"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

SEJA UM COLABORADOR DO JORNALISMO INDEPENDENTE

SEJA UM COLABORADOR DO JORNALISMO INDEPENDENTE

TVT: LULA, CIRO E DILMA na inauguração popular da transposição das águas do rio São Francisco

sábado, 28 de abril de 2012

5
Compartilhe:

Print Friendly and PDF



CONVENÇÃO DO PTB, DO EX-PREFEITO ZÉ VILAR, OCORRE HOJE

Ocorre hoje (28) a convenção do PTB, do ex-prefeito Zé Vilar, um dos pré-candidatos da Frente Democrática Buritiense(FDB). A reunião ocorre num momento delicado da FDB, visto que o ex-prefeito, principal apoio do grupo, é listado como inabilitado para concorrer as próximas eleições de acordo com a lei dos Fichas-Limpas.
Mais detalhes e imagens da convenção em breve aqui no Correio Buritiense.
9

MAIS UMA VÍTIMA DA IMPRUDÊNCIA NO TRÂNSITO E DO DESCASO DA SAÚDE PÚBLICA DE BURITI

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Jovem Gilberto(24 anos),vítima da imprudência e do descaso

Jovem Gilberto (24), vítima de acidente de moto, morreu após demora no atendimento no HTB.
No dia 20 de abril, por volta das 22h, o jovem Gilberto Ramos dos Santos sofreu um grave acidente de moto e faleceu pela madrugada no município de Duque Bacelar. O jovem pilotava a motocicleta em direção à piscina quando, no quebra-molas próximo à casa do prefeito, perdeu o controle e foi arremessado a uma distância de aproximadamente 15m. Ele foi socorrido pelo seu irmão Miguel e pelo amigo Ronald. Os amigos o conduziram para o Hospital do Trabalhador Buritiense (HTB), conhecido também como Clínica, e quando chegaram lá, segundo relato deles, o atendimento demorou pelo menos 20min.
Após avaliação do médico Dr. Júnior, a vítima foi encaminhada a Teresina-PI. O descaso com a saúde dos buritienses começa exatamente aqui: as duas ambulâncias estavam quebradas e não restou alternativa senão a humilhação de ter de ir até a casa do prefeito para pedi um transporte para conduzir o jovem até Teresina. O prefeito, “sensibilizado”, arranjou um corsa classic (eita, céus, onde será que tava a frontier?!!).
A vítima, pouco acomodada no veículo e sem uma enfermeira sequer o acompanhando, seguiu para o Piauí na companhia de seus amigos Dinha, Renan e Lídia, pois eram os únicos que tinham a responsabilidade de dá suporte a ele.
Próximo a Duque Bacelar, a agulha do escalpe saiu da veia do paciente e seu braço começou a inchar. Foi necessário, então, parar num hospital local para recolocá-la.
Apesar do esforço dos amigos, ele não resistiu e morreu por volta de 1h da madrugada, sem receber os devidos socorros.
Este é retrato da nossa tragédia: não há saúde pública digna desse nome em Buriti.
0

EXCLUSIVO: Buriti está entre os municípios com administração financeira em situação difícil.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Mapa da Gestão Fiscal - Veja no mapa o índice de Buriti que mede eficiência de gestão fiscal da prefeitura.
Levantamento realizado pelos jornalistas Alexandre Rodrigues e Wilson Tosta, do jornal O Estado de São Paulo, baseado no Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), criado pela Federação das Indústrias do Rio e divulgado oficialmente no sábado, 17, com o objetivo de medir a qualidade da administração financeira dos municípios brasileiros, indica que apenas 2% dos municípios no País tiveram boa administração financeira.
O Indicador IFGF mostra que duas em cada três cidades viveu situação difícil ou crítica em 2010. Despesas elevadas com funcionários públicos, receita própria reduzida, investimentos escassos ou até inexistentes são os principais fatores que levou 63,5% das cidades brasileiras a viver situação difícil ou crítica naquele ano.
Analisando os dados fornecidos pela Firjan e pelo Estadão, o Correio Buritiense observou que Buriti tem índice IFGF de 0,4676, o que o coloca no grupo de municípios em situação de dificuldades em termos de administração financeira.
Quase metade dos municípios (2.302, ou seja, 43,7%) ganhou Conceito C - Gestão em Dificuldade. Outras 1045 cidades (19,8%) levaram nota D - Gestão Crítica.
O IFGF vai de 0 a 1 - quanto maior, melhor a situação financeira da prefeitura - e divide-se em quatro conceitos:
Grupo A (Gestão de Excelência), para municípios com índice entre 0,8 e 1;
Grupo B (Boa Gestão), para valores entre 0,6 e 0,8;
Grupo C (Gestão em Dificuldade), para a faixa de mais de 0,4 e 0,6;
Grupo D (Gestão Crítica), para a faixa de zero a 0,4.
Mais de 4,3 mil prefeituras, entre elas Buriti, dependem excessivamente dos repasses de estados e municípios.
Dez anos após a edição da Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar 101/2000), o IFGF Brasil, com a média obtida pelos municípios pesquisados, chegou a 0,5321 - 1,9% a mais do que o 0,5221 atingido pelo indicador em 2006. O resultado de 2010 coloca o IFGF nacional no nível de Gestão em Dificuldade.
O economista Guilherme Mercês, da Firjan, lembra que os municípios com contas saneadas têm maior capacidade de investimentos e destaca que a boa infraestrutura é um dos principais atrativos de investimentos produtivos, ao lado dos benefícios fiscais. "Quem tem melhor infraestrutura é quem atrai mais empresas, por isso as prefeituras precisam investir", afirmou.
Para ler mais sobre o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) e o levantamento feito pelo Estadão clique aqui
0

COMISSÃO DA ONU EMITE NOTA DE PESAR SOBRE MORTE DE JORNALISTA DÉCIO SÁ

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Em nota, ONU lamentou a morte de Décio Sá e os crimes contra a imprensa.
Comissão pede solução do caso e proteção para jornalistas.
A comissão de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas emitiu uma nota de pesar, lamentando a morte do jornalista maranhense Décio Sá, na última segunda-feira (23), em São Luís. A declaração é da  da alta comissária para os Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay. Na nota, a entidade lamenta a morte de Décio Sá e disse que o órgão está "alarmado" com a morte de mais um jornalista no Brasil.

Leia abaixo trecho da nota enviada pelo seu porta-voz, Ruper Colville:

Estamos alarmados pela morte de mais um jornalista no Brasil, elevando para, pelo menos quatro, o número de jornalistas assassinados no país até agora. Décio Sá, um jornalista investigativo na política local, denunciava a corrupção e o crime organizado, foi morto a tiros em um bar em Segunda, 23 de Abril. Nós condenamos seu assassinato e estamos preocupados com o que parece ser uma tendência de assassinatos de jornalistas, o que prejudica o exercício da liberdade de expressão no Brasil.
Congratulamo-nos com o fato de que as autoridades estaduais se comprometeram a realizar uma investigação completa para este e outros casos semelhantes. Esperamos que esses casos sejam tratados como uma grande prioridade para que os autores não sejam encorajados pela falta de prestação de contas vigente para tais crimes. Ao mesmo tempo, instamos o governo a implementar, de imediato, medidas de proteção para evitar quaisquer outros incidentes do tipo.
Um projeto de lei apresentado ao Congresso, em 2011, ordenando as investigações da polícia em crimes contra os jornalistas sejam realizadas a nível Federal, seria um passo na direção certa. Esperamos que esta e outras medidas para proteger os jornalistas sejam adotadas como um assunto de urgência.
0

JUSTIÇA DECRETA PRISÃO DE SUSPEITOS DO ASSASSINATO DE JORNALISTA DÉCIO SÁ

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Prisões foram decretadas na noite desta quinta-feira (26).
Polícia cumprirá mandados de busca e apreensão nas casas dos suspeitos.
Do G1 MA
A Justiça decretou, na noite desta quinta-feira (26), as prisões temporárias, por 30 dias, de dois suspeitos de envolvimento no assassinato do jornalista Décio Sá.
De acordo com o andamento das investigações, a prisão dos suspeitos poderá ser prorrogada por mais 30 dias.
Os dois homens foram detidos pela Polícia Civil entre a noite da última terça-feira (24) e a madrugada de quarta-feira (25) e prestaram depoimento durante doze horas, na Delegacia de Homicídios de São Luís.
A Justiça expediu, também, mandados de busca e apreensão nas casas dos dois suspeitos.
Entenda o crime
O jornalista Décio Sá foi morto a tiros por volta de 22h40, em um bar da Avenida Litorânea, em São Luís. De acordo com testemunhas, os suspeitos chegaram em uma motocicleta, executaram o jornalista e fugiram do local.
Em menos de duas horas, a polícia encontrou o cartucho da arma que teria sido utilizada no crime. A peça passou nesta quarta-feira (25) por uma análise química, que permitirá um resultado mais preciso sobre as impressões digitais do assassino do jornalista Décio Sá.
Qualquer informação sobre os assassinos do jornalista pode ser passada ao Disque-Denúncia, pelos telefones 3223-5800, na capital, e 0300 313 5800, no interior do Estado. Não é necessário se identificar.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

2

PRESSIONADO PELA PROMOTORIA, PREFEITO NENÉM MOURÃO RECUA E FAZ ACORDO COM MORADORES DE PINTADAS

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



O prefeito Neném Mourão, após audiência de conciliação, ocorrida  dia 14 de abril, recuo de sua posição intransigente em relação à área de 843 hectares, que foi alvo de uma ação desumana, patrocinada por ele e pelo proprietário Washington Nunes Rodrigues, conhecido na região como Cezinha. (clique aqui para saber mais)
Neném Mourão, suposto dono da propriedade, e Cezinha, o proprietário de papel da terra, depois de muita saliva gasta em discussão, concordaram em vender a fazenda aos moradores do povoado Pintadas. Além do acordo da venda da terra, os sócios também liberaram a área para que os moradores possam cultivar, já de imediato, até que a compra seja concretizada.
Participaram da audiência o novo promotor de Justiça da comarca de Buriti, Dr Clodoaldo Nascimento Araújo, o prefeito Francisco Evandro Costa Mourão e seu advogado, Washington Nunes Rodrigues (Cezinha), o presidente da Associação de moradores do Povoado Pintadas (AMP), Jesus Silva, e o padre Francisco das Chagas (Pe. Chagas).

quarta-feira, 25 de abril de 2012

0

POLÍCIA CONFIRMA QUE JORNALISTA FOI EXECUTADO COM CINCO TIROS

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Peritos afirmaram na noite do crime, que Décio Sá foi morto com seis tiros.
Informação foi oficialmente corrigida nesta quarta-feira (25).

Por Igor Almeida - Do G1 MA
A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão confirmou, na tarde desta quarta-feira (25), que de acordo com o laudo médico preliminar do Instituto Médico Legal (IML), o jornalista Décio Sá foi alvejado com cinco tiros, sendo três na cabeça e dois na região dorsal do corpo. Na noite do crime (23), a perícia havia relatado que o jornalista teria sido executado com seis tiros.
Em nota, a Secretaria informou o laudo médico definitivo deve ser finalizado e divulgado até a próxima sexta-feira (27) e que o retrato falado do executor está sendo confeccionado por peritos do Instituto de Criminalística (Icrim) do Maranhão e também será divulgado nos próximos dias.
O Disque Denúncia (3223 5800-capital e 0800 313 5800-interior) está oferecendo uma recompensa no valor de R$ 100 mil por informações que levem a prisão dos criminosos.
O CRIME - O jornalista Décio Sá foi morto com cinco tiros (anteriormente a perícia havia informado que o jornalista foi alvejado com seis tiros, informação corrigida pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão), sendo três na cabeça e dois na região dorsal, na noite de segunda-feira (23), dentro de um bar na Avenida Litorânea, em São Luís. Ele tinha 42 anos e há 17 trabalhava na editoria de política do jornal "O Estado do Maranhão", do Sistema Mirante de Comunicação. Ele era autor de um dos blogs mais acessados do Maranhão. O jornalista deixa uma filha de 8 anos e a mulher grávida de dois meses.
0

POLÍCIA PREPARA RETRATO FALADO DE ASSASSINO DE DÉCIO SÁ

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Luciana Lima e Renata Giraldi
Repórteres da Agência Brasil
A primeira ação da polícia do Maranhão para desvendar o assassinato do jornalista Décio Sá, ocorrido ontem (23), em São Luís, será trabalhar em um retrato falado do autor do crime. De acordo com o delegado Guilherme Filho, que investigará o caso, o assassino do jornalista não cobriu o rosto e há testemunhas já ouvidas pela polícia.
"Ele estava de cara limpa e acho que, assim, conseguiremos chegar a um retrato falado do executor, até chegar aos mandantes", disse o delegado.
Embora a ideia de execução seja a mais forte, o delegado informou à Agência Brasil que nenhuma hipótese está sendo descartada pela polícia e que o blog mantido pelo jornalista desde 2006 é uma das peças mais importantes da investigação.
A polícia também vai analisar os contatos telefônicos mantidos pelo jornalista com o objetivo de saber se ele já vinha sofrendo ameaças. "Ele era um jornalista importante, que batia de frente com o sistema e com certeza, por isso, tinha muitos inimigos", disse o delegado.
O jornalista Décio Sá foi assassinado em um restaurante da Avenida Litorânea, na capital maranhense, na noite de ontem. Além do Blog do Décio, um dos mais acessados do estado, o jornalista era repórter da editoria de política de O Estado do Maranhão, pertencente à família do presidente do Senado, José Sarney.
O delegado informou ainda que a polícia não descarta investigar a atuação de pistoleiros em algumas regiões do interior como parte das apurações da morte do jornalista.
Uma das últimas reportagens publicadas pelo blogueiro fazia referência ao julgamento marcado para amanhã (25), no município de Barra do Corda, dos acusados de matar em 1997, o líder comunitário e sem-teto Miguel Pereira Araújo, conhecido como Miguelzinho.(Clique para ler a matéria no próprio blog do Décio)
"Não podemos dizer que tem a ver, mas também não podemos dizer que não tem. Vamos investigar. O esquema de pistolagem no Maranhão nunca parou", declarou o delegado.

terça-feira, 24 de abril de 2012

0

CORPO DE JORNALISTA DÉCIO SÁ, EXECUTADO COM 6 TIROS, É ENTERRADO EM SÃO JOSÉ DE RIBAMAR.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


O corpo do jornalista Décio Sá, morto a tiros na segunda-feira, foi enterrado na tarde desta terça-feira no cemitério Jardim da Paz, em São José do Ribamar (MA). Muitos familiares, amigos e colegas acompanharam o sepultamento do jornalista, que atuava na editoria de política do jornal O Estado do Maranhão e mantinha o Blog do Décio quando morreu, aos 42 anos, atingido por seis tiros em São Luís. A arma utilizada na execução é de uso privativo da polícia.
Empresários ofereceram, por meio do Disque-Denúncia, recompensa de R$ 100 mil a quem fornecer informações que identifiquem o executor do jornalista. Em entrevista coletiva realizada na tarde desta terça-feira, o secretário de Segurança do Estado, Aluísio Mendes, disse que a Polícia Civil reuniu provas suficientes para elucidar o crime rapidamente, conforme pedido do governo do Maranhão.
O jornal O Estado do Maranhão definiu Décio como "o jornalista mais importante de sua geração”.
0

SARNEY PEDE 'PUNIÇÃO EXEMPLAR' PARA ASSASSINOS DE JORNALISTA DO MA

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Presidente do Senado lamentou a morte de Décio Sá, nesta segunda (23).
José Sarney classificou o crime como um 'atentado à democracia'.
O presidente do Senado, senador José Sarney (PMDB-AP), lamentou, com pesar e indignação, a morte do jornalista Décio Sá, ocorrida nesta segunda-feira (23). Em nota, Sarney destacou o pioneirismo do jornalista na redação online do Maranhão. O presidente do Senado pediu punição exemplar para os assassinos de Décio Sá, ao tempo em que classificou o crime como, "uma atrocidade, um atentado à democracia".

Leia a íntegra da nota:
É com grande indignação e profundo pesar pessoal que lamento a morte do jornalista Décio Sá. Brutalmente assassinado, o jornalista foi pioneiro no jornalismo online maranhense e tinha como principal virtude profissional a busca pela notícia, pela reportagem investigativa, que a muitos incomodava, mas também lhe garantia um espaço único no cenário jornalístico e uma legião de seguidores.
Mesmo jovem, Décio já havia marcado seu nome como um dos grandes jornalistas maranhenses, e na história do jornalismo brasileiro ficará como um dos pioneiros a utilizar os modernos meios de comunicação, desenvolvendo um trabalho de qualidade e grande alcance.
Esse crime hediondo, brutal e cruel tem que ser desvendado para punir os culpados e despertar, cada vez mais, a consciência para a proteção e o respeito à liberdade de imprensa. Seu assassinato, além de uma atrocidade, é um atentado à democracia.
À família o meu mais sincero pesar e irrestrito apoio e solidariedade. Aos colegas de profissão, o engajamento para que essa covardia não fique impune, que a policia identifique os assassinos e a justiça seja feita de forma exemplarmente rigorosa.
José Sarney
0

Brasil teve 27 crimes contra a imprensa, diz relatório da SIP.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Em relatório divulgado nesta segunda-feira (23), a SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa) aponta para um aumento nos casos de assassinatos de jornalistas no Brasil - no período de seis meses, foram registrados 27 casos de crimes e violências contra a imprensa, incluindo assassinatos, agressões e atentados.
A sociedade pede punição aos homicídios e afirma que a morosidade da Justiça estimula a impunidade no Brasil.
No último dia de reunião em Cádiz, na Espanha, a sociedade destacou que, de cinco jornalistas assassinados, três crimes estavam relacionados ao exercício da profissão.
"Governos de origem democrática, porém autoritários, utilizam os meios de comunicação estatais para perseguir e difamar a mídia independente", diz o documento, citando em especial cinco países: "Venezuela, Equador, Argentina, Bolívia e Nicarágua enfrentam problemas comuns em mãos de presidentes arbitrários e intolerantes que tentam calar a imprensa crítica".
O Brasil foi representado na Espanha por Paulo de Tarso Nogueira, consultor do jornal "O Estado de S. Paulo" e integrante da Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação da SIP.
A 68ª Assembleia-Geral da SIP está marcada em São Paulo, entre os dias 12 e 16 de outubro.
Levantamento do CPJ (Committee to Protect Journalists) divulgado no último dia 17 indica que o Brasil é o 11º país do mundo em que os assassinatos de jornalistas mais ficam impunes.
De acordo com o "Índice da Impunidade" elaborado pelo órgão, cinco mortes de jornalistas nos últimos dez anos não resultaram em nenhuma condenação no país.
Duas dessas mortes aconteceram no ano passado: a do dirigente petista e editor Edinaldo Filgueira do jornal "O Serrano", que recebeu seis tiros em 15 de junho. O crime aconteceu em Serra do Mel (252 km de Natal), no Rio Grande do Norte.
Segundo o órgão, também não foi solucionada a morte do apresentador de TV e radialista Luciano Leitão Pedrosa, de Pernambuco. Ele também foi alvo de tiros em abril do ano passado na cidade de Vitória de Santo Antão (47 km de Recife).
Neste ano, a Organização das Nações Unidas (ONU) tentou aprovar uma resolução para reduzir o número de assassinatos de jornalistas.
Segundo o Jornal Hoje, o Brasil, a Índia e o Paquistão conseguiram adiar a votação da proposta para 2013.
5

ENTIDADES LAMENTAM MORTE DE JORNALISTA NO MARANHÃO

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



REPERCUSSÃO E COBRANÇA

Décio Sá foi executado a tiros na noite de segunda-feira (23), em São Luís. ANJ e ABI pedem rigor em investigações sobre o crime.
O presidente do Sindicato dos Jornalistas do Maranhão, Leonardo Monteiro, disse nesta terça-feira (24) que a morte do jornalista Décio Sá foi um atentado contra a liberdade de imprensa. "Eu estou muito abalado com esse trágico acontecimento que é uma covardia e um atentado contra a liberdade de expressão."
 O presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Maurício Azêdo, também enfatizou a necessidade de rigor na investigação do caso, em entrevista por telefone à 'Globo News'. "É lamentável que ainda ocorram fatos dessa natureza porque o jornalista não trabalha para si mesmo, ele trabalha para a sociedade e uma agressão, a morte de um jornalista, na verdade, constitui um ataque ao conjunto da sociedade", disse.
Em entrevista ao G1, o diretor executivo da Associação Nacional dos Jornais (ANJ), Ricardo Pedreira, pediu a imediata apuração do crime por parte das autoridades. “Parece muito claro que o assassinato ocorreu devido à cobertura que ele fazia dos crimes de pistolagem no Maranhão. A ANJ lamenta e pede a imediata apuração do crime por parte das autoridades, assim como a prisão, julgamento e condenação dos envolvidos. Infelizmente, o Brasil tem se destacado na estatística de assassinatos de jornalistas em decorrência de sua atividade profissional. Só neste ano esse é o quarto caso no país, e essa impunidade é preocupante. O trabalho desses jornalistas é feito sempre em favor da comunidade”, afirmou.
Uma nota conjunta da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Luís e do Sindicato dos Radialistas do Maranhão foi divulgada na tarde desta terça também pedindo a autoridades locais a rápida apuração dos fatos com a punição dos culpados.
"Décio Sá foi assassinado covardemente na noite de ontem, com seis tiros de uma pistola de uso exclusivo dos militares – conforme atestado por um perito criminal – por dois ocupantes de uma motocicleta, no Bar Estrela Dalva. (...) Profissional conhecido em todo o Estado por sua atuação destemida, seu covarde assassinato deixa entristecida toda a categoria dos jornalistas maranhenses e indignados todos os jornalistas brasileiros. Jamais imaginaríamos que, vencido o período de regime de exceção e, ao alcançarmos a democracia, nos encontramos cercados por uma legislação penal tão estimulante para a prática de atos criminosos, onde a vida dos cidadãos nada vale diante da vingança banal dos bandidos, pistoleiros e mandantes", diz a nota.
Em nota, o Governo do Estado lamentou o crime e repudiou a ação, considerando-a "bárbara e cruel". Informou ainda que todas as providências já estão sendo tomadas para a prisão dos assassinos. Homens da Superintendência de Investigações Criminais e da Delegacia de Homicídios já iniciaram as averiguações para prender os criminosos.
0

Corpo de jornalista executado deve ser sepultado na tarde de hoje

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Jornalista foi assassinado na noite de ontem (23), na Avenida Litorânea. Sepultamento deve ser às 15h, no cemitério Jardim da Paz, em Ribamar.
O corpo do jornalista Décio Sá está sendo velado na Pax União, que fica no Centro de São Luís. O jornalista foi assassinado na noite de ontem (23), na Avenida Litorânea, um dos cartões postais da capital. Décio foi morto com cinco tiros à queima roupa. O assassino conseguiu fugir em uma moto e a polícia está investigando o caso.
O sepultamento do corpo do jornalista será às 15h, no cemitério Jardim da Paz, em São José de Ribamar.

0

JORNALISTA DÉCIO SÁ É ASSASSINADO NA AVENIDA LITORÂNEA, EM SÃO LUÍS.

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Décio Sá foi atingido com seis tiros na noite desta segunda-feira.
Jornalista trabalhava em O Estado e tinha um blog.

O jornalista Décio Sá foi executado a tiros, na noite desta segunda-feira (23), por volta de 23h15, na Avenida Litorânea, em São Luís. Ele levou seis tiros de um homem que estava em uma motocicleta. Décio Sá tinha 42 anos e era repórter da editoria de política de O Estado do Maranhão e autor de um dos blogs mais acessados do Maranhão. O secretário de Segurança Pública do Maranhão, Aluísio Mendes, afirmou nesta manhã que a morte do jornalista "sem dúvida foi encomendada".
Segundo informações, um homem desceu da motocicleta, atravessou a pista e foi até o bar Estrela do Mar onde o jornalista se encontrava e disparou seis tiros.
Um garçom informou que o assassino se deu ao trabalho de ir banheiro, para se certificar de que era mesmo o jornalista. Ao sair do banheiro, próximo da mesa onde Décio se encontrava, o assassino efetuou os disparos, todos em direção à cabeça da vítima. Outro homem ficou aguardando o assassino do outro lado da pista.
Segundo o perito Jucy Ericeira, os tiros foram disparados de uma pistola 0.40, arma de uso exclusivo da polícia. Após o crime, a polícia encontrou em um morro o carregador de uma pistola que seria compatível com os projéteis retirados pela perícia do corpo do jornalista.
"Foi um crime muito ousado. Foi um crime encomendado. As pessoas que entraram aqui no bar vieram com a intenção de executar o jornalista Décio Sá. As pessoas que testemunharam o fato disseram que o autor dos disparos não escondeu nem a cara", disse o secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes.

Décio Sá tinha 42 anos e há 17 trabalhava na editoria de política do jornal "O Estado do Maranhão", do Sistema Mirante de Comunicação. Ele era autor de um dos blogs mais acessados do Maranhão. Décio Sá deixa uma filha de 8 anos e a mulher grávida de dois meses. O corpo do jornalista está sendo velado na Pax União, no Centro de São Luís. O governo do Estado divulgou nota lamentando o ocorrido e repudiando a ação bárbara e cruel do crime.
Segundo informações repassadas pelo secretário de Segurança do Maranhão, Aluísio Mendes, um grupo de empresário está oferecendo a quantia de 100 mil reais, para quem fornecer pistas que ajudem a elucidar o crime.
Qualquer informação sobre os assassinos do jornalista Décio Sá, pode ser passada ao Disque-Denúncia, pelos telefones (98) 3223-5800, na capital, e 0300 313 5800, no interior do estado. Não é necessário se identificar.
Veja aqui imagens do crime:


quinta-feira, 19 de abril de 2012

1

LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO É LANÇADA NO MARANHÃO

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


Na última terça-feira (17), o Maranhão viveu um dia histórico com o lançamento da Lei de Acesso à Informação Pública. No auditório do TCU, que fica localizado no Bairro Areinha, em São Luís, estavam presentes gestores públicos de órgãos e entidades federais, a imprensa e membros da Controladoria Geral do Estado do Maranhão.
A Lei 12.527 traz em seu bojo um princípio básico: "o acesso à informação é a regra e o sigilo a exceção". Assim, a partir do dia 16 de maio deste ano, data em que a lei começará a viger, qualquer pessoa poderá se dirigir a um órgão público federal e solicitar informações de seu interesse pessoal ou mesmo coletivo. E o mais importante, ele não precisará justificar o porquê da solicitação de tal informação.
E a grande revolução é que os gestores públicos não poderão negar estes pedidos e terão um prazo máximo de 20 dias para dar a resposta. O que antigamente era considerado sigiloso, hoje estará aberto a qualquer cidadão. "A abertura dos dados elevará o Brasil a um novo patamar", conforme pontificou o Dr. Carlos Wellington Leite de Almeida, que é Secretário do TCU-MA.
Em sua fala o Dr. Roberto Viégas, Chefe da CGU Regional MA, alertou aos representantes dos órgãos e entidades federais  a estruturarem, logo,  o SIC (Serviço de Informação ao Cidadão). Os SIC´s serão estruturas criadas nos órgãos para o atendimento das informações solicitadas pelos cidadãos.
Após a abertura solene houve uma capacitação sobre os principais aspectos da Lei de Acesso à Informação realizada pelos servidores do Núcleo de Ação da Prevenção à Corrupção (NAP)  da CGU.
A Lei 12.527 abrangerá também os estados, DF e municípios. Bastando apenas que estes entes publiquem um decreto para que a lei tenha validade em sua base territorial. Em São Luís, o vereador Geraldo Castro (PCdoB) já apresentou à mesa diretora da Câmara Municipal  um projeto de lei que trata do acesso à informação na capital maranhense. Como se vê, o caminho é irreversível.

domingo, 15 de abril de 2012

20

DEVASTAÇÃO IMPIEDOSA CHOCA MORADORES DO POVOADO PINTADAS

Compartilhe:

Print Friendly and PDF


No dia 6 de fevereiro deste ano, as cenas de tratores destruindo plantações dos moradores do povoado Pintadas evidenciaram o grau de desumanidade e arrogância a que chegou o atual gestor de Buriti.
Foi ordenado que tratores devastassem toda uma área de uso de moradores com mais de 40 anos na região, e de cuja terra dependem para manterem o sustento.
De acordo com o boletim de ocorrência (B.O.) registrado pelo presidente da Associação de Moradores das Pintadas (AMP), Jesus Lopes Silva, a devastação foi acompanhada de perto por Washington Nunes Rodrigues, proprietário de papel das terras, pelo prefeito de Buriti, por dois policiais militares e pelo comandante da PM de Buriti, o sargento Florismar Batista Costa. É importante destacar que nenhum desses nomes citados apresentou ao presidente da AMP qualquer ordem judicial que autorizasse a devastação da produção agrícola dos moradores.
A disputa envolvendo a propriedade de 843 hectares se arrasta desde julho de 2008, quando Washington Nunes Rodrigues, conhecido na localidade como Cezinha, teria comprado às terras que há mais de 40 anos são cultivadas por dezenas de famílias, que dali extraem o alimento diário.
Há muito tempo os moradores pretendiam comprar as terras, chegando, inclusive, a negociar com os herdeiros do antigo proprietário, o senhor Francisco José da Costa (falecido). As tentativas fracassaram porque os herdeiros, de acordo com o presidente da AMP, receberam uma proposta bem maior e irrecusável de um comprador cujo nome até, então, não seria revelado. É aqui que começa o lado sombrio da história, pois Jesus Silva suspeita que a compra teria sido feita a mando do prefeito de Buriti.
Ainda de acordo com Jesus Silva, as tentativas de intimidação dos moradores foram muitas, e em várias ocasiões chegaram a ameaçar, com armas, pessoalmente, as famílias que na terra produziam.
Sem opções negociáveis de disputa, a Associação resolveu recorrer, em 2009, às autoridades competentes: IBAMA, Ministério Público (MP) e Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA). E só obtiveram resposta em outubro e dezembro de 2011, quando duas vistorias foram feitas à área. Na ocasião, o proprietário Cezinha foi multado em R$ 20 mil reais e todo terreno foi interditado para evitar mais estragos ambientais, até que uma equipe técnica da SEMA identificasse às áreas de reservas.
Acontece que, sem nenhum respeito às famílias, às leis e aos órgãos de fiscalização, o verdadeiro comprador das terras, que é conhecido até mesmo pelo mundo mineral, ordenou a ação de devastação impiedosa, onde plantações de mandioca, caju, limão, manga, banana, macaxeira, etc., foram arruinadas, num prejuízo aos moradores que pode chegar a um milhão de reais. Além das plantações agrícolas, criações de bois, porcos e bodes foram perdidas na região.
Antes dessa ação cruel, já haviam, também, destruído as chamadas “áreas de proteção permanente” (APP), causando prejuízos incomensuráveis à fauna e à flora da região. As APP´s são espaços, tanto de domínio público quanto de domínio privado, que limitam constitucionalmente o direito de propriedade, levando-se em conta, sempre, a função ambiental da propriedade.

Está cada vez mais claro que, nos últimos anos de seu mandato, a propensão a movimentos furtivos e ditatoriais está imbuída na aura do prefeito Neném Mourão. Bastam ver as suas ações recentes, como o caso da escola do povoado Vagem (clique aqui para ler mais)e da expulsão do redator-chefe deste Correio do estádio municipal (clique aqui). O prefeito Neném parece sempre pronto a patrocinar espetáculos de truculência, a exemplo do que fez seu colega de Coelho Neto, o prefeito Soliney, ao invadir um sindicato. (clique aqui para ler mais)
É significativo que o atual gestor de Buriti, experimentado representante das camadas carentes, eleito com o discurso de que ajudaria os buritienses quando conquistasse a prefeitura, fique insensível diante do sofrimento daqueles que um dia lhe confiaram o voto. Todo o povo das Pintadas acreditou em seu discurso e agora as famílias veem-se chocadas diante das práticas do atual gestor.
A omissão da Câmara de Vereadores diante desse massacre às famílias das Pintadas é lastimável e não surpreende mais aqueles que conhecem o modus operandi dessa Casa legislativa, que, na verdade, se tornou uma verdadeira Casa do Espanto, de onde tudo pode se esperar, já que tem desde vereadores falastrões na tribuna, mas que na ação, absolutamente, nada fazem, até aqueles que nem sequer se pronunciam. Eles se limitam apenas ao papel de súditos e submissos aos desejos mais tacanhos do poder executivo. Os sete vereadores da base aliada do prefeito, que foram tão ágeis em aprovar a aplicação irregular dos recursos do município, apontada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE/MA)(clique aqui para ler mais), nem ao menos tiveram a coragem de mencionar essa barbárie na tribuna da Casa. Espera-se, agora, que pelo menos os vereadores oposicionistas levantem essa questão para o debate na Câmara.
Esse caso da devastação de plantações no povoado Pintadas não pode ser silenciado, até mesmo porque expressam as imperfeições da ordem e da lei e também o desprezo dos governantes pelo Buriti da Margem.
IMAGENS DA AÇÃO DE DESTRUIÇÃO:






IMAGENS DOS ORDENADORES E SEUS CAPANGAS, ESCONDIDOS EM SEUS VEÍCULOS:





IMAGENS DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA DESTRUÍDA:














← Anterior Proxima → Página inicial

Usuários on-line


usuários online