"Não há pessoas nem sociedades livres, sem liberdade de expressão e de imprensa”.

(1º Princípio da Declaração de Chapultepec)

Visualizações desde 31 de Julho de 2009

Conferência de Mulheres da Assembleia de Deus em Buriti-MA

COMO VOCÊ AVALIA OS 100 PRIMEIROS DIAS DA GESTÃO NALDO BATISTA?

IMPOSTOS MUNICIPAIS ARRECADADOS PARA BURITI-MA

Charles Crispim na Balada Fight - Edição Tatto

sábado, 2 de abril de 2011

1

SEDUC CUMPRE DECISÃO JUDICIAL E CORTA PONTO DE PROFESSORES GREVISTAS

Compartilhe:

Print Friendly and PDF



Em obediência à decisão do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ), a secretária de Estado de Educação (Seduc), Olga Simão, determinou o corte de ponto de professores da rede estadual de ensino que permanecem afastados da sala de aula. A greve da categoria, decretada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) no dia 1º de março, foi declarada ilegal pelo TJ no dia 16 do mesmo mês.
Os professores já podem conferir o número de faltas referente ao período. Para isso, basta se dirigir à Supervisão de Acompanhamento Funcional, no prédio da Seduc (Av. Getúlio Vargas, Monte Castelo).
A secretária Olga Simão reafirmou que o Governo do Estado mantém aberto o canal de diálogo para negociação com a categoria, e espera o retorno mais breve possível à normalidade das aulas da rede estadual de ensino.
O TJ também determinou multa diária de R$ 50 mil caso a decisão da Justiça não seja cumprida pelo sindicato.
A decisão do TJ - Atendendo a ação ordinária de pedido de antecipação de tutela, movida pela Procuradoria Geral do Estado (PGE-MA), o Tribunal de Justiça do Maranhão decretou liminarmente a ilegalidade da greve no dia 16 de março. Na ação, a PGE-MA argumenta que os professores da rede estadual de ensino decretaram a greve por tempo indeterminado, sem observar os preceitos legais ainda durante as negociações.
A deflagração de greve ocorreu no início de negociação prévia com o Governo do Estado, por meio da Seduc, conforme demonstra o ofício expedido pelo sindicato em 25/2/2011, no qual se verifica que foi apresentada proposta de negociação para atendimento de pauta reivindicatória da categoria, conforme acordado em reunião com representantes do Governo do Estado no dia 23/2/2011.
O Tribunal de Justiça (TJ), por decisão do desembargador Marcelo Carvalho, aceitou o argumento da ausência de comunicação prévia sobre a greve, que deveria ser informado com 48 horas de antecedência, segundo Lei 7.783/1989.
 O desembargador Marcelo Carvalho argumenta ainda que não se pode admitir uma paralisação integral do serviço, sobretudo, o essencial, aqui consubstanciado na devida prestação das atividades educacionais de 1° e 2° graus.
Multa acumulada – O sindicato já acumula hoje (02) R$ 800 mil em multa pelo descumprimento da decisão judicial do desembargador Marcelo Carvalho que declarou ilegal a greve da categoria. Já se vão 16 dias desde do despacho de Carvalho.
← Anterior Proxima → Página inicial

1 COMENTÁRIOS:

  1. falta colocar o nome de vereador Raimundo Camilo para o cargo de prefeito

    ResponderExcluir

O COMENTÁRIO NÃO REPRESENTA A OPINIÃO DO BLOG; A RESPONSABILIDADE É DO AUTOR DA MENSAGEM. OFENSAS PESSOAIS, MENSAGENS PRECONCEITUOSAS, OU QUE INCITEM O ÓDIO E A VIOLÊNCIA, OU AINDA ACUSAÇÕES LEVIANAS NÃO SERÃO ACEITAS. O OBJETIVO DO PAINEL DE COMENTÁRIOS É PROMOVER O DEBATE MAIS LIVRE POSSÍVEL, RESPEITANDO O MÍNIMO DE BOM SENSO E CIVILIDADE.

Usuários on-line


usuários online