Mota, Vicente e seu Onésio.
Confira abaixo a íntegra do texto que também pode ser lido no próprio site da Revista piauiense.

*Por Mayron Régis, Articulista do ECODEBATE, Jornalista e Assessor do Fórum Carajás e atua no Programa Territórios Livres do Baixo Parnaíba (Fórum Carajás, SMDH, CCN e FDBPM).

Alex Motta, morador de Buriti de Inácia Vaz, que não é bordador, numa manhã de 2011, bordou comentários a respeito da criação da Área de Proteção Ambiental Morros Garapenses: “O governo do estado do Maranhão cria a APA Morros Garapenses que protege os terrenos menos elevados, mas, por outro lado, entrega as Chapadas de Buriti para os gaúchos”.
A APA Morros Garapenses foi criada em 2008, pelo então governador Jackson Lago, como forma de conservar as faixas de transição entre Cerrado e a Mata dos Cocais no Leste maranhense. A sua área de abrangência abarca 234 mil hectares dos municípios de Buriti, Duque Bacelar e Coelho Neto. O processo de consolidação dessa unidade de conservação fornece uma informação relevante: ela é a única unidade de conservação estadual criada a partir de uma mobilização da comunidade local. Pelo visto, tomando por base a declaração do Alex Motta, essa mobilização não se deu de maneira uniforme nos três municípios e nas comunidades desses municípios do Baixo Parnaíba Maranhense.
Nenhuma das considerações descerradas pelo governo do Maranhão no decreto de 31 de dezembro 2008 acena para a agricultura familiar e para o extrativismo. Uma consideração explicita o item educação ambiental e turismo ecológico, aventura e cientifico. Outra discorre sobre o reflorestamento com espécies frutíferas. Sinceramente, no que consta, as populações tradicionais do Baixo Parnaíba Maranhense desapareceram para a Secretaria de Meio Ambiente do Maranhão (SEMA).
Citar-se-ia a agricultura familiar e o extrativismo de frutas do Cerrado por comporem a biodiversidade e por guarnecerem essa biodiversidade. Nomeia-se esse intrincar de agrobiodiversidade. Até onde se sabe, o português do agronegócio é ralo. Os anos de soja, eucalipto e cana não adicionaram palavra original no cotidiano brasileiro. A riqueza do agronegócio foi devolvida à população do Baixo Parnaíba maranhense na forma de empobrecimento do linguajar, do conhecimento tradicional, da economia local e do meio ambiente.
Alguns defendem um pacto de não agressão entre o agronegócio e segmentos da agricultura familiar  para que o desenvolvimento socioeconômico se dissemine. Que o desenvolvimento não fique atrelado a um só setor, é o que dizem. Em certa medida, os órgãos ambientais aderiram a essa ideia faz tempo. A criação de unidades de conservação no Brasil obedece a cartilha do agronegócio, ou seja, onde o agronegócio avança se detém processos de criação de parques e  Resex (Reserva Extrativista) . Com respeito a APA Morros Garapenses, os próprios funcionários da SEMA admitem que a categoria APA é permissiva ainda mais em uma região onde se acentuam os interesses do grupo João Santos, plantador de cana e bambu, e dos sojicultores. Um pacto de não agressão interessa mais ao agronegócio do que a agricultura familiar. O Baixo Parnaíba maranhense experimenta e experimentou versões dessa proposta tanto no caso da soja como no caso do eucalipto. Os sojicultores fornecem sementes de feijão para comunidades próximas aos plantios de soja e a Suzano Papel e Celulose disponibiliza maquinário para comunidades próximas aos seus plantios de eucalipto.
O Estado brasileiro é condescendente com o agronegócio e descarta completamente a agricultura familiar e o extrativismo. Bem que os governos poderiam criar uma politica de descarte de agricultores familiares e extrativistas na zona urbana das cidades assim como existe uma politica de descarte de embalagens de agrotóxicos.
Descartar tudo tem sido uma prática do Estado brasileiro. As licenças de desmatamento e as outorgas autorizadas pela SEMA obscurecem a questão dos recursos hídricos no Baixo Parnaíba maranhense.  As considerações para a criação da APA Morros Garapenses se desencontram dessa questão tão séria numa região sujeita a desertificação como se presencia em áreas mexidas para os plantios de soja nas bacias dos rios Buriti e Preto. Conhecedora da situação por que passa o Baixo Parnaíba a SEMA deveria restringir ao máximo o uso de determinadas áreas para os plantios de soja e eucalipto. Vê-se o contrário. Desde a criação da APA os desmatamentos em Buriti nunca cessaram sem respeitar espécies protegidas por lei como o pequizeiro e espécies importantes para o extrativismo como o bacuri.
Na região da APA Morros Garapenses, o Fórum Carajás articulado com a Associação dos Amigos de Buriti e com a comunidade de Carrancas carregou e carrega uma variedade de projetos e de atividades com a intenção de resguardar o que sobrou de áreas de Chapada nas nascentes do rio Preto, afluente do rio Munim. Uma das atividades, que contou com o financiamento do CASA (Centro de Apoio Socioambiental), é o manejo das florestas de bacuri na propriedade do Vicente, o gigante gentil do povoado Carrancas. Ele é um sujeito bem alto que, em determinado momento, viu-se pressionado a vender sua posse para um plantador de soja. Decidiu não vender. Como não vendeu, o sojicultor se retirou anunciando que Vicente sofreria com o despejo de agrotóxicos. Provavelmente, caso Vicente vendesse, ele se arrependeria mais tarde. Outros indivíduos se arrependeram. Comunidades inteiras se arrependeram amargamente, pois venderam suas áreas de Chapada por um dinheiro que durou pouco.  Um dinheiro que mal deu para comprar uma moto para cada individuo.
O Vicente e o seu Onésio, da comunidade de Carrancas, e as comunidades de Brejinho e de Belém chegaram longe sem recuarem um milímetro sequer. 
 Fonte: Territórios Livres do Baixo Parnaíba; PIAUÍ SEMPRE VERDE

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

38

BURITIENSE É MORTO POR BALA PERDIDA EM TERESINA-PI

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


I
À direita, de óculos, Flávio Costa, vítima da violência urbana.

O buritiense Flávio Viana da Costa morreu nessa segunda-feira (20), vítima de bala perdida. O caso teve início na última terça-feira (14), quando Flávio havia buscado sua esposa em uma academia, no bairro Itararé, no Grande Dirceu, em Teresina-PI. O cabeleireiro foi atingido por uma bala disparada em uma disputa de gangues da região quando voltava para buscar um capacete na academia.
O projétil atingiu o pescoço de Flávio, que foi levado com urgência para o HUT. A vítima ficou internada até este domingo, onde teve uma parada cardíaca e faleceu.
Nessa mesma noite, integrantes de gangues também morreram com o tiroteio.
Flávio, 34 anos, natural de Buriti-MA, nasceu no Povoado Todos os Santos, morava em Teresina (PI) desde o ano de 1995, onde era cabeleireiro e mantinha um salão na avenida Valter Alencar. Era casado e pai de três filhos. 
O enterro ocorreu ainda hoje (20) no seu povoado de origem.
4

IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS REALIZA, A PARTIR DE HOJE, EM BURITI-MA, A 3ª CRUZADA EVANGELÍSTICA.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Iniciou hoje (20), e se estenderá até o próximo domingo (26), a 3ª Cruzada Evangelística tematizada por “Desperta Buriti, está Chegando a Hora”, realizado pela Igreja Assembleia de Deus, sob a organização do Pr. Daniel Machado.
O evento é marcado por cultos durante toda a semana de cruzada, de 20 a 26 de agosto, na sede da Igreja evangélica, na Av. Governador Nunes Freire, a partir das 19h.
Nos últimos dois dias da Cruzada, a Igreja receberá evangélicos de todo Maranhão e terá como preletor o Pr. Joel Cruz (MA), com louvores de Lilia Paz (MA), Roberto Sousa (MA) e da Banda Semeadores de Cristo (MA), no clube APB Eventos a partir das 19h.
RELEMBRANDO - A primeira edição da Cruzada Evangelística, promovida pela Assembleia de Deus, ocorreu no ano de 2010 no período de 6 a 12 de setembro.Veja abaixo a logomarca da 1ª Cruzada Evangelística.
Logomarca da 1ª Cruzada.
← Anterior Proxima → Página inicial

Usuários on-line


usuários online